Trump pede que Rússia e Ucrânia trabalhem em ‘algum tipo de acordo’

Por Isabel van Brugen

O ex-presidente Donald Trump pediu na segunda-feira que a Rússia e a Ucrânia cheguem a um acordo para encerrar a guerra, que começou em 24 de fevereiro.

Trump disse no 55º dia da invasão da Ucrânia pelo presidente russo Vladimir Putin que “não faz sentido que Rússia e Ucrânia não possam sentar e trabalhar em algum tipo de acordo”.

“Se eles não fizerem isso logo, não restará nada além de morte, destruição e carnificina”, disse Trump em uma declaração.

De acordo com o Escritório de Direitos Humanos do Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUDH), em 18 de abril, pelo menos 2.072 ucranianos foram mortos e 2.818 ficaram feridos (pdf) desde que Putin lançou uma invasão em grande escala contra a vizinha Ucrânia.

O número de mortos inclui 537 homens, 327 mulheres, 38 meninas e 60 meninos, além de 71 crianças e 1.039 adultos cujo sexo ainda é desconhecido. Os feridos incluem 327 homens, 253 mulheres, 56 meninas e 61 meninos, bem como 155 crianças e 1.966 adultos cujo sexo ainda é desconhecido.

O ACNUDH acredita que os números reais são consideravelmente maiores:

“Esta é uma guerra que nunca deveria ter acontecido, mas aconteceu”, disse Trump.

Ele acrescentou: “A solução nunca pode ser tão boa quanto seria antes do tiroteio começar, mas existe uma solução, e deve ser descoberta agora – não mais tarde – quando todos estiverem MORTOS!”

Quase dois meses desde o início da invasão, as negociações entre diplomatas ucranianos e russos não tiveram sucesso até agora.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy disse no domingo que está preparado para falar com as autoridades russas se houver uma oportunidade para fazer isso, mas que não o faria sob um ultimato russo.

O líder disse acreditar que quanto mais cedo as negociações de paz começarem, menos vítimas haverá.

Zelenskyy disse que as negociações até agora não foram bem sucedidas e que as chances de realizar negociações estão diminuindo diariamente.

“Pense em Bucha, Volnovakha, Borodianka, Mariupol. Chega uma hora que ninguém quer falar. Nossa sociedade não quer que continuemos as negociações”, disse Zelenskyy.

Enquanto isso, as forças russas lançaram uma nova ofensiva ao longo da maior parte do flanco leste da Ucrânia na segunda-feira.

Zelenskyy declarou na segunda-feira que a “Batalha de Donbass” já começou.

“Agora podemos dizer que as forças russas iniciaram a batalha de Donbass, para a qual se preparam há muito tempo”, disse Zelenskyy em um discurso em vídeo.

Em uma postagem no Facebook, o comando das forças armadas ucranianas disse que a principal força militar da Rússia estava se concentrando em assumir o controle de todas as regiões de Donetsk e Luhansk que compõem a faixa de terra conhecida como Donbass.

“A segunda fase da guerra começou. … Acredite em nosso exército, ele é muito forte”, escreveu o chefe de gabinete do presidente ucraniano, Andriy Yermak, no aplicativo de mensagens Telegram.

Zelenskyy prometeu que as forças ucranianas defenderiam o Donbass “não importa quantos soldados russos” fossem enviados por Putin.

O líder disse que não estaria disposto a abrir mão de nenhuma parte da Ucrânia pela paz.

“Não estávamos prontos para desistir de nosso território desde o início. Se estivéssemos dispostos a desistir de nosso território, não teria havido guerra”, disse Zelenskyy em uma entrevista transmitida no dia 10 de abril no programa “60 Minutes” da CBS.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha
Um ex-membro de uma gangue criminosa japonesa disse que testemunhou o comércio de órgãos na China, tendo visto ...
Leia Mais >
 

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva
David Stillwell, é um general de brigada americano reformado. De 2011 a 2013 ele foi diplomata na embaixada ...
Leia Mais >
 

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA
O presidente Jair Bolsonaro discursou a uma multidão em Santa Catarina no sábado. Ele falou em “luta do ...
Leia Mais >
 

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL
Um impasse para o Brasil? Ocorreu a cúpula do BRICS. China e Rússia falam em uma expansão do ...
Leia Mais >