Shen Yun ‘Me dá esperança para o futuro’, relata padre

Shen Yun ‘Me dá esperança para o futuro’, relata padre

Jim Sullivan na apresentação do Shen Yun, na War Memorial Opera House, em São Francisco, no dia 2 de janeiro de 2022 (Gary Du / Epoch Times)

2022/01/04

SÃO FRANCISCO— O Shen Yun dá as boas-vindas ao público novo e aos que retornam de todos os lugares por onde o show passa, mas Jim Sullivan é um apoiador verdadeiramente leal, que tem voltado para o espetáculo todos os anos nos últimos quatro anos.

“Eu amo o espetáculo. Eu o assisto todo ano. Eu o acho absolutamente incrível. É realmente uma das produções artísticas mais incríveis, talvez a produção artística mais incrível que já vi na minha vida”, declarou ele.

Eu amo que a teologia e a filosofia estão envolvidas. É simplesmente edificante. É edificante e me dá esperança para o futuro. 
— - Jim Sullivan

Como padre, o Sr. Sullivan foi capaz de se conectar com as cenas espirituais retratadas pelo Shen Yun Performing Arts, com sede em Nova Iorque.

“Eu amo que a teologia e a filosofia estão envolvidas. É simplesmente edificante. É edificante e me dá esperança para o futuro. Esses jovens artistas talentosos entregam muito”, declarou ele.

Embora a missão do Shen Yun seja reviver os 5.000 anos da civilização chinesa, o público frequentemente sente que a performance não é apenas sobre a China, mas sim sobre toda a humanidade.

“É uma mensagem do céu, sobre a dignidade da raça humana, sobre a bondade da raça humana, sobre a dignidade de cada pessoa humana, sobre o mal do comunismo e sobre nosso lar espiritual, nossa herança espiritual”, Sr. Sullivan afirmou.

Ele observou que, apesar dos esforços do Shen Yun para restaurar a cultura chinesa e compartilhar a beleza da China antes do comunismo com o mundo, o Shen Yun não pode se apresentar na China.

“Eu acho que é maravilhoso, entrega poder para você. E que vergonha para o povo chinês que está sendo negado a uma expressão tão bela de sua própria herança. Espero que as coisas mudem. Espero que as coisas mudem na China”, comentou.

Ele aplaudiu os performers por entregar tal mensagem com “tanta graça, com tanto poder [nas] acrobacias e nas danças, os figurinos, o cenário. É simplesmente inspirador”.

Abertura do Shen Yun Performing Arts, Companhia de Nova Iorque, no War Memorial Opera House, de São Francisco, no dia 2 de janeiro de 2022 (Epoch Times)
Abertura do Shen Yun Performing Arts, Companhia de Nova Iorque, no War Memorial Opera House, de São Francisco, no dia 2 de janeiro de 2022 (Epoch Times)

Os dançarinos do Shen Yun são treinados na dança clássica chinesa, uma forma de arte com milhares de anos de história. Eles possuem pés leves e fazem os movimentos mais complexos parecerem fáceis.

“Está completamente além do esperado. Sabe, eu nunca vi uma dança assim antes. Você não vê isso no balé e não vê em outras danças étnicas”, relatou Sullivan. “Os movimentos aéreos que eles fazem, sabe, eles ficam tão alto no ar, as acrobacias que fazem sem nunca tocar o solo. É uma dança muito extenuante, muito atlética e acrobática”.

Quando questionado sobre o que o faz voltar ano após ano, ele afirmou: “Acho que tudo o que eu disse é tão inspirador, cobre tantas áreas que me interessam. Quer dizer, é teológico, é filosófico, mas é extremamente artístico”.

“É uma mensagem contra-cultural para a China contemporânea e até para a América contemporânea”, continuou ele. “Somos muito materialistas e até certo ponto ateus nesta cultura, e as referências ao céu são um lembrete de que viemos do céu e que esse é o nosso destino. É inspirador. Eu sinto que isso alimenta minha alma. Então, estou aqui, sou um padre católico e sinto que estou sendo suprido espiritualmente, artisticamente e emocionalmente pelo Shen Yun”.

O Sr. Sullivan compartilhou como ele descreveria o Shen Yun para aqueles que ainda não o experimentaram.

“Eu diria a eles que é de tirar o fôlego. Eu diria a eles que é inimaginável. Você precisa ver para acreditar nisso. Eu diria que é inspirador, diria que você vai querer voltar sempre, como eu. Todos os anos, você vai querer ver.”

Reportagem de Gary Du e Maria Han.

O Epoch Times é um patrocinador orgulhoso do Shen Yun Performing Arts. Nós cobrimos as reações do público desde o início do Shen Yun em 2006.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também: