Pompeo pretende aumentar pressão sobre Maduro durante sua turnê pela América Latina

Por Jesús de León, Epoch Times

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, iniciou nesta quinta-feira uma turnê pela América Latina com o duplo objetivo de aumentar a pressão sobre o ditador venezuelano Nicolás Maduro e fortalecer sua aliança com outros países a fim de enfrentar os governos de Cuba e Nicarágua.

“A visita do secretário reforçará os compromissos compartilhados com a democracia e os direitos humanos, destacará o aumento das oportunidades de prosperidade e segurança para nossos cidadãos e obterá apoio para a democracia na Venezuela”, disse o Departamento de Estado em um comunicado.

A viagem do chefe da diplomacia americana ocorre em um momento de grande importância na grave crise enfrentada pela Venezuela, onde coexistem o regime ditatorial de Nicolás Maduro e o democrático do presidente Juan Guaidó, reconhecido como tal por, entre outros, os Estados Unidos, dezenove países da União Europeia, incluindo a Espanha, e a maioria dos países do Hemisfério Ocidental, incluindo os onze latino-americanos do chamado Grupo de Lima.

Em declarações à imprensa, um membro de alto escalão do Departamento de Estado considerou que a América Latina está passando por um “momento crítico” em relação à Venezuela, Nicarágua e Cuba, três países onde os Estados Unidos querem promover “o retorno à democracia” e os quais ele chamou de “troika da tirania”.

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (dir.), se encontra com o presidente do Chile, Sebastián Piñera (esq.) nesta sexta-feira, em sua chegada ao Palácio de La Moneda, em Santiago (Chile). Pompeo inicia uma visita à região que o levará pelo Chile, Paraguai e Cúcuta, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela (Alberto Valdés/EFE)
Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (dir.), se encontra com o presidente do Chile, Sebastián Piñera (esq.) nesta sexta-feira, em sua chegada ao Palácio de La Moneda, em Santiago (Chile). Pompeo inicia uma visita à região que o levará pelo Chile, Paraguai e Cúcuta, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela (Alberto Valdés/EFE)

Em sua turnê, que termina na próxima segunda-feira, Pompeo planeja visitar o Chile, o Paraguai, o Peru e a cidade colombiana de Cúcuta, na fronteira com a Venezuela e onde os Estados Unidos mantêm armazéns com alimentos e suprimentos médicos para refugiados e migrantes venezuelanos.

Em Cúcuta, o ministro das Relações Exteriores visitará esses armazéns e se reunirá com algumas das organizações que ajudam os venezuelanos a deixar o país, explicou o funcionário mencionado.

Venezuelanos cruzam a ponte internacional bloqueada Simón Bolívar em Cúcuta, na Colômbia, na fronteira com a Venezuela, enquanto outros observam das margens do rio Táchira, em 2 de abril de 2019 (SCHNEYDER MENDOZA / AFP / Getty Images)
Venezuelanos cruzam a ponte internacional bloqueada Simón Bolívar em Cúcuta, na Colômbia, na fronteira com a Venezuela, enquanto outros observam das margens do rio Táchira, em 2 de abril de 2019 (SCHNEYDER MENDOZA / AFP / Getty Images)

A mesma fonte não descartou a possibilidade de que Pompeo irá aproveitar sua “breve parada” em Cúcuta, prevista para o dia 14, para se encontrar com um dos representantes de Guaidó, que assumiu o cargo de presidente encarregado da Venezuela em janeiro e conquistou o apoio de 54 nações, dentre elas dos Estados Unidos.

No entanto, esse funcionário explicou que o objetivo “principal” da visita a Cúcuta é “chamar a atenção para o que está acontecendo” naquela localidade, um dos principais pontos de saída dos refugiados e migrantes venezuelanos.

Segundo dados publicados em fevereiro pela ONU, atualmente existem 3,4 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos no mundo, dos quais 2,7 milhões estão na América Latina.

A agenda oficial de Pompeo começou hoje (12), com uma reunião com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, e o ministro das Relações Exteriores, Roberto Ampuero, com quem discutirá iniciativas para intensificar a “forte relação econômica bilateral” e melhorar a cooperação em questões de ciência e tecnologia.

