Mais Menos
Rapaz vai ao fundo do poço por influência de amigos mas recebe um telefonema que muda sua vida

Por NTD Inspired

Eu não me sentia eu mesmo diante da tristeza. Tudo o que eu sempre acalentara como importante na vida de repente desmoronou e eu mergulhei numa profunda depressão.

Isso foi em 2010, cinco anos depois da minha graduação na faculdade de engenharia. Eu me formei no mesmo ano que um grupo de amigos de longa data. Em 2008, dois desses amigos conseguiram empregos de prestígio. Infelizmente, nos dois anos seguintes, um relacionamento de “mestre-servo” substituiu a amizade que existia entre eles e o resto de nós no grupo.

Fiquei arrasado ao ver como a atração por dinheiro e poder silenciosamente transforma as amizades aparentemente duradouras e fiéis que tivemos uma vez, e eu não podia aceitar isso.

Eu cresci com uma firme crença em valores tradicionais como lealdade, imparcialidade e bondade, e nunca tratei ninguém de forma diferente com base em seu status na sociedade. De fato, eu considerava a minha amizade com todos do nosso grupo como a coisa mais importante da minha vida.

Quando tentei apontar o que estava acontecendo, eu me deparei com silêncio e esquivo. Então gradualmente todos passaram a me evitar. Eu não tive escolha senão deixar o grupo, arrasado por um coração partido. Eu me senti traído, sozinho e vulnerável.

Talvez tenha sido um golpe destinado a me despertar para novos horizontes e um senso mais claro de responsabilidade para com as pessoas ao meu redor.

O autor, um engenheiro, em seu local de trabalho, em uma empresa de logística e serviços marítimos
O autor, um engenheiro, em seu local de trabalho, em uma empresa de logística e serviços marítimos

Felizmente, eu tive a sorte de escapar em breve daquele tempo sombrio, graças a um ex-colega que tinha um espírito de busca pelo sentido na vida. Ele fez esforço para entrar em contato comigo depois que encontrou o que estava procurando em sua busca espiritual e sabia que isso também me beneficiaria.

Espero que minha história toque os corações de pessoas que sentiram a dor da perda de amizades e que se sentiram perdidas em decorrência disso, para que elas, como eu, possam encontrar paz e um futuro brilhante.

Infância feliz, fé pura

Eu tive uma infância feliz e tenho boas lembranças do amor que recebi de minha mãe e minha avó. Elas eram budistas e me levaram a muitos cultos religiosos nos templos. Desenvolvi uma fé inocente e uma forte crença na existência de um magnífico Buda que administrava todas as coisas e tinha o poder de criar milagres no mundo.

O autor ainda criança no colo de sua mãe
O autor ainda criança no colo de sua mãe

Ao mesmo tempo, muitas perguntas surgiram em minha mente: para onde irei depois da morte? Por que a Terra gira? Por que há dor e alegria, felicidade e tristeza?

Eu nunca encontrei respostas para essas perguntas, e elas desapareceram quando eu cresci.

A mãe e a avó do autor o levaram para muitos serviços budistas quando ele estava crescendo, e ele desenvolveu uma forte crença na existência de um Buda onipotente

Durante minha infância e juventude, também fiquei profundamente tocado pelas virtudes tradicionais que aprendi com romances históricos clássicos da literatura chinesa, como bondade, justiça, propriedade, sabedoria e fidelidade.

Levei estes princípios a sério e tentei o meu melhor para aplicá-los em minha própria vida mas, de uma forma que agora percebo, fui a extremos. Isso se manifestou em minha devoção absoluta aos meus amigos que foram tão longe quanto enganar meus pais.

Minha primeira queda: jogos de azar

Meu primeiro tropeço na vida veio devido ao meu passatempo favorito durante meus anos de colegial: assistir a partidas de futebol durante as temporadas de futebol.

Eu ficava acordado a noite toda com meus amigos e companheiros fanáticos por futebol para assistir aos jogos na televisão. Criamos mentiras para justificar aos nossos pais por que precisávamos ficar na rua, dizendo que precisávamos concluir projetos de equipe ou estudar juntos em um grupo.

 Durante o ensino médio, o autor e seus amigos se tornaram viciados em apostas de futebol
Durante o ensino médio, o autor e seus amigos se tornaram viciados em apostas de futebol

Meus amigos e eu logo começamos a fazer apostas, usando todo o nosso dinheiro para participar de torneios de futebol. Ficávamos arrasados sempre que perdíamos, mas éramos viciados, puxados para o vórtice do jogo e a ideia de dinheiro rápido e fácil.

