Pais de Illinois lutam para banir livro com sexo explícito das escolas

Por Cara Ding 

DOWNERS GROVE, Illinois – Terry Newsome, pai de dois calouros do ensino médio em um subúrbio de Chicago com tendências democratas, nunca compareceu às reuniões do conselho escolar local. Isso, até cinco meses atrás.

Newsome estava ocupado trabalhando como vice-presidente associado em um provedor de serviços de informações globais com sede em Paris. Ele também estava lutando contra dois tipos de câncer, um deles no estágio quatro do câncer de próstata.

Após sobreviver àquele câncer, sua mãe italiana, uma católica devota, afirmou a ele: “Bem, filho, você deve ter sido mantido nesta terra para alguma coisa”.

Cerca de sete meses atrás, seu filho, então na 8ª série, voltou da escola e afirmou a Newsome: “Pai, meu professor acabou de nos dizer que não existe o sonho americano. Que ele não está lá para todos, então não é real”.

Newsome, um descendente de imigrantes europeus que viveram o sonho americano, ficou chocado ao ouvir isso.

Ele ligou para o diretor e contatou os pais, os quais abriram seus olhos para o que está acontecendo nas escolas públicas.

“Eu fiquei assim, ‘Oh meu Deus, eu já ouvi o que aconteceu na 8ª série, mas vai piorar no ensino médio’”.

Em julho, Newsome participou de sua primeira reunião do conselho escolar na Downers Grove’s Community High School (Distrito 99).

Devido ao limite de 20 pessoas, várias pessoas foram impedidas de participar da reunião do conselho escolar de dezembro do Community High School District 99, em 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)
Devido ao limite de 20 pessoas, várias pessoas foram impedidas de participar da reunião do conselho escolar de dezembro do Community High School District 99, em 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)

Ele expressou suas opiniões sobre questões polêmicas, como teoria racial crítica e exigências de máscara. Logo, ele emergiu como um porta-voz não oficial de um grupo preocupado de mães, em sua maioria.

“As mães estão muito felizes por ter um pai agressivo e com personalidade tipo A para se juntar a elas. A maioria delas travou essa batalha sozinhas, contra o gigantesco sistema de escolas públicas”, afirmou Newsome ao Epoch Times.

Semanas atrás, Newsome e seu grupo se encontraram em uma luta nacional para banir uma história em quadrinhos, com cenas explícitas de sexo, das escolas.

‘Gênero não binário’ e guerra cultural

O livro, de autoria de Maia Kobabe, é chamado de “Gender Queer: A Memoir”(Gênero não binário: livro de memórias), que narra a jornada de Kobabe crescendo como uma pessoa não binária e assexuada. Em várias páginas, Kobabe desenhou cenas de sexo explícito entre duas pessoas. Algumas legendas também contêm mensagens sexuais.

Kobabe era frequentemente questionada durante as turnês do livro sobre as idades recomendadas para os leitores, e a resposta quase sempre era: “Ensino médio e superior”.

Essa é uma opinião apoiada pelo School Library Journal, principal editor nacional para bibliotecários que trabalham com crianças e adolescentes.

A editora conta com mais de 6.000 resenhas todos os anos, e sua resenha de 2019 do livro de Kobabe afirma:

“Um livro para ser saboreado em vez de devorado, este livro de memórias terá repercussão entre os adolescentes.”

À medida que mais e mais bibliotecas escolares em todo o país abriam as portas para os livros de Kobabe, um grupo crescente de pais, preocupados com o conteúdo sexual, lutou para bani-los dos locais de aprendizagem de seus filhos.

Vozes preocupadas podem ser ouvidas em Nova Jersey, Texas e Ohio. Vários distritos escolares na Flórida, Pensilvânia e Alasca proibiram os livros nas escolas.

Em Fairfax County, no norte da Virgínia, o epicentro das questões para os alunos LGBTQ, os livros de Kobabe foram retirados, mas logo devolvidos, às bibliotecas escolares.

No D99, os livros de Kobabe também levaram mais pais a juntarem-se à luta, de acordo com Christine Martin.

O filho de Martin era estudante na Downers Grove North High School.

Durante anos, Martin apareceu em uma reunião do conselho escolar após a outra, questionando mudanças que ela não gostava.

