Partido Comunista Chinês tem destruído o melhor da China

Por Equipe do Epoch Times

Partido Comunista Chinês (PCC) tomou precauções estritas em seus preparativos para marcar seu 100º aniversário. Pequim é fortemente protegida. As lojas de facas são obrigadas a pedir identidade e relatar as informações dos clientes à polícia. Restaurantes em áreas restritas foram forçados a fechar suas portas. O PCC está prendendo pessoas que vão a Pequim e bloqueando qualquer conta de mídia social que possa não exibir suficiente autocensura.

O PCC pode parecer forte por fora, mas, na realidade, está extremamente nervoso. Apesar de décadas de controle rígido e lavagem cerebral, o povo chinês está bem ciente de que o sistema comunista é contra a natureza humana e não durará muito.

Desde sua conquista da China, o PCC matou cerca de 80 milhões de chineses. Durante sua existência, ele nunca parou suas campanhas para expurgar diferentes grupos, sempre escolhendo um novo grupo para atingir. Seus alvos principais têm sido aqueles que representam o melhor do povo chinês e de sua cultura.

Na década de 1950, o PCC tomou propriedade de donos de terras, confiscou negócios privados de proprietários de negócios e matou milhões a quem chamavam de “capitalistas”. Muitas de suas vítimas eram as mais bem-educadas e bem-sucedidas da sociedade chinesa – geralmente aquelas que transmitiam o melhor da cultura chinesa, transmitido a eles por meio de uma longa história familiar.

Um proprietário de terras chinês é executado por um soldado comunista em Fukang, China (Domínio público)

O povo chinês tem uma longa tradição de lealdade à família e ao cônjuge. Quando os oficiais do PCC chegaram às cidades, eles se divorciaram de suas esposas e se casaram com as garotas da cidade. Os chineses também tinham uma longa história de respeito e apoio aos que viviam em templos. Mas o PCC forçou os monges a se casar.

Todos os países comunistas passaram fome, sendo este um resultado inevitável do sistema comunista. Na China, estima-se que a Grande Fome de 1958 a 1962 tenha matado cerca de 40 milhões de pessoas. Em milhares de casos, as pessoas caíram na loucura e se voltaram para o canibalismo.

Existe uma dessas histórias que é amplamente conhecida. Um pai e seus dois filhos, um menino e uma menina, foram os únicos que sobraram na casa da fazenda. Um dia, o pai expulsou a filha de casa. Quando a garota voltou, seu irmão havia desaparecido. Havia uma camada de espuma branca flutuando na panela e um osso havia sido jogado pelo fogão. Alguns dias depois, o pai colocou água na panela e pediu à filha que viesse. A menina ficou com tanto medo que se escondeu atrás da porta, chorando e implorando: “Pai, não me coma. Vou cuidar da grama e manter o fogo para você. Se você me comer, ninguém trabalhará para você”.

A China tem uma história de 5.000 anos de civilização. Na maior parte desse tempo, a China causou inveja aos países vizinhos. As pessoas eram civilizadas e levavam vidas elegantes. Até reis de outros países escolheram ficar e até morrer na China. O comunismo, entretanto, trouxe fome, pobreza e uma guerra sem fim contra o povo chinês.

Os chineses têm uma tradição de ser extremamente respeitosos com os idosos, mostrando respeito a seus pais, avós e professores. “Um dia meu professor, meu pai por toda a vida”, como diz o velho ditado – quem me ensina por um dia é meu pai por toda a vida.

No entanto, na década de 1960, durante a Revolução Cultural, os adolescentes foram encorajados por funcionários comunistas a bater em seus pais e professores. Só em Pequim, mais de mil professores foram espancados até a morte por seus alunos. Quando jovem, Bo Xilai – o futuro prefeito da super cidade de Chongqing que iria visitar os Estados Unidos como um oficial de alto escalão – pisou no peito do pai, quebrando várias costelas. Esse tipo de ato era inédito durante 5.000 anos de história chinesa.

O PCC usou adolescentes para vasculhar as casas de civis e destruir antiguidades, obras de arte e objetos tradicionais que encontraram, bem como obras de arte públicas, templos e assim por diante – qualquer coisa que pudesse lembrar as pessoas da cultura tradicional chinesa.

A cultura chinesa sempre foi considerada divinamente inspirada. Mas a ideologia comunista é contra a humanidade e contra a natureza humana. Qualquer coisa que represente a cultura e os princípios tradicionais é um obstáculo para fazer cumprir sua ideologia.

