Mercado de ações aquece após trégua tarifária comercial

Por Reuters

As ações americanas subiram depois que os Estados Unidos e a China concordaram com uma trégua de 90 dias em sua disputa comercial, proporcionando um aumento de 400 pontos na abertura da Dow Jones em 3 de dezembro.

Os mercados globais tiveram um impulso, com ações mundiais subindo quase 1% após a cúpula do G-20. Um acordo foi alcançado entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder chinês Xi Jinping, para adiar um aumento nas tarifas de comércio que permitirão mais tempo para suavizar a disputa de longa data.

Trump concordou em suspender os planos de aumentar as tarifas depois que a China concordou em comprar rapidamente uma quantidade significativa de produtos americanos, incluindo produtos agrícolas, de energia, industriais e outros, para reduzir o déficit comercial norte-americano com a China.

A China começará a comprar produtos agrícolas de agricultores dos Estados Unidos imediatamente.

“Os agricultores serão um beneficiário muito grande e rápido do nosso acordo com a China. Eles pretendem começar a comprar produtos agrícolas imediatamente. Nós fazemos o melhor e mais limpo produto do mundo e é isso que a China quer. Agricultores, eu te amo!” disse Trump em seu Twitter em 3 de dezembro de 2018.

Os dois lados também concordaram em conversar nos próximos 90 dias para resolver questões de preocupação levantadas pelos Estados Unidos com relação à proteção da propriedade intelectual, barreiras comerciais não-tarifárias e roubo cibernético.

Embora a trégua tenha o potencial de estabilizar os mercados até o final do ano, as duas maiores economias do mundo ainda precisam elaborar um acordo comercial duradouro.

A Dow Jones Industrial Average subiu 287,97 pontos, ou 1,13%, para 25.826,43, o S & P 500 subiu 30,2 pontos, ou 1,09%, para 2.790,37, e a Nasdaq Composite acrescentou 110,98 pontos, ou 1,51%, para 7.441,51.

Corretores fazem uma pausa para um momento de silêncio no pregão da Bolsa de Nova York (NYSE) em memória do ex-presidente George H.W. Bush em N.Y. em 3 de dezembro de 2018 (Spencer Platt / Getty Images)
Corretores fazem uma pausa para um momento de silêncio no pregão da Bolsa de Nova York (NYSE) em memória do ex-presidente George H.W. Bush em N.Y. em 3 de dezembro de 2018 (Spencer Platt / Getty Images)

Os ganhos nas empresas de tecnologia ajudaram a elevar o mercado. A fabricante de chips AMD subiu 9,3%.

As ações de energia também subiram com os preços do petróleo que se elevaram mais de 5%. Os futuros do petróleo bruto dos Estados Unidos fecharam em US$ 52,95 por barril, um aumento de 3,97%. Os futuros do petróleo Brent fixaram-se em US$ 61,69 por barril, com alta de 3,75%.

O ouro atingiu seu nível mais alto em um mês e os metais industriais e outras commodities, como o algodão, também se valorizaram.

A Casa Branca disse que as tarifas atuais de 10% sobre bens chineses, de US$ 200 bilhões, serão aumentadas para 25% se nenhum acordo for alcançado dentro dos 90 dias.

Jeremy Sandberg contribuiu para este relatório.

 
 
 

Trump critica censura de criadores de conteúdo conservadores no Social Media Summit

Trump critica censura de criadores de conteúdo conservadores no Social Media Summit
O presidente Donald Trump reuniu-se com um grupo de criadores de conteúdo conservadores na Casa Branca para discutir ...
Leia Mais >
 

XXV Foro de São Paulo começa dia 25 de julho, na Venezuela; veja o que deverá ser debatido no evento

XXV Foro de São Paulo começa dia 25 de julho, na Venezuela; veja o que deverá ser debatido no evento
Apoiada pelo regime cubano, a Venezuela vai sediar o XXV Encontro do Foro de São Paulo entre 25 ...
Leia Mais >
 

México receberá 6 mil médicos cubanos, apesar dos cortes de AMLO no setor de saúde

México receberá 6 mil médicos cubanos, apesar dos cortes de AMLO no setor de saúde
O México assinou um acordo de cooperação com o regime cubano para levar médicos cubanos ao país como ...
Leia Mais >
 

MPF entra com Ação para impedir que Facebook censure usuários sem motivo

MPF entra com Ação para impedir que Facebook censure usuários sem motivo
Nesta quinta-feira (11), o Ministério Público Federal de Goiás entrou com Ação Civil Pública (ACP) com pedido de ...
Leia Mais >