Mais Menos
Professora aposentada descobre caminho milagroso após uma vida miserável e sofrida

Por NTD Inspired

Os assassinos atiraram no meu avô três vezes e depois, quando ele estava perto da morte, cortaram-lhe a cabeça.

Então eles colocaram um gancho de ferro em seu peito e arrastaram seu corpo pelo chão por cerca de 100 metros antes de jogá-lo em um buraco que havia sido cavado para ele.

Depois do assassinato, eles confiscaram todas as terras e pertences da minha família e não nos deixaram nada, nem mesmo uma tigela de arroz.

Isso ocorreu em 1954 no Vietnã, quando eu tinha apenas 3 anos de idade.

Meu avô era proprietário de terras e tinha um negócio de sucesso na indústria de molhos de peixe. Ele era um homem gentil e honesto que sempre tratava os outros com generosidade, incluindo seus empregados e seus parentes. No entanto, ele foi denunciado e morto com tal crueldade simplesmente por ser um latifundiário, uma vítima da chamada “reforma agrária” no Vietnã do Norte de 1953 a 1956.

O avô da autora foi morto por ser um senhor de terras durante a chamada "reforma agrária" no Vietnã do Norte, de 1953 a 1956
O avô da autora foi morto por ser um senhor de terras durante a chamada “reforma agrária” no Vietnã do Norte, de 1953 a 1956

Depois que minha mãe me contou a trágica história de como meu avô morreu, a imagem horrível de seu assassinato violento me assombrou por décadas.

O luto e o sofrimento da minha família continuaram muito depois da morte de meu avô, pois as pessoas da nossa comunidade nos tratavam friamente e basicamente nos evitavam. Vivíamos na pobreza e os anos da minha infância foram cheios de dor e de miséria. Mais tarde, várias doenças começaram a me atormentar.

Mas quando eu tinha 61 anos, o céu finalmente se abriu para mim trazendo um grande presente que me levou a um caminho de saúde e felicidade.

A autora aos 66 anos, em 2017
A autora aos 66 anos, em 2017

Eu sou grata por ter vivido uma vida gratificante e livre de doenças nos últimos cinco anos, e acredito que a forma como consegui isso deve ser compartilhada com o maior número de pessoas possível. Ao contar minha história, espero que aqueles que a lerem também tenham a oportunidade de se beneficiar desse presente que melhorou minha vida de maneiras inimagináveis.

A perda de meu pai

Depois da perda horrenda do meu avô, minha mãe me ensinou a ser uma boa aluna para que eu pudesse escapar de nossas circunstâncias agonizantes.

Mas ela não imaginava que uma tragédia estava prestes a acontecer. Meu pai morreu de envenenamento quando eu tinha 10 anos, deixando minha mãe sozinha para criar minha irmã mais nova. Mas ela perseverou, trabalhando duro para ganhar a vida para nos apoiar.

Eu estava determinada a seguir seus conselhos para que eu pudesse construir um futuro melhor para todos nós. Durante o ensino médio eu acordava às 3 da manhã todas as manhãs para chegar na escola a tempo. A viagem de ida e volta era de 25 quilômetros e eu andava descalça, já que não tínhamos dinheiro para comprar sapatos.

Durante o ensino médio, a autora acordava às 3 da manhã todas as manhãs para caminhar 25 quilômetros até a escola. Sua família era pobre e ela tinha que andar descalça, mesmo no inverno
Durante o ensino médio, a autora acordava às 3 da manhã todas as manhãs para caminhar 25 quilômetros até a escola. Sua família era pobre e ela tinha que andar descalça, mesmo no inverno

No inverno, havia dias em que o tempo estava extremamente frio. Eu ficava congelada, mas isso não me impediu de ir à escola, nunca esquecendo que minha mãe também estava sem sapatos enquanto trabalhava para nos sustentar.

Impedida de ir à faculdade

No meu último ano do ensino médio, minha mãe conseguiu alugar um quarto para mim em uma casa mais próxima da escola. Isso reduziu distância que eu tinha que andar diariamente de 25 para 12 quilômetros.

Os donos da casa também me davam as refeições diárias e eu comia a mesma comida que eles comiam. Eles eram tão pobres que alguns dias a nossa comida consistia apenas de pó grosso batido de arroz assado, e eu tinha que beber água junto com ele para conseguir engolir e não me engasgar.

Depois de trabalhar duro para conseguir boas notas no ensino médio, apesar das condições de vida muito difíceis, a autora ficou arrasada quando seu pedido na faculdade foi rejeitado porque seu avô tinha sido um proprietário de terras
Depois de trabalhar duro para conseguir boas notas no ensino médio, apesar das condições de vida muito difíceis, a autora ficou arrasada quando seu pedido na faculdade foi rejeitado porque seu avô tinha sido um proprietário de terras

Apesar de tais condições de vida escassas, eu me destaquei em meus estudos e me formei com a segunda maior nota em minha província. No entanto, meu sonho de frequentar a faculdade foi frustrado quando fui informada que não seria aceita porque eu era neta de um fazendeiro.

Todas as minhas esperanças acabaram e eu estava muito triste para ir ver meus amigos. Eu não tive escolha a não ser reprimir meus sentimentos e ir em uma direção diferente. Para ganhar a vida, me matriculei na formação de professores e me tornei professora de escola secundária.

Perdendo minha mãe

A tragédia aconteceu novamente quando minha mãe adoeceu e morreu. Ela se casou aos 40 anos e morreu dez meses depois de dar à luz meu meio-irmão.

A coisa mais triste de todas, e que me causa muito arrependimento, era que eu fui incapaz de cuidar dela enquanto ela estava doente, e nem sequer tive a chance de vê-la pela última vez antes de morrer.

Eu tinha 23 anos na época, uma jovem professora casada há pouco mais de um ano. De repente, a responsabilidade recaiu sobre mim ao ter que apoiar minha irmã de 18 anos e criar meu irmãozinho.

Atormentada com doenças

Talvez tenha sido devido à pobreza contínua e às feridas mentais que eu passei a sentir que a doença começou a se manifestar em meu corpo. Isso começou logo após os meus 50 anos, em 2001.

A autora em 2000, aos 49 anos, antes do surgimento de múltiplas doenças
A autora em 2000, aos 49 anos, antes do surgimento de múltiplas doenças

Alguns anos depois, em 2005, várias doenças começaram a me atormentar de uma só vez, incluindo artrite, problemas cardíacos com dor torácica intensa, problemas estomacais e insônia. Eu tinha que tomar cinco tipos de medicação diariamente e não ficava um mês sem ir ao hospital. O fardo da dívida de nossa família aumentou e mais doenças surgiram, sem nenhum alívio à vista.

Mais tarde naquele ano, soube que minha filha de 24 anos tinha uma doença grave. Foi um golpe particularmente devastador que piorou meu sofrimento.

Percebi que a pobreza não era a coisa mais assustadora, mas um tormento emocional. Tendo experimentado ambos, minha dor e desespero se acumularam e meu sofrimento se tornou imenso como uma montanha.

Em meio a inúmeras lágrimas e noites sem dormir, muitas vezes eu queria morrer para escapar da minha miséria. No entanto, eu não estava destinada a morrer. Aconteceram duas vezes em que quase fui atingida por um carro que se aproximava, mas em ambas as vezes o motorista parou a tempo.

Um raio de esperança

Vivi mais de uma década com muitas doenças mas uma porta se abriu oferecendo-me uma promessa de um novo e brilhante caminho a seguir. Eu só precisava decidir atravessar.

Em 2012, um velho amigo me contou sobre uma prática que ajudava as pessoas a adquirirem uma mente e um corpo saudáveis, além de melhorar seus valores morais. No começo eu só ouvia e não acreditava nele, achando que era bom demais para ser verdade.