O autor (à esquerda) retornou à sua escola em 2016 para uma celebração do 50º aniversário da fundação da escola
O autor (à esquerda) retornou à sua escola em 2016 para uma celebração do 50º aniversário da fundação da escola

Mantivemos nossas perdas em segredo até que nossa dívida cresceu além de nossa capacidade de pagar e finalmente tivemos que contar a verdade a nossos pais. Foi só depois que isso aconteceu mais de uma vez, depois de ter sido repreendido e punido várias vezes, que eu finalmente acordei para a realidade e parei de jogar. Felizmente, pude refazer meus estudos e concluir o ensino médio com sucesso.

O autor fez o melhor que pôde para ajudar um amigo que estava sofrendo pesadas perdas com apostas de futebol. Mas dar-lhe dinheiro não era a resposta
O autor fez o melhor que pôde para ajudar um amigo que estava sofrendo pesadas perdas com apostas de futebol. Mas dar-lhe dinheiro não era a resposta

 

Lealdade mal orientada

Quando entrei na universidade, em 2000, aos 18 anos, decidi estudar engenharia naval e estava determinado a ser um estudante sério. No entanto, no meu segundo ano, a problemática do jogo reapareceu quando um dos meus amigos do antigo “time de futebol” começou a se meter em mais e mais problemas com seu esporte.

Depois de se casar, o autor (à direita) continuou a colocar a amizade acima de tudo, muitas vezes "desaparecendo", logo que recebia um telefonema de um de seus amigos
Depois de se casar, o autor (à direita) continuou a colocar a amizade acima de tudo, muitas vezes “desaparecendo”, logo que recebia um telefonema de um de seus amigos

Meu amigo estava sofrendo pesadas perdas financeiras, e devido aos princípios de bondade e lealdade profundamente enraizados em minha mente desde que eu era criança, fui ajudá-lo da melhor forma que eu pude.

O colapso das amizades do autor foi uma perda traumática que o afetou profundamente. Foi então que ele se lembrou de uma conversa com um ex-colega sobre fé e espiritualidade e do livro que o colega lhe enviara
O colapso das amizades do autor foi uma perda traumática que o afetou profundamente. Foi então que ele se lembrou de uma conversa com um ex-colega sobre fé e espiritualidade e do livro que o colega lhe enviara

Eu peguei o dinheiro que era para pagar minhas mensalidades e o usei para ajudar meu amigo. Eu também penhorei minha moto e outros pertences para conseguir mais dinheiro. No final, me endividei profundamente.

Eu estava preocupado pois corria risco de ser expulso da escola. A única solução era desabafar nos ombros da minha mãe.

Para minha surpresa, depois de ouvir minha confissão, minha mãe não me censurou nem me puniu. Em vez disso, em lágrimas, ela silenciosamente me deu dinheiro para pagar minha dívida e me aconselhou a me concentrar em meus estudos.

Pela primeira vez, senti o peso total da culpa e da vergonha. Reconheci que não era um filho de piedade filial e percebi a seriedade do que fizera. Eu prometi a mim mesmo que isso nunca aconteceria novamente.

No entanto, na época, eu não entendia realmente o impacto que minha tendência de colocar a amizade em um pedestal, acima de tudo, tinha na minha família.

 

Fim da amizade

Eu me formei na universidade em 2005 e me casei em 2010, mas minha esposa logo descobriu que tinha um marido que “desaparecia” toda vez que recebia um telefonema de um de seus amigos. Ela chorava muitas vezes devido à solidão porque eu ficava muito tempo longe de casa.

No fundo do meu coração e em todos os meus pensamentos, sempre colocava a amizade como a maior prioridade. Eu vi minha atitude como de lealdade sincera e pureza absoluta. Foi por isso que estava disposto a assumir enormes dívidas para ajudar meu amigo. Eu teria sacrificado minha vida por um amigo.

Então, mais tarde, em 2010, quando essas amizades entraram em colapso, vi o poder que o dinheiro tinha sobre as pessoas e como a ganância pode deixar pouco espaço para a consciência e a consideração dos outros. No entanto, deixar o grupo foi uma perda traumática que me afetou profundamente. Isso deixou um buraco no meu coração e eu fui tomado pela tristeza, pela depressão e pela solidão.

