YouTube removerá ferramenta ‘Não gostei’ da plataforma

Por Jack Phillips

O YouTube anunciou que ocultará o contador de “Não gostei” de todos os seus vídeos, alegando querer conter o “assédio ao criador”.

Em 10 de novembro, a empresa de propriedade Google afirmou que tornará a métrica privada, após testá-la no início do ano e ver uma diminuição no número dos chamados “grupos de antipatia”.

O botão de curtir e sua contagem permanecerão visíveis, de acordo com o YouTube, que postou uma captura de tela do novo visual. O botão de ‘Não gostei’ não mostra contagens.

“Também ouvimos diretamente de criadores menores e daqueles que estão apenas começando que eles são alvejados injustamente ​​por esse comportamento – e nosso experimento confirmou que isso ocorre em maiores proporções em canais menores”, afirmou o YouTube em uma postagem de blog.

A empresa concluiu que, com base em sua análise, ela tornará “as contagens de ‘Não gostei’ privadas no YouTube, mas o botão não desaparecerá”, começando de forma gradual e imediata.

Os criadores do vídeo “ainda serão capazes de encontrar suas contagens exatas de ‘Não gostei’ no YouTube Studio, junto com outras métricas existentes, se quiserem entender como está o desempenho do seu conteúdo”, declarou na postagem do blog, acrescentando que quer “criar um sistema inclusivo e um ambiente respeitoso onde os criadores têm a oportunidade de ter sucesso e se sentirem seguros para se expressar”.

“Os espectadores ainda podem ‘não gostar’ dos vídeos para ajustar suas recomendações e, particularmente, compartilhar suas experiências com os criadores”, afirma.

Mas os pequenos criadores não estão necessariamente sujeitos a pessoas ‘não gostando’ de um vídeo em massa.

Em 2018, o YouTube postou o vídeo de maior rejeição ao fazer o envio do YouTube Rewind, um vídeo de recapitulação. Com 221 milhões de visualizações, o vídeo tem cerca de 19 milhões de ‘Não gostei’.

Alguns comentaristas do Twitter sugeriram que o YouTube retirou o recurso devido aos vídeos da Casa Branca, que costumam presenciar muito mais ‘Não gostei’ do que ‘Gostei’. Em abril de 2021, o YouTube excluiu cerca de 2,5 milhões de ‘não gostos’ de vários vídeos da administração de Biden, de acordo com reportagens anteriores do Epoch Times.

O canal postou mais de 300 vídeos que geraram cerca de 3,7 milhões de rejeições, de acordo com dados publicados no site 81m.org, em abril. O YouTube, na época, excluiu cerca de 8.000 ‘não gostei’ por vídeo, mostram os dados.

“Temos políticas e sistemas em vigor para garantir que o envolvimento no YouTube seja autêntico, e para remover qualquer métrica fraudulenta”, afirmou um porta-voz do YouTube ao Epoch Times por e-mail na época.

O último anúncio do YouTube, por sua vez, certamente irá gerar acusações de censura para suprimir pontos de vista dissidentes. Embora o YouTube e o Google sejam acusados ​​de preconceito político há muito tempo, as empresas afirmam que suas plataformas são projetadas para serem politicamente neutras.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

COVID-19, uma pandemia do medo ‘fabricada’ pelas autoridades, afirma epidemiologista de Yale

COVID-19, uma pandemia do medo ‘fabricada’ pelas autoridades, afirma epidemiologista de Yale
A pandemia da COVID-19 tem sido uma pandemia do medo, fabricada por indivíduos em cargos nominais de autoridade ...
Leia Mais >
 

RISCO: 52% dos americanos vê China como principal ameaça

RISCO: 52% dos americanos vê China como principal ameaça
Os americanos parecem estar, drasticamente, mudando de ideia sobre o Regime comunista chinês. Pela primeira vez, metade dos americanos ...
Leia Mais >
 

EUA: Comunismo na educação

EUA: Comunismo na educação
Maduro vira desenho animado. A União Soviética e a China promoveram o culto à personalidade de tiranos como ...
Leia Mais >
 

EUA: Compromisso “inabalável” com defesa de Taiwan

EUA: Compromisso “inabalável” com defesa de Taiwan
Os EUA reiteraram seu compromisso “inabalável” com a defesa de Taiwan, e o ex-primeiro-ministro japonês disse que o ...
Leia Mais >