O que ele me disse parecia muito milagroso. Tratava-se de uma disciplina espiritual tradicional chinesa dos tempos antigos chamada Falun Gong, ou Falun Dafa, que consiste em meditação, exercícios de qigong e ensinamentos centrados nos princípios da Verdade, Compaixão e Tolerância.

"Mais de uma década após o início das minhas diversas doenças uma porta se abriu oferecendo a promessa de um novo e brilhante caminho. Eu só precisava decidir atravessá-lo"
“Mais de uma década após o início das minhas diversas doenças uma porta se abriu oferecendo a promessa de um novo e brilhante caminho. Eu só precisava decidir atravessá-lo”

Ele me contou sobre como alguém de sua aldeia, que estava paralítico, foi capaz de se levantar e andar depois de ler Zhuan Falun, o principal livro de ensinamentos do Falun Dafa. Então houve um paciente cujo câncer desapareceu e assim por diante. Mas a prática não se concentrava no tratamento de doenças, ele disse, explicando que a chave era melhorar o caráter moral de alguém seguindo os ensinamentos, o que, por sua vez, levava a muitas questões a serem resolvidas.

No final, sua seriedade me convenceu a dar uma chance ao Falun Dafa. E essa foi, de fato, a primeira vez na minha vida que tive boa sorte.

A autora fazendo a meditação sentada do Falun Dafa em 2017, aos 66 anos
A autora fazendo a meditação sentada do Falun Dafa em 2017, aos 66 anos

Grandes mudanças em minha mente e corpo surgiram depois que comecei a seguir os princípios ensinados no Zhuan Falun e a fazer os exercícios e a meditação do Falun Dafa. O livro resolveu todas as perguntas que eu tinha sobre a minha vida e todas as provações e tribulações pelas quais passei. Minhas lágrimas amargas e o ressentimento em meu coração se dissiparam, junto com meu ódio por aqueles que prejudicaram a mim e a minha família. E parei de ficar pensando na morte todas as noites.

Além disso, as doenças que me deixavam tão infeliz também desapareceram. Eu não sofria mais de dores no peito e a artrite, a doença do estômago e a insônia também desapareceram.

Fé na bondade

Recentemente, eu tive a oportunidade de retornar à minha cidade natal e visitar minha antiga escola secundária, bem como a escola secundária onde lecionei durante meus últimos anos como professora antes da aposentadoria.

Eu disse aos meus antigos colegas e amigos sobre como o Falun Dafa transformou minha vida, e todos ficaram felizes por mim. Eu também fiquei feliz por eles porque muitos deles queriam aprender a prática e sentir sua bondade por si mesmos.

"Estou grata que o destino da minha vida tenha incluído a prática do Falun Dafa, permitindo-me recuperar de uma doença e finalmente viver uma vida pacífica e satisfatória"
“Estou grata que o destino da minha vida tenha incluído a prática do Falun Dafa, permitindo-me recuperar de uma doença e finalmente viver uma vida pacífica e satisfatória”

Eu desfruto de mais de cinco anos sem problemas de saúde, e passei a entender muitas coisas sobre a vida que eu não conhecia antes. Estou grata que o destino da minha vida tenha incluído a prática do Falun Dafa, permitindo-me recuperar de uma doença e finalmente viver uma vida pacífica e satisfatória.

Eu desejo que os outros não se limitem ao conhecimento que adquiriram, mas que estejam abertos a novas descobertas. Espero que os outros tenham fé na bondade inerente aos valores tradicionais que guiaram as pessoas desde os tempos antigos. Quando eu embarquei no caminho guiado pela Verdade, Compaixão e Tolerância, minha vida entrou em uma nova fase e me levou para o futuro brilhante que me esperava.

Pham Thi Lan vive no Vietnã.

Nota do editor:

O Falun Dafa é uma prática de cultivo da mente e do corpo que ensina a verdade, a compaixão e a tolerância como uma forma de melhorar a saúde e o caráter moral e alcançar a sabedoria espiritual.

Para mais informações sobre a prática, visite www.falundafa.org. Todos os livros, música de exercícios, recursos e instruções estão disponíveis gratuitamente.