 

Recordando minha fé

O autor realizando a meditação sentada do Falun Dafa em um parque
O autor realizando a meditação sentada do Falun Dafa em um parque

 

O autor com seu filho de 3 anos em 2014
O autor com seu filho de 3 anos em 2014

 

Na época em que eu estava mais deprimido, lembrei-me de um livro que recebi no início daquele ano de um ex-colega de confiança que tinha em comum comigo o interesse pela fé e pela espiritualidade.

Nós nos conhecemos em 2005 quando ele veio ao meu escritório em uma viagem de negócios e acabamos passando uma noite inteira discutindo esses tópicos.

Então, não muito antes de minhas amizades acabarem, ele me ligou para dizer que sinceramente desejava se reconectar comigo e compartilhar comigo sua busca para encontrar respostas para as questões espirituais que havíamos discutido naquela noite. Ele disse que encontrou as respostas verdadeiras e me enviaria um livro para ler.

“Leia tudo”, disse ele. “Se você entender ou não, não desanime. As profundas implicações se manifestarão se você perseverar na leitura do livro com uma mente calma.”

Encontrando significado na vida

Esse livro, Zhuan Falun, contém os principais ensinamentos de uma antiga disciplina espiritual chinesa chamada Falun Dafa, que ensina que os princípios fundamentais do universo são verdade, compaixão e tolerância. O Falun Dafa também inclui cinco séries de exercícios meditativos, quatro realizados em pé e um sentado.

Depois de receber Zhuan Falun do meu ex-colega, li uma vez muito rapidamente e achei que de fato respondia a muitas das perguntas que eu tivera desde a infância. Mas depois guardei, pensando que precisava de mais tempo para amadurecer e considerar profundamente seus princípios.

A versão vietnamita do Zhuan Falun, o principal livro de ensinamentos da tradicional disciplina espiritual chinesa Falun Dafa
A versão vietnamita do Zhuan Falun, o principal livro de ensinamentos da tradicional disciplina espiritual chinesa Falun Dafa

Relembrando isso, e o telefonema com meu colega, peguei o livro novamente para lê-lo pela segunda vez. Desta vez, descobri que isso realmente me despertou, ajudando-me a entender o sentido da vida e a causa raiz de tudo o que as pessoas enfrentam, ainda que pareça ser bom ou ruim na superfície.

Eu então tive um sonho vívido de renascer como uma rocha em um vale, sentindo o sol, o vento e a grama ao meu redor. Um profundo sentimento de pesar e angústia tomou conta de mim, sem saber quando eu seria libertado daquela reencarnação.

Acordei encharcado de suor, mas sentindo-me esmagadoramente feliz por ser apenas um sonho. Naquele momento, eu estava determinado a praticar o Falun Dafa. Eu não tinha dúvidas de que era o precioso caminho verdadeiro para elevar os seres humanos à iluminação e ao estado de Buda, onde eles teriam a vida eterna e seriam libertados do ciclo de reencarnação.

Caráter moral elevado

Desde então, eu fiz o meu melhor para ser diligente ao ler Zhuan Falun e fazer os exercícios diariamente e também estudar os outros escritos do fundador do Falun Dafa, o Sr. Li Hongzhi.

Minha visão de mundo inteira mudou. Seguindo os princípios de Verdade, Compaixão e Tolerância do Falun Dafa, tenho me esforçado para melhorar meu caráter moral e me tornar uma pessoa melhor em todas as áreas da minha vida.

Eu não culpo mais os outros se algo der errado, mas rapidamente olho para dentro para tentar entender como eu poderia ter desempenhado um papel melhor, e então ajustar meus próprios pensamentos e comportamentos.

Eu tenho menos conflitos com os outros, incluindo minha esposa. Eu parei constantemente de sair para ficar com amigos como no passado, mas geralmente ajudo minha esposa em casa. Meu filho nasceu em 2011, e eu levo regularmente ele e minha esposa para visitar nossos pais e avós idosos de ambos os lados da família, e todos estão mais felizes e nossos relacionamentos se tornaram mais harmoniosos.

Mantendo os princípios do Dafa em respeito à tribulação

Quando encontrei uma situação difícil no trabalho em 2015, foram os princípios do Falun Dafa que me ajudaram a encontrar uma resolução benevolente.

Fui responsável por um importante projeto nacional que envolveu uma grande carga de trabalho, incluindo tarefas novas para minha empresa. Subestimamos os desafios e não estávamos preparados. Com a pressão e as críticas acumuladas, a negatividade tomou conta e muitos membros da equipe começaram a se culpar.

