Trump insinua sua candidatura e diz a Zuckerberg que não haverá jantares ‘da próxima vez’ que ele for presidente

Por Tom Ozimek

O ex-presidente Donald Trump novamente sugeriu uma possível corrida presidencial enquanto respondia à notícia de sua suspensão de dois anos do Facebook na sexta-feira, dizendo que não convidaria o CEO Mark Zuckerberg para jantar “na próxima vez que estiver na Casa Branca”.

Depois que o vice-presidente de Assuntos Globais do Facebook, Nick Clegg, anunciou na sexta-feira que o ex-presidente seria suspenso da plataforma por dois anos a partir de 7 de janeiro, o dia em que a proibição foi inicialmente aplicada, Trump respondeu com um comunicado dizendo que não haveria mais jantares amigáveis com o chefe do Facebook.

“Da próxima vez que eu estiver na Casa Branca, não haverá mais jantares, a seu pedido, com Mark Zuckerberg e sua esposa”, disse Trump no comunicado. “Será tudo uma questão de negócios!” O ex-presidente recebeu Zuckerberg na Casa Branca duas vezes em 2019.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, aparece em um monitor enquanto testemunha remotamente durante a audiência do Comitê de Comércio, Ciência e Transporte do Senado “A ampla seção de imunidade 230 permite mau comportamento por grandes empresas de tecnologia?” , DC (Michael Reynolds-Pool / Getty Images)

Após a notícia de que o Facebook havia prorrogado a suspensão, Trump emitiu incisivamente uma declaração separada, na qual disse que a proibição era um insulto às dezenas de milhões de pessoas que votaram nele nas “eleições presidenciais”. Ele acrescentou que o gigante da mídia social “não deve ter permissão para escapar com essa censura e silenciamento.”

“No final, vamos vencer. Nosso País não aguenta mais esse abuso! ” Trump acrescentou.

O então presidente Donald Trump se dirige a uma multidão nas instalações da Boeing na Carolina do Sul em North Charleston, Carolina do Sul, em 17 de fevereiro de 2017 (Sean Rayford / Getty Images)

Os comentários do ex-presidente geram uma frustração mais ampla da direita de que as principais plataformas de mídia social estão suprimindo as vozes conservadoras.

O advogado constitucional Craig Parshall disse ao Epoch Times em maio que a Seção 230 do Communications Decency Act – que protege a mídia social e outras empresas de ações judiciais relacionadas a conteúdo – ajudou um punhado de grandes empresas de tecnologia a chegar a posições de poder.

“Esse presente foi para incentivar a competição. O que ele fez foi cultivar uma série, um bando de gigantes – eu diria que são Facebook, Google, Twitter, Apple e Amazon – cinco empresas que basicamente governam a paisagem em termos de informação digital, pontos de vista e opiniões, tudo isso da política, à religião, à cultura, às artes e entretenimento “, disse Parshall em” Crossroads ” da EpochTV .

“Portanto, temos cinco monopólios criados como resultado de uma concessão do Congresso na forma de um cartão ‘saia de processos judiciais grátis'”, disse ele.

Craig Parshall, advogado constitucional e conselheiro especial do American Center for Law and Justice, durante uma participação no programa “Crossroads” do Epoch Times (The Epoch Times)

Parshall se referiu a essas empresas como “monopólios no fluxo de informações, o que é essencial para uma república constitucional” e chamou seu domínio do mercado de “uma questão crítica”.

“Se tivéssemos mil Facebooks, isso não seria um problema”, disse Parshall. “Porque se 10 deles decidissem que não publicariam o artigo do New York Post durante a eleição que teve implicações para Joseph Biden por causa de Hunter Biden, seu filho, isso não estaria restringindo o livre fluxo de diversidade de opinião”, disse referindo-se à supressão nas redes sociais de artigos que reportavam o conteúdo de um laptop que alegadamente pertencia a Hunter Biden às vésperas das eleições presidenciais de 2020.

“Mas quando você tem cinco empresas que basicamente dominam a grande maioria do cenário digital em todas essas questões, então você tem um problema de domínio do mercado, problemas antitruste, e você tem uma supressão, como disse a Suprema Corte, tão perigosa quanto se fosse o governo que fizesse isso ”, disse ele.

A perspectiva de que os gigantes da mídia social estejam alinhados contra os conservadores levou vários republicanos a pedir uma legislação para derrubar as grandes empresas de tecnologia dominantes.

Com informações de Joshua Philipp e Zachary Stieber.

Siga Tom no Twitter: @OZImekTOM

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
 
 

Da saúde a Hollywood: como o regime chinês tenta controlar a América

Da saúde a Hollywood: como o regime chinês tenta controlar a América
Hoje, as "plataformas de entretenimento" dos EUA estão tão "desesperadas pelo mercado chinês" que agora estão dispostas a ...
Leia Mais >
 

Autoridades chinesas destroem barragem

Autoridades chinesas destroem barragem
Por NTD Notícias Chineses, passaram dias e noites fortificando as margens de rios para evitar inundações, apenas para ...
Leia Mais >
 

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba
O Movimento Cristão de Libertação (MCL) fundado pelo falecido Oswaldo Payá na terça-feira propôs medidas para isolar o ...
Leia Mais >
 

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.
Por NTD Notícias Evidências apontam que a catástrofe das enchentes na China vem das autoridades do Partido Comunista. ...
Leia Mais >