Mike Pence se encontra com representantes de grupos religiosos perseguidos na China

Por Stephen Gregory

WASHINGTON-Representantes de três grupos religiosos perseguidos na China, juntamente com outros defensores da liberdade religiosa, se reuniram com o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, e representantes do Conselho Nacional de Segurança no gabinete do vice-presidente, no prédio do Gabinete Executivo em 5 de agosto. Eles discutiram como o regime chinês está suprimindo a religião na China e como reagir à essa perseguição.

Bob Fu, fundador e presidente da organização cristã de direitos humanos ChinaAid, falou sobre o monitoramento das igrejas cristãs na China.

Omer Kanat, diretor do Projeto de Direitos Humanos Uigur, relatou a situação em Xinjiang, onde o Departamento de Estado dos Estados Unidos estima que cerca de 1 milhão de muçulmanos uigures foram detidos em campos de concentração para doutrinação política.

De acordo com um relato da reunião publicada no site da ChinaAid, Fu pediu ao governo Trump que fizesse uso da “Lei Global de Responsabilidade dos Direitos Humanos Magnitsky” para sancionar as principais autoridades chinesas envolvidas na perseguição religiosa, incluindo o chefe do Partido Comunista Chinês de Xinjiang, Chen Quanguo, pelo tratamento dos uigures. A lei permite que os Estados Unidos retirem o visto de qualquer pessoa ou entidade envolvida em corrupção profunda ou, de acordo com a Sec. 3, Cláusula (1) do ato, “é responsável por execuções extrajudiciais, tortura ou outras violações brutais dos direitos humanos”.

Jeff Chen, vice-presidente de advocacia da Associação Falun Dafa de Washington, falou sobre a perseguição ao Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, uma prática de meditação com ensinamentos espirituais que tem sido perseguida pelo regime chinês desde julho de 1999.

Chen disse que falou com vice-presidente: “A perseguição ainda é severa. Nos últimos 20 anos, identificamos mais de 4.000 pessoas que morreram de tortura ou outros abusos físicos. Devido ao bloqueio de informações, o número real seria muitas vezes maior. A colheita de órgãos já dura quase 20 anos também. O número de vítimas é muito alto”.

Pence respondeu de maneira séria, dizendo: “Não vamos esquecer vocês [Falun Gong]. Eu prometo”, lembrou Chen.

De acordo com o relatório da ChinaAid, Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, propôs que o governo dos Estados Unidos pressionasse a China para estender um convite à Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional e ao Embaixador Geral dos Estados Unidos para a Liberdade Religiosa Internacional, Sam Brownback. Moore disse que as autoridades dos Estados Unidos devem ter acesso irrestrito ao Tibete e Xinjiang durante a viagem, conforme mencionado no relatório.

Enquanto isso, Greg Mitchell, co-presidente da Mesa Redonda da Liberdade Religiosa Internacional, sugeriu que o governo dos Estados Unidos solicitasse abertamente a libertação de prisioneiros de consciência específicos na China. A mesa redonda foi convocada durante a Reunião Ministerial de 2018 para promover a liberdade religiosa, a maior conferência mundial sobre liberdade religiosa, organizada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos.

David Curry, CEO da Open Doors USA, um grupo de defesa de cristãos perseguidos, pediu que o Departamento de Estado designasse novamente a China como um País de Preocupação Particular em seu relatório anual sobre liberdade religiosa. Tal status destacaria o abuso de direitos humanos da China e permitiria ao presidente impor uma gama mais ampla de sanções contra o regime chinês, disse ele, segundo a ChinaAid.

Randel Everett, presidente da organização cristã de direitos humanos 21Wilberforce, enfatizou a importância de apoiar a liberdade na internet e as tecnologias que permitam que os cidadãos chineses contornem o grande firewall do regime chinês, de acordo com a narrativa de eventos de Chen.

Enquanto isso, Yang Jianli, fundador da Citizen Power Initiatives for China, um grupo que defende a democracia na China, informou que muitas organizações de direitos humanos relacionadas à China recentemente forçaram o Congresso dos Estados Unidos a promulgar leis para sancionar empresas, americanas e chinesas, que ajudarem o Partido Comunista Chinês a construir sistemas de vigilância.

Depois que o vice-presidente deixou a reunião, o grupo continuou discutindo a importância de acabar com a perseguição religiosa na China.

Yuhua Zhang, uma praticante do Falun Gong, fala com o presidente Donald Trump durante uma reunião com sobreviventes da perseguição religiosa de 17 países, no Salão Oval da Casa Branca, em 17 de julho de 2019 (Shealah Craighead / Casa Branca)

Chen disse que não somente os perseguidos são vítimas, mas todos os chineses.

A fim de perseguir o Falun Gong, o sistema legal foi distorcido no intuito de sentenciar os praticantes do Falun Gong, disse Chen. A liberdade religiosa é garantida pela constituição chinesa.

Enquanto isso, autoridades chinesas que estavam dispostas a continuar com a perseguição foram promovidas e, consequentemente, impulsionaram a corrupção. O resultado foi um profundo declínio no nível de moralidade na China, disse Chen.

A reunião no escritório de Pence foi a mais recente iniciativa da administração Trump para defender a liberdade religiosa. Na Segunda Reunião Ministerial para o Avanço da Liberdade Religiosa, realizada de 16 a 18 de julho, Brownback descreveu a supressão de pessoas de fé como uma crise global. Um painel em particular destacou a perseguição religiosa na China.

Em 17 de julho, no Salão Oval, o presidente Donald Trump se reuniu com um grupo de sobreviventes da perseguição religiosa, incluindo quatro da China: Jewher Ilham, um muçulmano uigur; Yuhua Zhang, praticante do Falun Gong; Nyima Lhamo, um budista tibetano; e Manping Ouyang, um cristão.

Siga Stephen no Twitter: @StephenEpoch

 
 
 

Brian May, Guitarrista do Queen, diz que Shen Yun é ‘encantador e esclarecedor’

Brian May, Guitarrista do Queen, diz que Shen Yun é ‘encantador e esclarecedor’
LONDRES - Para o lendário guitarrista e compositor do Queen, Brian May, Shen Yun foi uma noite “encantadora”. ...
Leia Mais >
 

Autoridades dos EUA e da UE se pronunciam contra prisões de ativistas de Hong Kong

Autoridades dos EUA e da UE se pronunciam contra prisões de ativistas de Hong Kong
Os Estados Unidos e as autoridades europeias manifestaram alarme ao saber das detenções de vários ativistas pró-democracia de ...
Leia Mais >
 

Esconderijos na fronteira: um fenômeno oculto e deplorável

Esconderijos na fronteira: um fenômeno oculto e deplorável
As casas esconderijo são usadas há décadas para manter humanos e contrabando nos dois lados da fronteira sudoeste, ...
Leia Mais >
 

EUA anunciam medida para manter imigrantes ilegais detidos por mais tempo

EUA anunciam medida para manter imigrantes ilegais detidos por mais tempo
O governo dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (21) um plano destinado a permitir a detenção das famílias ...
Leia Mais >