PCC cerceia capitalismo de livre mercado dos EUA, afirma executivo de Hollywood

Por Jan Jekielek, Frank Fang

A enorme influência da China sobre Hollywood e outras indústrias americanas é uma séria ameaça aos Estados Unidos, alertou um antigo executivo e produtor de cinema de Hollywood.

“Temos que descobrir como fazer o capitalismo proceder após deveres patrióticos. A capacidade de criar uma base sólida para uma nação que permite que o capitalismo de livre mercado floresça ”, disse Chris Fenton, em uma entrevista recente para American Thought Leaders da Epoch TV. Fenton é o autor de “Alimentando o dragão: Por dentro do dilema de um trilhão de dólares que enfrenta Hollywood, a NBA e as empresas americanas”.

“Se continuarmos permitindo que ele se deteriore, nossa forma de capitalismo se parecerá mais com a forma de capitalismo do Partido Comunista Chinês”, disse ele a seguir.

O enorme mercado da China era muito atraente para os estúdios de Hollywood, que tinham de 60 a 90% de suas bilheterias na China antes de 2019, de acordo com Fenton. O número caiu para cerca de 32 por cento em 2019, antes de cair para cerca de 16 por cento no ano passado, em meio à pandemia global.

Mesmo nos últimos anos de queda, a China ainda contribuiu significativamente para os lucros dos estúdios de cinema dos Estados Unidos. Por exemplo, o filme de 2019 do Marvel Studio, “Vingadores: Endgame”, arrecadou cerca de US$ 629 milhões na China, em comparação com sua bilheteria doméstica de US $ 853 milhões. Marvel Studio é propriedade de Walt Disney .

A influência do PCC nas empresas e indústrias americanas é melhor exemplificada pelas ações retaliatórias do regime comunista contra a NBA, de acordo com Fenton.

No final de 2019, o então CEO do Houston Rockets, Daryl Morey, acessou o Twitter para expressar seu apoio aos manifestantes pró-democracia de Hong Kong. Sua ação irritou o regime chinês, e as emissoras estatais chinesas pararam de transmitir jogos da NBA, empresas chinesas cortaram laços com a liga e produtos da NBA e Rockets foram retirados das vitrines das lojas. As perdas econômicas foram enormes para a NBA.

“Isso mostra a quantidade de influência e dependência que nossas indústrias e empresas têm das receitas da China, dos lucros da China e da história de crescimento da China que devem contar a seus acionistas e investidores.

O regime chinês também é conhecido por punir seus críticos. Recentemente, censurou o filme Nomadland, que ganhou o prêmio de melhor filme no 93º Oscar, porque sua diretora, a ganhadora do Oscar Chloé Zhao, criticou o regime comunista em uma entrevista em 2013.

Naquele ano, Zhao disse à revista Filmmaker sediada em Nova Iorque que sua China natal era “um lugar onde havia mentiras por toda parte” enquanto ela crescia. Ele agora mora em Ojai, Califórnia.

Como resultado, há preocupações de que outro filme dirigido por Zhao, “Eternals” da Marvel, possa não ser lançado na China, de acordo com Fenton.

“Se isso se traduzir em uma retaliação que afeta a Disney naquele nível, o que acabará afetando a propriedade intelectual da Marvel em geral e afetará seu parque temático, você percebe as ramificações que surgem quando se fala sobre algo que é crítico ao Partido Comunista Chinês, ”Fenton explicou.

No ano passado, o regime chinês também tomou contra-medidas após enfrentar as críticas internacionais por uma adaptação de imagens reais da Disney de “Mulan”.

Houve pedidos de boicote a Mulan depois que o filme aproveitou os créditos finais para agradecer a várias agências governamentais chinesas, incluindo um escritório de polícia na região de Xinjiang, no extremo oeste da China. O escritório da polícia foi incluído na lista negra do Departamento de Comércio dos EUA em 2019 por seu envolvimento na repressão do regime em Xinjiang, onde mais de um milhão de uigures e outras minorias muçulmanas estão sendo mantidos em campos de internamento.

“O Partido Comunista Chinês essencialmente controlou a bilheteria do filme que, suspendeu a promoção e comercialização do filme na China, e até mesmo levou para longe da Disney os direitos expansão para o parque temático de Hong Kong”, disse Fenton.

Para se defender da influência chinesa, Fenton disse que os Estados Unidos precisam redescobrir suas raízes, que garantem a economia de livre mercado americana.

“O capitalismo de livre mercado que passamos a amar e apreciar não pode prosperar sem uma nação forte. A nação tem que ser mais forte do que o dinheiro faz. Deve ser construído com base em princípios, valores e direitos que nos são caros. Coisas pelas quais somos apaixonados, pelas quais iríamos para a guerra e pelas quais fomos para a guerra ”, explicou.

“O que eu quero é que o país em que meus filhos estão crescendo seja a nação que pensei que era quando estava crescendo e que acredito que pode ser para meus filhos. Mas agora, estamos permitindo que o dinheiro e esse silêncio tomem conta da nossa maneira de agir. Não é quem somos como povo ”.

Siga Jan no Twitter: @JanJekielek
Siga Frank no Twitter: @HwaiDer

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 

 
 
 

Extração forçada de órgãos do regime chinês pode se espalhar para outros países, alerta diretor de ONG

Extração forçada de órgãos do regime chinês pode se espalhar para outros países, alerta diretor de ONG
O regime comunista chinês exportaria sua prática horrível de extração forçada de órgãos assim que fosse capaz de ...
Leia Mais >
 

Reforço Pfizer COVID-19 não deve ser aplicado aos que se vacinaram com J&J e Moderna, afirma oficial da FDA

Reforço Pfizer COVID-19 não deve ser aplicado aos que se vacinaram com J&J e Moderna, afirma oficial da FDA
A vacina de reforço COVID-19 da Pfizer não deve ser administrada àqueles que já receberam vacinas feitas pela ...
Leia Mais >
 

Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU

Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU
Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU. Altos-oficiais de governos e instituições diversas têm ...
Leia Mais >
 

General americano faz telefonemas secretos para a China

General americano faz telefonemas secretos para a China
Um dos maiores generais americanos está com problemas. Uma reportagem diz que ele ligou secretamente para seu correspondente ...
Leia Mais >