Quadros do Partido Comunista penduram um cartaz no pescoço de um chinês durante a Revolução Cultural de 1966. As palavras no cartaz indicam o nome do homem e o acusam de ser membro da “classe negra” (Domínio público)

Depois de usar adolescentes para destruir objetos tradicionais e derrubar oponentes políticos, o PCC enviou esses mesmos adolescentes para o interior remoto para serem “educados”. Isso evitou uma revolução potencial e as demandas deles por empregos. Esses jovens enfrentaram muitos anos de dor e desespero.

O PCC também fechou universidades e enviou intelectuais ao campo para fazer trabalhos agrícolas para “reeducação”. Muitos músicos tiveram suas mãos arruinadas por trabalhos forçados. Inúmeros escritores, artistas, professores, engenheiros, cientistas, importantes especialistas e elites culturais – as pessoas que tradicionalmente carregam o conhecimento, as habilidades e o espírito cultural de um país – cometeram suicídio.

Pior de tudo, quando o PCC chegou ao poder, ele baniu a religião, descartando-a como um “ópio do povo”. Ele usa o ateísmo para destruir a crença das pessoas em Deus, tirando a crença das pessoas nos padrões morais.

A campanha de perseguição religiosa mais severa do PCC tem como alvo os praticantes do Falun Gong. Em termos de escala e gravidade da perseguição, ela é sem precedentes, tendo como alvo 100 milhões de praticantes da disciplina espiritual, bem como suas famílias e amigos. O Falun Gong ensina a meditação tradicional, que tem sido uma parte essencial da tradição chinesa desde os tempos antigos, e os princípios da verdade, compaixão e tolerância.

Para levar a cabo a perseguição – que agora está entrando em seu 23º ano – o líder do PCC, Jiang Zemin, promoveu qualquer um que apoiasse essa perseguição, forçando as pessoas a se oporem à verdade, compaixão e tolerância. Ao promover as pessoas que se opunham ao bem, o PCC colocou aqueles que eram mais capazes de cometer o mal nos cargos mais altos da sociedade chinesa.

A praticante do Falun Gong Chi Lihua e sua filha Xu Xinyang seguram duas fotos “antes e depois da tortura” do marido de Chi e do pai de Xu, Xu Dawei. Ele foi condenado a oito anos por praticar o Falun Gong na China, quando sua esposa estava grávida. Depois que ele foi libertado, sua filha de 8 anos o viu pela primeira vez, mas apenas por 13 dias, antes de ele morrer em decorrência dos ferimentos sofridos durante as severas torturas que sofreu na prisão. Xu Xinyang está agora com 16 anos (Jennifer Zeng / The Epoch Times)

A extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong – por meio da qual indivíduos saudáveis ​​são mortos para que seus órgãos sejam vendidos com lucro – tem sido apoiada e realizada por militares, polícia, tribunais, hospitais e sistema prisional. Como resultado, o país inteiro se tornou moralmente falido.

Uma vez que o PCC começou a lucrar matando praticantes do Falun Gong por seus órgãos, ele não pôde mais parar seu negócio de matar para obter lucro. Essa prática continuou na província de Xinjiang.

A destruição das tradições chinesas, o dano ao padrão moral e a perseguição de pessoas de fé foram os maiores crimes do PCC.

O Partido matou mais pessoas na China do que o número de pessoas que morreram nas duas guerras mundiais juntas. Além de matar, fez todos os esforços para destruir o espírito, a cultura e a dignidade do povo chinês. Ciente de que é inimigo do povo, o PCC sempre esteve em crise existencial.

É por isso que quando os principais líderes do PCC falam em eventos de aniversário, eles sempre tentam fazer um apelo forte e parecem representar o povo chinês. Na verdade, o PCC tomou o povo chinês como refém, com medo de que eles se levantassem e o derrubassem.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

 
 
 

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro
O Partido Comunista Chinês (PCC) condenou pelo menos 100 praticantes do Falun Gong à prisão em setembro, de ...
Leia Mais >
 

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC
Uma sociedade na qual todos competem por dinheiro e pela chance de mudar seus destinos; Onde excluídos têm ...
Leia Mais >
 

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares
À medida que mais e mais pais vão aos conselhos escolares locais para reclamar sobre a teoria crítica ...
Leia Mais >
 

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan
Pelo menos 46 morreram após um incêndio “extremamente severo” em Taiwan. Ocorrido dentro de um prédio de 13 ...
Leia Mais >