Trabalhador com síndrome de Down se aposenta após trabalhar 32 anos no McDonald’s

Por Jack Phillips

Um homem com síndrome de Down se aposentou depois de trabalhar no McDonald’s australiano por 32 anos, de acordo com relatos desta semana.

Russell O’Grady, 50 anos, foi apelidado de “a pessoa mais conhecida em Northmead”, tendo trabalhado na rede desde 1986, informou o New Zealand Herald. Ele começou a trabalhar lá com apenas 18 anos depois que uma iniciativa do governo foi organizada para ajudar pessoas com deficiências intelectuais a encontrar um emprego.

Nas três décadas seguintes, ele trabalhou três dias por semana limpando bandejas, varrendo o chão e cumprimentando as pessoas.

“Recebemos clientes regulares que visitam Russell nas quintas e sextas-feiras, depois a equipe cuida dele, então vamos sentir sua falta”, disse a supervisora do McDonald’s, Courtney Purcell.

Seu pai, Geoff O’Grady, disse ao Daily Mail que ele se tornou uma espécie de celebridade local devido ao seu trabalho no restaurante. “As pessoas o param na rua e apertam sua mão. Ele é muito carinhoso, amável e atencioso de uma forma que simplesmente não acreditamos”, disse ele.

“Alguém disse a ele ‘você é deficiente’?” E sua resposta foi: “Eu costumava ser quando eu ia para a escola, mas agora eu trabalho no McDonald’s”, ele disse.

“Isso realmente o ajuda, ele consegue muita interação social e faz com que ele se sinta parte da comunidade”, disse a treinadora Nikita Vandaru, do Departamento de Apoio ao Emprego, segundo o Herald. “Quando o vejo trabalhar, todo segundo cliente pára e fala com ele. Ele tem um sorriso enorme no rosto toda vez que eles vêm.”

De acordo com o Mirror, uma pessoa comentou: “Eu já conhecia Russell antes. Ele é um jovem muito trabalhador, sempre com um sorriso no rosto. Parabéns pela conquista da aposentadoria”.

O’Grady decidiu que se aposentar seria melhor para sua saúde. Agora, ele passará a maior parte do tempo em seu passatempo, o boliche de dez pinos, no Northmead Bowling Club.

Síndrome de Down ou Down?

A Sociedade Nacional de Síndrome de Down (NDSS) diz: “A síndrome de Down ocorre quando um indivíduo tem uma cópia extra completa ou parcial do cromossomo 21.” O NDSS também diz que usa o termo síndrome de Down, ao invés da síndrome de Down’s.

A síndrome foi nomeada em homenagem ao médico inglês John Langdon Down.

“Esse material genético adicional altera o curso do desenvolvimento e causa as características associadas à síndrome de Down. Alguns dos traços físicos comuns da síndrome de Down são o baixo tônus muscular, baixa estatura, olhos puxados e um único sulco profundo no centro da palma da mão – embora cada pessoa com síndrome de Down seja um indivíduo único e possa apresentar essas características em diferentes graus, alguns podem não possuir todas elas”, segundo o site.

Acrescentou: “Durante séculos, pessoas com síndrome de Down têm sido mencionadas na arte, literatura e ciência. Mas foi no final do século XIX, no entanto, que John Langdon Down, um médico inglês, publicou uma descrição precisa de uma pessoa com síndrome de Down. Foi este trabalho acadêmico, publicado em 1866, que lhe rendeu o reconhecimento como o “pai” da síndrome. Embora outras pessoas tenham reconhecido anteriormente as características da síndrome, foi Down quem descreveu a condição como uma entidade distinta e separada”.

 
 
 

Juiz Marcelo Brêtas manda prender ex-presidente Michel Temer

Juiz Marcelo Brêtas manda prender ex-presidente Michel Temer
O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo, no âmbito da Operação Lava Jato. A ordem de ...
Leia Mais >
 

EUA alertam Ortega de que não há como escapar das sanções contra empresas ligadas ao regime de Maduro

EUA alertam Ortega de que não há como escapar das sanções contra empresas ligadas ao regime de Maduro
Tanto a empresa Alba de Nicaragua (Albanisa) quanto sua filial Bancorp, que foram atingidas pelas sanções que os ...
Leia Mais >
 

Trump promete facilitar entrada de brasileiros nos EUA

Trump promete facilitar entrada de brasileiros nos EUA
O presidente Jair Bolsonaro liberou o visto para turistas dos Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá, sendo muito ...
Leia Mais >
 

“Eu me senti violada”: adolescente processa escola por presença de estudante trans no vestiário feminino (Vídeo)

“Eu me senti violada”: adolescente processa escola por presença de estudante trans no vestiário feminino (Vídeo)
Uma estudante do ensino médio na Pensilvânia disse que sua privacidade foi violada e que ela foi submetida ...
Leia Mais >