Programa Mundial de Alimentos pede ajuda a multimilionários para salvar vidas

Por Agência EFE

O Programa Mundial de Alimentos ((PMA), reconhecido este ano com o Prêmio Nobel da Paz, fez nesta sexta-feira um pedido inédito aos multimilionários do mundo, para que ajudem a salvar vidas diante da crise causada pela pandemia de Covid-19, que pode levar agravar o problema da fome em dezenas de países.

“Peço aos multimilionários que nos ajudem agora. A humanidade precisa de ajuda agora, e este é um pedido único”, disse o diretor executivo do PMA, David Beasley, em entrevista coletiva virtual nesta sexta-feira, Dia Mundial da Alimentação.

“O mundo está em uma encruzilhada e precisamos que os multimilionários colaborem como nunca o fizeram antes”, acrescentou Beasley.

Durante o evento, o diretor do PMA também lembrou que as pessoas mais ricas dos Estados Unidos acumulam, juntas, uma fortuna equivalente a US$ 1 trilhão e fez referência aos enormes lucros obtidos pelas grandes empresas do setor de tecnologia graças à pandemia, que, por outro lado, ameaça a segurança alimentar de milhões de pessoas.

De acordo com um relatório publicado recentemente pelo Institute for Policy Studies, os 643 americanos mais ricos aumentaram seus patrimônios em US$ 845 bilhões entre 18 de março e 15 de setembro deste ano.

“Por que não podemos usar parte desse dinheiro? Não preciso de US$ 1 trilhão, só de alguns bilhões de dólares para salvar milhões de vidas, para salvar a humanidade de uma das maiores catástrofes desde a Segunda Guerra Mundial”, argumentou o especialista.

“Não é pedir muito. Senhor, tenha misericórdia. Se você passar de um patrimônio líquido de 500 bilhões para um de 495 bilhões, acho que você não terá que se privar de uma refeição”, disse ele.

Beasley, voltou recentemente de uma visita ao Sahel, região no norte da África que inclui territórios de países como Gâmbia, Senegal, Mauritânia, Mali, Burkina Faso, Argélia, Níger, Nigéria, Camarões, Sudão e Eritreia, entre outros, e destacou as dificuldades enfrentadas pela população local, assim como pelos cidadãos de outros Estados, como Iêmen, Afeganistão e Síria.

Além disso, ele afirmou que as doações dos países-membros do PMA, que em 2019 foi de US$ 8,4 bilhões, pode ser comprometida pela pandemia, já que “os países ricos destinaram US$ 17 bilhões a pacotes de estímulo para resgatar suas próprias economias”.

No início da semana, o Programa Mundial de Alimentos lançou uma convocatória para arrecadar US$ 6,8 bilhões nos próximos seis meses para combater a fome, mas só recebeu US$ 1,6 bilhão em doações até agora.

No dia 9 de outubro, a agência da ONU foi anunciada como vencedora do Prêmio Nobel da Paz 2020 “por seus esforços no combate à fome, por sua contribuição para melhorar as condições de paz em áreas afetadas por conflitos e por atuar como uma força motriz nos esforços para prevenir o uso da fome como arma de guerra. e conflito”, segundo o comitê que outorga o reconhecimento.

 

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
 
 

Após eleições, política comercial dos EUA com a China será mais do mesmo, dizem especialistas

Após eleições, política comercial dos EUA com a China será mais do mesmo, dizem especialistas
Os Estados Unidos mudaram suas relações com o regime comunista chinês, e as relações comerciais estão destinadas, após ...
Leia Mais >
 

NASA escolhe Nokia para construir rede de telefonia móvel na Lua

NASA escolhe Nokia para construir rede de telefonia móvel na Lua
A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) dos Estados Unidos escolheu a empresa de tecnologia Nokia para ...
Leia Mais >
 

Trump: conta em banco chinês?

Trump: conta em banco chinês?
Por NTD Notícias A eleição americana se aproximando destaca os negócios de cada candidato, particularmente com a China. ...
Leia Mais >
 

Sócio de Hunter Biden afirma que falou com Joe Biden sobre acordo com China

Sócio de Hunter Biden afirma que falou com Joe Biden sobre acordo com China
O ex-parceiro de negócios de Hunter Biden disse na quinta-feira que se encontrou com o ex-vice-presidente Joe Biden ...
Leia Mais >