“Os pais estão finalmente subindo ao pódio para declarar aos conselhos escolares, administração escolar, professores, que o que estão ensinando na escola não é aceitável”, relatou Martin ao Epoch Times.

“Está crescendo cada vez mais. É muito popular.”

“E nós temos pais de ambos os lados. Isso não é uma coisa democrata e republicana; o que está sendo ensinado é uma coisa democrata progressista e liberal”, afirmou ela.

ANTIFA e ameaça

Em 15 de novembro, na reunião mensal do D99, o novo auditório da escola estava lotado com cerca de 200 participantes, muitos pais segurando cartazes que anunciavam “Proibido pornografia”.

Newsome e vários pais expressaram suas preocupações quanto aos livros de Kobabe.

Tanto os Proud Boys quanto os membros da ANTIFA estavam lá, de acordo com os pais presentes na reunião.

Os membros da ANTIFA tiraram fotos de pais falando abertamente e as postaram em suas contas de mídia social.

Um pai, Jim DeVitt, recebeu um telefonema ameaçador de uma pessoa desconhecida após alguns dias.

 Uma conta de mídia social ANTIFA publicou uma imagem de Jim DeVitt se pronunciando contra “gênero não binário” na reunião do conselho escolar de novembro, em Downers Grove, em Illinois (Cortesia de Terry Newsome)
Uma conta de mídia social ANTIFA publicou uma imagem de Jim DeVitt se pronunciando contra “gênero não binário” na reunião do conselho escolar de novembro, em Downers Grove, em Illinois (Cortesia de Terry Newsome)

Isso deixou a esposa de Newsome muito preocupada. Ela perguntou a Newsome: “Por que você tem que fazer isso? Você está nos colocando em risco”.

Newsome afirmou: “Eu realmente sinto que estamos em uma guerra pelo futuro de nossos filhos em nosso país”.

Ela então perguntou: “Por que você?”

Newsome afirmou: “Se todos na América questionarem, ‘Por que eu?’ Não teremos mais uma América”.

“Pense naqueles jovens de 18 anos que juntaram-se ao exército e lutaram pela América. Eles voltaram em uma cadeira de rodas sem braços e pernas, ou morreram. Bem, por que eles?” ele adicionou.

Após uma semana da reunião do conselho, Newsome e outro pai sentaram-se com bibliotecários e diretores escolares para discutir os livros de Kobabe.

A conversa com os diretores

De acordo com as normas do conselho escolar, qualquer aluno, pai ou membro da comunidade pode solicitar uma reconsideração dos materiais educacionais usados ​​no D99.

No formulário de solicitação do Newsome, na seção de razões para objeções, ele escreveu: “O livro é pornografia infantil. Veja as fotos. Se alguma criança vir este livro, o resultado será dar a ela acesso à pornografia infantil”.

Isso foi exatamente o que Newsome afirmou aos administradores e diretores da biblioteca na reunião.

Newsome declarou que não é contra livros que retratam adolescentes que se identificam com identidades de gênero incomuns. Ele afirmou que simplesmente não se sentia confortável com as cenas sexuais dos livros.

Quando Kim Pakowski, a diretora da biblioteca da Downers Grove South High School da D99, afirmou a Newsome que ela não tinha uma definição formal de pornografia infantil, Newsome mostrou a ela uma impressão de uma definição do dicionário Merriam-Wester que ele havia preparado, de acordo com as atas oficiais da reunião obtidas pelo Epoch Times.

Pakowski então se concentrou na intenção da autora. Ela afirmou que a intenção da pornografia era fornecer excitação sexual, mas a intenção deste livro era diferente – era mostrar as experiências e jornadas únicas da autora.

Ela relatou que recomendou adicionar “Cinquenta Tons de Cinza” às estantes. Mais tarde, ela decidiu não fazê-lo, devido à intenção sexual do autor.

 Policial do lado de fora da reunião do conselho escolar do Community High School District 99, no dia 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)

Policial do lado de fora da reunião do conselho escolar do Community High School District 99, no dia 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)

“Cinquenta Tons de Cinza” apareceu três vezes na lista anual dos dez primeiros da American Library Association de livros proibidos e contestados devido a conteúdo sexualmente explícito.

