Starbucks sairá totalmente da Rússia após 15 anos no mercado russo

Por Tom Ozimek

A Starbucks anunciou que sairá completamente da Rússia depois de suspender anteriormente suas atividades comerciais no país devido à invasão da Ucrânia.

Após 15 anos no mercado russo, a Starbucks fechará permanentemente suas 130 lojas na Rússia e não terá mais presença no país, segundo um memorando de 23 de maio aos funcionários.

A gigante do café disse que continuará pagando seus funcionários na Rússia por seis meses e os ajudará a encontrar trabalho em outros lugares.

“Continuamos a observar o desenrolar dos trágicos eventos e, hoje, decidimos suspender todas as atividades comerciais na Rússia, incluindo o envio de todos os produtos da Starbucks”, escreveu o então CEO, Kevin Johnson, em um memorando de 8 de março.

“Nosso parceiro licenciado concordou em parar imediatamente as operações da loja e fornecerá suporte aos quase 2.000 parceiros na Rússia que dependem da Starbucks para sua subsistência”, disse ele na época.

Johnson também prometeu doar royalties dos negócios da Starbucks na Rússia para esforços humanitários na Ucrânia.

A Starbucks entrou pela primeira vez no mercado russo em 2007 e, com sua saída, a Starbucks se junta a outras empresas ocidentais, incluindo o McDonald’s, ao deixar a Rússia.

A maior rede de hambúrgueres do mundo anunciou na semana passada que fecharia permanentemente suas 850 franquias na Rússia, encerrando mais de três décadas de envolvimento com o mercado russo.

“Pela primeira vez em nossa história, estamos ‘desarquivando’ um mercado importante e vendendo nosso portfólio de restaurantes McDonald’s”, disse o executivo do McDonald’s, Chris Kempczinski, em uma carta aos funcionários e franqueados. “Eles não levarão mais o nome do McDonald’s nem servirão nosso cardápio. Os Arcos Dourados não brilharão mais na Rússia”.

O McDonald’s disse anteriormente que planeja vender seus restaurantes na Rússia para um de seus licenciados locais, que os renomeará com um novo nome que ainda não foi anunciado.

A gigante dos hambúrgueres disse anteriormente que espera um impacto financeiro entre US $1,2 bilhão e US $1,4 bilhão com sua saída da Rússia.

Várias grandes corporações deixaram a Rússia por causa da invasão, desde as gigantes britânicas de energia Shell e BP até a montadora francesa Renault e a gigante alemã de software SAP, com impactos nos resultados.

Kempczinski disse em sua carta que quase todas as corporações multinacionais estão reconsiderando sua presença na Rússia, chamando-a de “uma questão complicada, sem precedentes e com profundas consequências”.

“É impossível prever o que o futuro reserva, mas escolho terminar minha mensagem com o mesmo espírito que trouxe o McDonald’s para a Rússia: esperança”, escreveu Kempczinski, concluindo com a frase, “até nos encontrarmos novamente”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha
Um ex-membro de uma gangue criminosa japonesa disse que testemunhou o comércio de órgãos na China, tendo visto ...
Leia Mais >
 

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva
David Stillwell, é um general de brigada americano reformado. De 2011 a 2013 ele foi diplomata na embaixada ...
Leia Mais >
 

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA
O presidente Jair Bolsonaro discursou a uma multidão em Santa Catarina no sábado. Ele falou em “luta do ...
Leia Mais >
 

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL
Um impasse para o Brasil? Ocorreu a cúpula do BRICS. China e Rússia falam em uma expansão do ...
Leia Mais >