Taiwan continua sendo um grande risco geopolítico em 2022

Por Emel Akan 

Análise de notícias

O principal diplomata da China afirmou recentemente que Taiwan é um “vagabundo” que eventualmente acabará “voltando para casa”, na China. Essa retórica de funcionários do Partido Comunista Chinês (PCC), bem como o aumento dos ataques de aeronaves militares chinesas perto de Taiwan nos últimos meses, provocaram uma nova onda de temores da mídia e especulações de uma invasão chinesa.

Alguns analistas de mídia consideram a tensão no Estreito de Taiwan um dos maiores riscos geopolíticos do mundo em 2022. A China reivindica soberania sobre Taiwan e intensificou suas ameaças de assumir o controle nos últimos dois anos.

Tal movimento causaria problemas econômicos em muitos países, já que Taiwan é um centro crucial para a rede global de fornecimento de semicondutores, segundo especialistas. Uma aquisição pelos militares chineses causaria graves problemas de abastecimento em muitas indústrias que dependem massivamente de chips fabricados em Taiwan.

As empresas taiwanesas, grandes e pequenas, respondem por cerca de 65% das vendas globais de chips terceirizados. A Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), a joia da coroa da ilha, gera sozinha 56% da receita global.

“A situação é semelhante, de certa forma, à antiga dependência mundial do petróleo do Oriente Médio e qualquer instabilidade na ilha que ameaça ecoar em todas as indústrias”, afirma Keith Krach, ex-subsecretário de Estado que desempenhou um papel crucial na reaproximação das relações com Taipei sob a administração Trump.

A TSMC é uma das empresas mais valiosas do mundo, com uma capitalização de mercado de quase US $600 bilhões.

“Para colocar em perspectiva, o PIB de Taiwan é de cerca de US $750 bilhões. Isso certamente torna as tensões entre China e Taiwan mais intensas”, afirmou Krach.

A Apple é o maior cliente da TSMC. Outras empresas notáveis ​​que confiam na TSMC incluem AMD, Qualcomm, NVIDIA e Intel.

Enquanto os principais fabricantes de chips do mundo competem para produzir os menores chips possíveis; apenas a TSMC e a empresa coreana Samsung podem produzir o padrão de última geração, que é de cinco nanômetros. A TSMC anunciou recentemente que começaria a produzir a próxima geração de chips de 3 nanômetros no segundo semestre deste ano.

A China, por outro lado, está no extremo inferior da cadeia de valor de semicondutores. Possui apenas 5% da participação de mercado nas vendas globais e depende fortemente de fornecedores estrangeiros para chips avançados.

A China está pelo menos 15 anos atrasada no setor de semicondutores, de acordo com estimativas da indústria. Vendo essa lacuna, Pequim tem utilizado agressivamente atalhos para recuperar o atraso, como roubar segredos comerciais e recrutar talentos do exterior. Como parte da estratégia, Pequim também aumentou os ataques cibernéticos contra empresas de semicondutores de Taiwan nos últimos anos.

Um artigo recente publicado pelo US Army War College recomendou que as autoridades taiwanesas “destruam instalações pertencentes a” TSMC diante de uma invasão chinesa, como estratégia de dissuasão. O documento afirmava que tal movimento “produziria uma grande crise econômica” na China, cujo setor de tecnologia depende fortemente da TSMC.

Desde 2020, o Exército de Libertação Popular aumentou sua atividade militar no Estreito de Taiwan, com sobrevoos frequentes na zona de defesa aérea de Taiwan.

Rupert Hammond-Chambers, presidente do Conselho Empresarial EUA-Taiwan, concorda que a invasão deixaria fora de serviço a produção de chips de Taiwan quase imediatamente, levando a consequências dramáticas para as redes globais de fornecimento.

No entanto, acrescentou Hammond-Chambers, tal movimento seria um suicídio político para o líder chinês Xi Jinping, especialmente antes de sua tão esperada eleição para um terceiro mandato sem precedentes na Assembleia Popular Nacional do Partido Comunista, no outono.

Pequim utiliza constantemente uma retórica ameaçadora, declarou. “E para mim, isso não representa um aumento na intenção” de um ataque militar real.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, acusou os Estados Unidos e outros países de tentarem “utilizar Taiwan para controlar a China”.

“Taiwan é um vagabundo que acabará voltando para casa, não uma peça de xadrez para ser usada por outros. A China deve e será reunificada”, ameaçou em um discurso recente.

“Rotular Taiwan como ‘sem-teto’ é um ato clássico de intimidação”, de acordo com Krach.

“Os tiranos não podem persuadir, então eles intimidam, especialmente quando seu próprio baralho de cartas é mais fraco do que eles querem que os outros pensem”, afirmou.

Não está claro se Pequim embarcará em uma aventura militar sobre Taiwan este ano. Mas suas crescentes ambições vão além de ser uma ameaça aos 23,5 milhões de habitantes da ilha e às redes globais de fornecimento, segundo a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen.

“[Se] Taiwan caísse, as consequências seriam catastróficas para a paz regional e para o sistema de alianças democráticas”, alertou em um recente artigo de opinião para Relações Exteriores.

“Seria um sinal de que na atual guerra global contra os valores, o autoritarismo tem vantagem sobre a democracia.”

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Rússia corta fornecimento de energia elétrica da Finlândia

Rússia corta fornecimento de energia elétrica da Finlândia
O fornecedor russo de energia RAO A Nordic Oy cortou o fornecimento de eletricidade para a Finlândia no ...
Leia Mais >
 

“RÚSSIA CONSIDERA ESSA UMA ‘GUERRA SANTA’ CONTRA O OCIDENTE”: EX-ASSESSOR DE PUTIN | ENTREVISTA

“RÚSSIA CONSIDERA ESSA UMA ‘GUERRA SANTA’ CONTRA O OCIDENTE”: EX-ASSESSOR DE PUTIN | ENTREVISTA
O que se passa na mente de Vladimir Putin? O Dr. Andrei Illarionov. Andrei foi assessor econômico de ...
Leia Mais >
 

“FINLÂNDIA PRECISA SE CANDIDATAR À OTAN ‘SEM DEMORA’”: PRIMEIRA-MINISTRA

“FINLÂNDIA PRECISA SE CANDIDATAR À OTAN ‘SEM DEMORA’”: PRIMEIRA-MINISTRA
A primeira-ministra da Finlândia disse que o país precisa entrar na OTAN “sem demora”. A nação tem se ...
Leia Mais >
 

ALLAN DOS SANTOS, DO TERÇA LIVRE, FALA SOBRE ÚLTIMO BANIMENTO E LIBERDADE DE IMPRENSA

ALLAN DOS SANTOS, DO TERÇA LIVRE, FALA SOBRE ÚLTIMO BANIMENTO E LIBERDADE DE IMPRENSA
Allan dos Santos, jornalista e fundador do canal Terça Livre, teve uma nova conta no youtube banida nesta ...
Leia Mais >