Nas duas escolas de segundo grau do D99, os bibliotecários tomam as decisões sobre a seleção dos livros.

Após a reunião, os dois diretores do ensino médio, Courtney DeMent e Edward Schwartz, anunciaram sua decisão ao Newsome por e-mail: Nós concordamos que o livro “Gender Queer” (Gênero não binário) deve permanecer em nossas bibliotecas.

O livro dirigiu-se a um grupo único de alunos e recebeu críticas positivas de organizações autorizadas, relatou o e-mail. Os gráficos também ajudaram os leitores relutantes a encontrar alegria na leitura, acrescentaram, de acordo com um e-mail obtido pelo Epoch Times.

“Os alunos têm a opção de ler este livro ou não; aqueles que o fizerem, e acharem desagradável, podem devolvê-lo e [com sorte] selecionar outro livro para ler”, escreveram eles.

Em 1º de dezembro, Newsome levantou a questão com o superintendente do D99, Hank Thiele.

Thiele respondeu a Newsome que não se deve esperar que bibliotecários comentem sobre a definição legal de pornografia; aquele era o trabalho de um advogado, de acordo com um e-mail obtido pelo Epoch Times.

Thiele falou com os advogados do conselho escolar e acredita que os livros não são pornografia, declarou ele em um e-mail.

Após a acalorada reunião da diretoria em novembro, os administradores do D99 mudaram a reunião de dezembro do novo e espaçoso estádio para uma pequena sala comunitária em um antigo prédio administrativo.

 Noel Manley conseguiu um assento na reunião do conselho escolar de dezembro, no dia 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)
Noel Manley conseguiu um assento na reunião do conselho escolar de dezembro, no dia 13 de dezembro de 2021 (Cara Ding / Epoch Times)

Continue soando o tambor

Apenas 20 pessoas foram autorizadas a comparecer. Dois policiais de Downers Grove e um segurança escolar foram designados para estar presentes na reunião do conselho.

Em 13 de dezembro, no dia da reunião, Noel Manley, um pai que participou ativamente da reunião do conselho escolar local por 10 anos, chegou uma hora e meia antes para ter certeza de que teria a chance de segurar o microfone.

Essa seria a última reunião do conselho escolar do ano da D99, e Manley queria usar os três minutos dados a cada comentarista público para resumir as questões do ano, incluindo os livros de Kobabe.

Manley não achava que os administradores da D99 tirariam os livros de Kobabe das prateleiras.

Ainda assim, a questão pode levar os pais a apoiar candidatos com ideias semelhantes nas próximas disputas do conselho escolar, afirmou Manley ao Epoch Times.

“Você tem que soar o tambor constantemente para fazer as pessoas votarem nestas questões”, declarou Manley.

Quanto a Newsome, ele não compareceu à reunião de dezembro. Ele foi a um evento de apoio a um candidato local ao congresso, Rob Cruz, que segue uma agenda educacional que converge com Newsome.

“Eu vou fazer a diferença? Talvez sim, talvez não”, declarou.

“Mas eu tenho que pelo menos tentar. Não posso continuar pensando que nem tentei ajudar o futuro dos meus filhos.”

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN
Enquanto a Suécia e a Finlândia avançam com seus planos de ingressar na OTAN, o presidente russo, Vladimir ...
Leia Mais >
 

DESTRUIÇÃO CULTURAL DO OCIDENTE: ENTREVISTA

DESTRUIÇÃO CULTURAL DO OCIDENTE: ENTREVISTA
Douglas Murray é o autor do livro “A Guerra Contra o Ocidente”. Ele descreve como, nas suas palavras, ...
Leia Mais >
 

MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA NO CAMBOJA EXPÕE ATROCIDADES – PARTE 2

MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA NO CAMBOJA EXPÕE ATROCIDADES – PARTE 2
Na terça-feira você conheceu a história de Nal Oum, um sobrevivente do genocídio comunista no Camboja. Em 1975, ...
Leia Mais >
 

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO
Vazam mais vídeos de funcionários do twitter afirmando um viés esquerdista na plataforma. Um funcionário fala da Síndrome ...
Leia Mais >