Muitas vezes começava a trabalhar às 5 da manhã e não terminava até as 22h. ou até 3 da manhã do dia seguinte.

Sem tempo e energia adequados para ler o livro do Falun Dafa, fiquei cansado, irritado e deprimido, e comecei a reclamar e a culpar os outros.

Um dia, meu diretor no projeto, ele mesmo sob grande pressão, me pediu para realizar uma tarefa adicional, e quando expliquei que já estava sobrecarregado, ele descartou minhas preocupações.

No começo fiquei chocado. Então me lembrei que era praticante do Falun Dafa e que queria ser um bom modelo para meu filho, para que ele crescesse e se tornasse um praticante genuíno também. Então eu rapidamente olhei para dentro para tentar entender o que eu poderia ter feito de errado, o que poderia ter levado a esse comentário do meu diretor.

O autor estudando Zhuan Falun enquanto seu filho realiza a meditação sentada do Falun Dafa ao lado dele
O autor estudando Zhuan Falun enquanto seu filho realiza a meditação sentada do Falun Dafa ao lado dele

.
Deixei de lado minhas preocupações sobre o projeto e ponderei calmamente sobre o incidente. Eu percebi que minha mente não estava calma. O pensamento de estar ocupado, ocupado, ocupado estava constantemente me perturbando. Fiz um esforço para abandonar esse pensamento.

Comecei então a fazer uma prioridade na leitura do Zhuan Falun todos os dias. Eu também decidi que não recusaria qualquer trabalho, mas simplesmente faria um compromisso para completá-lo dentro de um prazo razoável e depois seguiria adiante. Milagrosamente, logo depois disso, tive a oportunidade de aprender uma série de novos métodos de trabalho e estratégias de gerenciamento de tempo extremamente eficazes.

Então, seguindo os ensinamentos do Falun Dafa para considerar os outros antes de si mesmo, eu me coloquei no lugar do meu diretor e tentei entender as coisas do ponto de vista dele. Ao mesmo tempo, fiz o meu melhor para cumprir minhas tarefas atribuídas. Parecia que meu diretor reconhecia meu esforço incondicional, quando vi sua atitude em relação a mim aos poucos mudar para se tornar mais compreensiva.

Depois disso, um membro da equipe de outro grupo foi transferido para meu projeto para adicionar suporte e, embora a carga de trabalho continuasse pesada, nossa coordenação como empresa foi muito boa, todo o nosso ambiente de trabalho havia mudado claramente.

A empresa do autor lhe concedeu um certificado de mérito e o promoveu depois que ele liderou uma equipe que concluiu com sucesso um grande projeto
A empresa do autor lhe concedeu um certificado de mérito e o promoveu depois que ele liderou uma equipe que concluiu com sucesso um grande projeto

Nós completamos com sucesso o projeto, e todos estavam felizes e expressaram a esperança de que um grande projeto semelhante viria em nosso caminho no novo ano. Minha empresa me outorgou um certificado de mérito e me promoveu a um novo cargo com maior responsabilidade.

“A felicidade vem quando deixamos ir”

Fiquei muito comovido com essa experiência. Percebi que o melhor resultado me espera se eu sempre mantiver os princípios de Verdade, Compaixão e Tolerância em meu coração e aplicá-los em todos os meus pensamentos e ações, enquanto ao mesmo tempo olhando para dentro, pensando nos outros primeiro e deixando ir de egoísmo. Eu vi que a felicidade vem ao deixar ir ao invés de se agarrar a noções que estão nos mantendo presos.

O autor realizando a meditação sentada do Falun Dafa
O autor realizando a meditação sentada do Falun Dafa

Eu também me iluminei para outra camada de significado dentro da Verdade-Compaixão-Tolerância: quando sou sincero, gentil, paciente e feliz, um novo horizonte aparece trazendo consigo possibilidades benevolentes para melhorar e se elevar.

Nguyen Anh Duc vive no Vietnã.

Nota do editor:

O Falun Dafa é uma prática de cultivo da mente e do corpo que ensina a verdade, a compaixão e a tolerância como uma forma de melhorar a saúde e o caráter moral e alcançar a sabedoria espiritual.

Para mais informações sobre a prática, visite www.falundafa.org. Todos os livros, música de exercícios, recursos e instruções estão disponíveis gratuitamente.