Reforço Pfizer COVID-19 não deve ser aplicado aos que se vacinaram com J&J e Moderna, afirma oficial da FDA

Por Jack Phillips

A vacina de reforço COVID-19 da Pfizer não deve ser administrada naqueles que já receberam vacinas feitas pela Moderna ou Johnson & Johnson, de acordo com um oficial sênior de saúde federal.

Doran Fink, vice-diretor da divisão de regulamentação de vacinas da Food and Drug Administration (FDA), fez essa avaliação durante um painel consultivo do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) sobre vacinas para decidir se a agência deve ou não recomendar uma dose adicional da vacina Pfizer-BioNTech.

“Não há dados disponíveis para relatar a intercambiabilidade de uma dose de reforço de uma vacina com a série primária de outra vacina” , disse Fink em uma reunião do Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC na quarta-feira.

Por fim, a FDA liberou na quarta-feira as vacinas de reforço da Pfizer para pessoas com 65 anos ou mais, bem como aquelas com alto risco para COVID-19, depois que um painel consultivo votou na semana passada contra a recomendação esmagadora da terceira dose de Pfizer para o público em geral.

A FDA, por sua vez, disse que precisa de mais tempo para revisar se as doses de reforço das vacinas J&J e Moderna são necessárias.

“Depois de considerar a totalidade das evidências científicas disponíveis e as deliberações de nosso comitê consultivo de especialistas independentes e externos, a FDA modificou a vacina americana Pfizer-BioNTech COVID-19 para permitir uma dose de reforço em certas populações, como profissionais de saúde, professores de creches e funcionários, trabalhadores de mercearias, abrigos para sem-teto ou prisões, entre outros”, disse a comissária em exercício da FDA, Janet Woodcock, durante a reunião na quarta-feira.

Esta semana, a Johnson & Johnson disse que as segundas doses de sua vacina aumentaram sua eficácia para 94 por cento contra a COVID-19, a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês). A vacina da J&J usa um adenovírus, enquanto a Moderna e a Pfizer usam tecnologia de mRNA em suas vacinas.

A Moderna informou que solicitou permissão para comercializar terceiras doses da vacina. A FDA, no entanto, não forneceu um cronograma sobre quando poderia tomar uma decisão, enquanto Fink disse na quarta-feira que seu departamento está trabalhando no aplicativo da empresa o mais rápido possível.

Durante a reunião do painel consultivo da FDA na semana passada sobre doses de reforço, alguns especialistas expressaram preocupação de que uma terceira dose da vacina da Pfizer poderia causar efeitos colaterais significativos, incluindo miocardite, em receptores.

“Sinceramente, não acho que haja dados de boa qualidade suficientes neste momento para tomar uma decisão”, disse Brittany Kmush, epidemiologista da Syracuse University, de um estudo israelense que a Pfizer citou para afirmar que as terceiras doses são necessárias nos  Estados Unidos,  observando o período de acompanhamento de 12 dias e a variabilidade das estimativas dos autores.

E o Dr. James Hildreth, membro votante do painel de especialistas do FDA, acrescentou que ele “[tem] uma grande preocupação com a miocardite em jovens”.

O Epoch Times contatou a Pfizer para comentar sobre o assunto.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 
 
 

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro
O Partido Comunista Chinês (PCC) condenou pelo menos 100 praticantes do Falun Gong à prisão em setembro, de ...
Leia Mais >
 

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC
Uma sociedade na qual todos competem por dinheiro e pela chance de mudar seus destinos; Onde excluídos têm ...
Leia Mais >
 

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares
À medida que mais e mais pais vão aos conselhos escolares locais para reclamar sobre a teoria crítica ...
Leia Mais >
 

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan
Pelo menos 46 morreram após um incêndio “extremamente severo” em Taiwan. Ocorrido dentro de um prédio de 13 ...
Leia Mais >