Taiwan serve como ‘fortaleza marítima’ para impedir expansão da China no Pacífico, diz ministro

Por Frank Fang

TAIPEI, Taiwan – A ilha autônoma é uma “fortaleza marítima” que bloqueia a expansão de Pequim para o Pacífico, disse o ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, em 15 de setembro.

Wu fez os comentários durante um discurso de abertura em um simpósio online organizado pelo Taiwan Global Institute, uma organização sem fins lucrativos com sede em Washington. O evento teve como foco as relações EUA-Taiwan e contou com a presença do congressista democrata Ami Bera e de David Stilwell, ex-secretário adjunto do Escritório de Assuntos do Leste Asiático e Pacífico do Departamento de Estado dos EUA.

“Uma Taiwan democrática desempenha um papel importante em garantir a liberdade de navegação no Estreito de Taiwan e no Mar da China Meridional”, disse Wu, comentando sobre a localização estratégica de Taiwan dentro da primeira cadeia de ilhas.

Esta primeira cadeia de ilhas é a cadeia de ilhas mais próxima da China continental, estendendo-se da ilha de Kyushu, no sul do Japão, passando por Taiwan e Filipinas, até a Indonésia. Por décadas, os estrategistas militares do Partido Comunista Chinês (PCC) viram a primeira cadeia de ilhas como uma barreira antes que o regime pudesse projetar seu poder aéreo e naval na segunda cadeia de ilhas e além. A segunda rede se estende do Japão a Guam e Papua Nova Guiné.

Taiwan é um país independente de fato, com sua própria constituição, funcionários eleitos democraticamente e suas forças armadas. No entanto, o PCC considera a ilha como parte de seu território e está tentando impor seu regime comunista sobre ela, como fez com Hong Kong, seja por meio da guerra ou de outros meios para minar a democracia liberal da ilha.

“Não foi precisamente esse irredentismo que deu origem à Segunda Guerra Mundial?” disse Wu, comentando sobre a agressão de Pequim contra a ilha.

A agressão do PCC não se limita a Taiwan. De acordo com Wu, Pequim está “travando uma guerra ideológica contra a democracia” e “tentando remodelar o sistema internacional baseado em regras, para servir à sua própria agenda”.

“Isso continua a infiltrar as democracias com desinformação, com o objetivo de demolir nossa fé nos valores democráticos”, acrescentou. “Esses esforços têm como objetivo criar a fachada de que [um] sistema de partido único é mais eficaz do que [um] sistema democrático”.

A campanha de propaganda mais recente da China é usar a caótica retirada dos EUA do Afeganistão, apresentando os Estados Unidos como um parceiro não confiável. A campanha visa minar a posição da América no mundo.

De acordo com Wu, as experiências de Taiwan em lidar com várias ameaças do PCC – incluindo ataques cibernéticos, táticas de “zona cinzenta”, desinformação e táticas de ” Frente Unida” – seriam percepções valiosas para outros países.

“Taiwan aprendeu lições valiosas e desenvolveu vários meios para lidar com as ameaças à democracia e estamos mais do que dispostos a compartilhar esse conhecimento com outras democracias”, explicou ele a seguir.

Os esforços da “Frente Unida” do PCC, realizados pelo Departamento de Trabalho da Frente Unida  (UFWD), buscam persuadir organizações ou indivíduos a espalhar a propaganda do partido, tanto dentro quanto fora da China.

Nos Estados Unidos, o PCC também implantou grupos da “Frente Unida” no nível de base como parte de seu esforço para se infiltrar nas instituições civis e políticas do país. Em outubro de 2020, o Departamento de Estado dos EUA designou a Associação Nacional para a Unificação Pacífica da China, com sede em Washington, controlada pela UFWD, como uma missão estrangeira por sua “influência maligna” no país.

“Acreditamos que os Estados Unidos podem demonstrar ainda mais sua credibilidade e confiabilidade no Indo-Pacífico, aprofundando relações abrangentes com Taiwan”, concluiu Wu.

“Os laços estreitos entre Taiwan e os Estados Unidos são essenciais para a paz, estabilidade e prosperidade na região.

 
 
 

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro
O Partido Comunista Chinês (PCC) condenou pelo menos 100 praticantes do Falun Gong à prisão em setembro, de ...
Leia Mais >
 

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC
Uma sociedade na qual todos competem por dinheiro e pela chance de mudar seus destinos; Onde excluídos têm ...
Leia Mais >
 

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares
À medida que mais e mais pais vão aos conselhos escolares locais para reclamar sobre a teoria crítica ...
Leia Mais >
 

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan
Pelo menos 46 morreram após um incêndio “extremamente severo” em Taiwan. Ocorrido dentro de um prédio de 13 ...
Leia Mais >