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (esq.), se encontra com o presidente do Chile, Sebastián Piñera (esq.) nesta sexta-feira, em sua chegada ao Palácio de La Moneda, em Santiago (Chile). Pompeo inicia uma visita à região que o levará pelo Chile, Paraguai e Cúcuta, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela (Alberto Valdés/EFE)
Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (esq.), se encontra com o presidente do Chile, Sebastián Piñera (esq.) nesta sexta-feira, em sua chegada ao Palácio de La Moneda, em Santiago (Chile). Pompeo inicia uma visita à região que o levará pelo Chile, Paraguai e Cúcuta, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela (Alberto Valdés/EFE)

O Chile é um líder regional com uma economia aberta, fortes instituições democráticas e um sólido estado de direito, o que o torna um dos países mais prósperos da região.

As reuniões no Chile têm como objetivo destacar a liderança regional do país, e os fortes laços econômicos bilaterais, as associações bilaterais em ciência e tecnologia e a cooperação em questões de segurança, inclusive em assuntos relacionados à cibernética.

Essa visita a Santiago do Chile ocorrerá apenas três dias antes de uma reunião, na mesma cidade, entre chanceleres do Grupo de Lima para abordar a crise venezuelana.

Depois do Chile, Pompeo viajará ao Paraguai, na que será a primeira visita de um secretário de Estado dos Estados Unidos desde 1965.

“O Paraguai e os Estados Unidos compartilham uma profunda aliança e cooperam para combater o crime transnacional e o financiamento do terrorismo na Tríplice Fronteira”, compartilhada por Argentina, Paraguai e Brasil, informou o Departamento de Estado.

No Paraguai, Pompeo vai abordar, junto com o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, e seu homólogo do país, Luis Castiglioni, a luta contra a corrupção e as relações com Taiwan, que tem no Paraguai seu único aliado na América do Sul e é parceira estratégica de Washington.

A questão da Venezuela também estará na mesa porque o Paraguai decidiu romper relações diplomáticas com o país e fechar sua embaixada pouco depois de Maduro ser reinvestido como presidente em 10 de janeiro, resultado de eleições questionadas pela comunidade internacional.

Nesse mesmo dia, Pompeo também falará sobre a Venezuela com o presidente do Peru, Martín Vizcarra, e com o ministro das Relações Exteriores do Peru, Néstor Popolizio.

Em particular, os três líderes falarão sobre o apoio do Peru aos refugiados venezuelanos, sua liderança no Grupo de Lima e outras questões bilaterais, como a luta contra o narcotráfico, a mineração ilegal e o tráfico de pessoas.

Pompeo terminará sua viagem ao Peru com um jantar com os líderes empresariais dos Estados Unidos naquele país.

O governo de Donald Trump foi o primeiro a reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela em 23 de janeiro e, desde então, tomou várias medidas para pressionar Maduro, incluindo sanções contra a empresa Petróleos de Venezuela (Pdvsa), principal fonte de divisas para Caracas.

Maduro representa uma “ameaça real”

O secretário de Estado, Mike Pompeo, afirmou esta semana que Nicolás Maduro representa uma “ameaça real” à segurança dos Estados Unidos, devido às suas alianças com Irã, Cuba e Rússia.

“Eu não acho que existe qualquer dúvida de que o regime de Maduro representa uma ameaça à segurança dos Estados Unidos”, disse Pompeo em uma audiência perante um comitê do Senado.

Com informações da Agência EFE

 
 
 

Rússia compete com China por vendas de armas ao Paquistão

Rússia compete com China por vendas de armas ao Paquistão
Durante anos, Pequim tem sido o maior fornecedor de armas para Islamabad, possuindo as compras de defesa como ...
Leia Mais >
 

Autoridades chinesas exigem instalação de câmeras de vigilância dentro de casas alugadas

Autoridades chinesas exigem instalação de câmeras de vigilância dentro de casas alugadas
Na China, o medo orwelliano de um Estado "Grande Irmão" está se tornando realidade, já que os cidadãos ...
Leia Mais >
 

Deputado acha que educação em tempo integral é adequada para o Brasil e pede debate

Deputado acha que educação em tempo integral é adequada para o Brasil e pede debate
Nesta terça-feira (23/4), a Comissão de Educação promove seminário para debater educação em tempo integral, na Câmara dos ...
Leia Mais >
 

Misterioso círculo gravado no gelo aparece em lago no planalto tibetano (Vídeo)

Misterioso círculo gravado no gelo aparece em lago no planalto tibetano (Vídeo)
Um círculo com um estranho desenho apareceu durante a noite no gelo do lago Qinghai, no planalto tibetano ...
Leia Mais >