Terceiro condado na Virgínia aprova resolução para condenar abusos de transplante de órgãos na China

Por Eva Fu

Outro condado da Virgínia adotou uma resolução para restringir o turismo de transplante de órgãos para a China, se tornando o terceiro desde janeiro a se posicionar contra as práticas de extração forçada de órgãos de Pequim.

“É uma farsa e totalmente inaceitável”, disse Yesli Vega, supervisor do distrito de Coles no Condado de Prince William, que iniciou o esforço.

As alegações de que o regime chinês estava matando prisioneiros de consciência em massa e extraindo seus órgãos para transplante surgiram pela primeira vez em 2006, quando denunciantes abordaram o Epoch Times para expor a questão.

Desde então, chamou a atenção internacional, com um tribunal popular com sede em Londres em 2019 concluindo que tais práticas foram “cometidas por anos em toda a China em uma escala significativa”. Adeptos do Falun Gong presos , uma prática espiritual que tem sido perseguida brutalmente nas últimas duas décadas, continuaram sendo as principais vítimas do abuso, concluiu o tribunal, chamando as ações de “indicativas do crime de genocídio”.

“Precisamos agir. Deve haver consequências para o que está acontecendo”, disse Vega em uma entrevista ao Epoch Times. “Isso é claramente uma violação da lei. E é um ato desumano que está acontecendo e precisa parar. ”

Aprovada em 16 de fevereiro, a medida visa educar cerca de 460 mil residentes do condado  sobre os riscos de viajar à China para transplantes de órgãos, para que não se tornem cúmplices involuntários do ato ilícito. Isso aconteceu depois que cerca de 100 cidadãos locais destacarem a questão em uma petição ao conselho de supervisores do condado, declarou a resolução.

O Falun Gong consiste em ensinamentos morais baseados em três princípios básicos, verdade, compaixão e tolerância, junto com cinco conjuntos de exercícios suaves. A prática espiritual tinha cerca de 70-100 milhões de adeptos no final da década de 1990 antes de o regime comunista lançar uma campanha em 1999 para erradicá-la.

Uma residente local Linh Pham, uma praticante do Falun Gong, aplaudiu a ação em um discurso na reunião do conselho de 16 de fevereiro. Ela disse que a resolução era necessária para impedir mais abusos de direitos humanos, dada a cobertura limitada da mídia sobre o assunto.

Vários sobreviventes da perseguição do Falun Gong que se estabeleceram na Virgínia relataram histórias de tortura e de serem submetidos a procedimentos médicos para comparação de órgãos na prisão – exames de sangue, raios-X e ultrassons – indicando que estavam sendo tratados como potenciais doadores de órgãos, Pham disse.

“A colheita de órgãos de praticantes do Falun Gong abriu um precedente na China. Se permanecer incontestado, o PCC pode muito bem usá-lo para suprimir e perseguir outros grupos, o que custará ainda mais vidas inocentes”, disse ela.

Jim Giragosian, um praticante do Falun Gong, fala em uma reunião do Conselho de Supervisores do Condado de Prince William em Woodbridge, Va., Em 16 de fevereiro de 2021. (Sherry Dong / The Epoch Times)
Jim Giragosian, um praticante do Falun Gong, fala em uma reunião do Conselho de Supervisores do Condado de Prince William em Woodbridge, Va., em 16 de fevereiro de 2021 (Sherry Dong / Epoch Times)

Jim Giragosian, que mora no lado oeste do condado e que também é um adepto do Falun Gong, disse que o regime chinês “se safou de violações inescrupulosas de direitos humanos” por meio de extensas operações de influência visando todas as facetas da sociedade americana.

O Partido Comunista Chinês “tem como alvo os membros mais vulneráveis ​​de nossas comunidades – os doentes terminais – dizendo-lhes que, se vierem para a China, não terão que esperar meses ou anos por um transplante de órgão”, disse ele. “Eles simplesmente não nos dizem de onde vêm os órgãos”.

Giragosian acrescentou que os americanos “viram apelos sem precedentes por justiça para todas as pessoas” em todo o país e em todo o mundo. A resolução está um passo adiante de alcançar a inclusão, para “ajudar a trazer justiça a todas as pessoas, incluindo os praticantes do Falun Gong na China”, disse ele.

Vários residentes do condado presentes na sessão também expressaram seu apoio à ação do conselho.

“Extrair órgãos e fazer coisas assim são um grande mal, e temos que esmagar esse mal”, disse Barbara Dodge, que tinha anos de experiência trabalhando na Cruz Vermelha americana.

George Dodge, um coronel aposentado do exército dos EUA, no prédio do governo do condado de Prince William em Woodbridge, Va., Em 16 de fevereiro de 2021 (Sherry Dong / The Epoch Times)
George Dodge, um coronel aposentado do exército dos EUA, no prédio do governo do condado de Prince William em Woodbridge, Va., Em 16 de fevereiro de 2021 (Sherry Dong / Epoch Times)

Seu marido, o coronel aposentado do exército dos EUA George Dodge, disse que ouviu falar sobre a perseguição ao Falun Gong por anos. Ele descreveu a extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong como “muito trágica”.

“Eles realmente não são uma ameaça ao governo chinês”, disse ele em uma entrevista. “Eles são um povo pacífico. Eles não estão fazendo nada que ameace o governo, o governo deve deixá-los em paz ”.

Sherry Dong contribuiu para este artigo. 

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:
 
 
 

China parou de fornecer empréstimos à América Latina e Caribe em 2020, primeira vez em 15 anos

China parou de fornecer empréstimos à América Latina e Caribe em 2020, primeira vez em 15 anos
Um relatório recente observou que em 2020 a China não concedeu novos empréstimos aos governos da América Latina ...
Leia Mais >
 

ONU: EUA retornam

ONU: EUA retornam
Por NTD Notícias O indicado do presidente Biden para a CIA está chamando o regime chinês de “um ...
Leia Mais >
 

EUA respondem China

EUA respondem China
Por NTD Notícias Washington responde diplomata máximo de Pequim. O oficial Chinês havia definido ‘linhas vermelhas’ que disse ...
Leia Mais >
 

China alerta Biden

China alerta Biden
Por NTD Notícias Pequim diz ao presidente dos EUA Biden sobre as chamadas "linhas vermelhas" que ele não ...
Leia Mais >