Satélites GPS militares dos EUA são ameaçados por lasers e bloqueadores chineses, diz General

Por Isabel Van Brugen

O chefe de operações espaciais da Força Espacial dos EUA (USSF), general John W. “Jay” Raymond, disse ao Congresso na sexta-feira que os satélites GPS usados ​​pelos militares dos EUA são ameaçados por lasers e bloqueadores eletrônicos construídos pela China e Rússia.

Em declarações aos parlamentares do Subcomitê de Defesa de Apropriações da Câmara na semana passada, Raymond e outros oficiais da Força Aérea testemunharam que os militares dos EUA devem agir com rapidez e urgência para combater o desenvolvimento militar da China, que, dizem eles, representa um grande desafio para a Força Espacial.

Tanto a Rússia quanto a China estão fabricando rapidamente armas espaciais capazes de participar de “interferências robustas de satélites de comunicação e GPS”. As armas também são projetadas para direcionar sistemas de energia que podem “cegar, interromper ou danificar nossos satélites”, disse Raymond.

O chefe de operações espaciais do USSF disse que a ameaça representada pelos lasers terrestres da China, capazes de destruir satélites orbitando a órbita baixa da Terra, “é real hoje e preocupante”.

“Dada a taxa exponencial de desenvolvimento de armas da China e a ampla organização do governo e da indústria, não temos espaço para simplesmente manter nosso foco atual”, disse Raymond; Secretário em exercício da Força Aérea John Roth; e o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Charles Brown, em um comunicado.

O general Charles Brown, Jr., nomeado Chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA, testemunha durante uma audiência das Forças Armadas do Senado no Capitólio, em Washington, em 7 de maio de 2020 (Kevin Dietsch / Pool / AFP via Getty Images)

“A China está a caminho de exceder nossa capacidade, por isso é nossa obrigação agir com senso de urgência”, acrescentaram. “A China apresenta desafios como nenhum outro na história do nosso país. Devemos manter nossos olhos claros sobre essas ameaças e nossa resposta a elas. ”

O USSF ingressou oficialmente na Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos (IC) como seu 18º membro. Até então, nenhuma outra organização aderiu à CI desde 2006.

Brown observou que a principal preocupação dos funcionários atualmente é a possível interferência de satélites GPS – uma forma de ataque eletrônico anti-satélite que interfere nas comunicações que viajam de e para um satélite, emitindo ruído da mesma frequência de rádio dentro do campo de visão das antenas do satélite.

O ataque pode interromper as operações militares nos Estados Unidos, disse Brown.

Raymond também indicou preocupações militares de que armas espaciais fabricadas na China poderiam contornar os sinais de GPS dos EUA, fazendo com que errassem os alvos.

“O GPS é absolutamente crucial não apenas para nossos militares, mas também para nossa sociedade”, disse ele, observando que o Departamento da Força Aérea está trabalhando para construir um sistema que o proteja melhor de interferências e outros ataques cibernéticos.

O ex-Diretor de Inteligência Nacional (DNI) John Ratcliffe disse em abril que o regime chinês é o “maior adversário” dos Estados Unidos e tem a capacidade de derrubá-lo de sua hegemonia mundial.

O candidato, John L. Ratcliffe, se apresenta durante uma audiência de nomeação do Comitê de Inteligência do Senado no Dirksen Senate Office Building em Capitol Hill em Washington em 5 de maio de 2020 (Gabriella Demczuk-Pool / Getty Images)

“A China é nosso maior adversário no sentido de o único outro estado-nação que é capaz de desafiar e até mesmo suplantar os EUA como uma superpotência mundial econômica, militar e tecnologicamente”, disse Ratcliffe, que serviu como DNI durante o governo. Trump , durante um evento em 19 de abril organizado pelo think tank The Heritage Foundation, com sede em Washington.

Ele descreveu Pequim como um adversário e um competidor dos Estados Unidos, observando que “eles deveriam ser mais um competidor do que um adversário, e agora é o contrário”.

No início de abril, o Escritório do DNI divulgou sua  avaliação anual de ameaças  que descreveu a ofensiva do regime comunista chinês ao poder global como a principal ameaça à segurança nacional dos EUA. O DNI, Avril Haines, em uma audiência no Senado um dia depois, disse que Pequim está em seu caminho para se tornar um “concorrente próximo” dos Estados Unidos e representa uma “prioridade incomparável” para a comunidade de inteligência do país.

Com informações de Cathy He.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 

 
 
 

Legisladores internacionais pedem que ONU investigue genocídio uigur

Legisladores internacionais pedem que ONU investigue genocídio uigur
Um grupo de legisladores internacionais pediu às Nações Unidas que investiguem o  genocídio contra os uigures e outras ...
Leia Mais >
 

Avião iraniano sancionado pelos EUA por transportar armas para grupos terroristas aterrissa na Venezuela

Avião iraniano sancionado pelos EUA por transportar armas para grupos terroristas aterrissa na Venezuela
Um cargueiro vinculado ao Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã ( IRGC ), pertencente a uma empresa ...
Leia Mais >
 

Caçador de espiões da China deserta para os EUA?

Caçador de espiões da China deserta para os EUA?
Por NTD Notícias Há relatos de que um dos maiores espiões da China desertou para os EUA. Boatos ...
Leia Mais >
 

Novo estudo associa a ivermectina a ‘grande redução’ nas mortes por COVID-19

Novo estudo associa a ivermectina a ‘grande redução’ nas mortes por COVID-19
Uma recente revisão baseada em estudos revisados ​​por pares descobriu que o uso do medicamento antiparasitário ivermectina pode ...
Leia Mais >