Maduro mostra vídeo falso de ataque a rede elétrica plagiando imagens de Hollywood (Vídeo)

Por Jesús de León, Epoch Times

A Venezuela tem enfrentado grandes apagões desde o dia 7 de março, o que Nicolás Maduro tenta justificar alegando supostos ataques externos e que o presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, explica que acontecem devido à negligência e corrupção do regime.

Jorge Rodríguez, vice-presidente de comunicações do regime, durante uma longa conferência revelou o suposto ataque à rede elétrica nacional e mencionou que dois franco-atiradores dispararam contra algumas torres elétricas.

“Temos imagens”, ele anunciou, e em seguida mostrou um vídeo do ator Bradley Cooper no filme “American Sniper”, no qual um franco-atirador e SEAL da Marinha dos Estados Unidos realiza os disparos que correspondem ao filme, não à realidade.

Algumas vozes do país e do exterior se fizeram ouvir em resposta a essa declaração do regime.

“Segundo o regime de Maduro, Bradley Cooper era um dos franco-atiradores que causou o recente apagão”, disse o senador Marco Rubio no Twitter, acrescentando: “O que o regime de Maduro faz quando mostra fotos aéreas manipuladas tentando mostrar franco-atiradores que derrubaram a rede elétrica nacional, é um sinal de como eles zombam do povo da Venezuela”.

As fotos são falsas e os vídeos são falsos “mas o sofrimento é real”, enfatizou.

Imagem da sede do serviço de inteligência do regime (Sebin) parcialmente com energia, juntamente com outros 2 edifícios afetados por um blecaute na madrugada de sábado, 30 de março de 2019, em Caracas (Venezuela) (Miguel Gutiérrez/Agência EFE)
Imagem da sede do serviço de inteligência do regime (Sebin) parcialmente com energia, juntamente com outros 2 edifícios afetados por um blecaute na madrugada de sábado, 30 de março de 2019, em Caracas (Venezuela) (Miguel Gutiérrez/Agência EFE)

“Incrível”, exclamou o diretor da mídia venezuelana El Nacional, Miguel Henrique Otero, nas redes sociais.

Neste momento existem setores de Caracas e outros estados que permanecem sem luz, inclusive desde a semana passada.

“Neste momento mais de 14 estados da Venezuela estão sem fornecimento elétrico, e muitos mais estão sem água”, foi a última mensagem enviada por Juan Guaidó sobre a situação dos cortes de energia no país.

Testemunhas nos estados ocidentais de Zulia, Trujillo, Mérida e Falcón disseram à agência de notícias EFE que estão sem eletricidade e água desde a última sexta-feira (29).

Imagem de uma banca de legumes ao amanhecer de sábado, 30 de março de 2019, em Caracas (Venezuela) (Rayner Peña/Agência EFE)
Imagem de uma banca de legumes ao amanhecer de sábado, 30 de março de 2019, em Caracas (Venezuela) (Rayner Peña/Agência EFE)

No leste, cidades do estado de Anzoátegui, como Anaco ou Bruzual, já completaram 30 e 40 horas sem eletricidade, respectivamente, informou o governador da região, Antonio Barreto Sira, em sua conta no Twitter.

Embora não haja informações oficiais sobre a situação do restante dos estados, nas redes sociais os usuários relatam falta de luz em estados do centro do país como Aragua ou Carabobo.

No país caribenho, o racionamento de eletricidade vem sendo aplicado desde domingo, cujos detalhes não são conhecidos, ordenado por Nicolás Maduro após os grandes apagões registrados em março, que segundo ele foram produto de “atos terroristas” contra a principal usina hidrelétrica do país, a Guri, localizada em Bolívar (sul).

Dias atrás, em meio ao agravamento da crise na Venezuela depois de uma enorme queda de energia que afetou durante mais de 100 horas os serviços de atendimento médico, comunicações e abastecimento de água, o regime teima em responsabilizar os Estados Unidos pelo apagão, recorrendo inclusive a Hollywood para isso.

Mulher lava roupas em um riacho que desce do morro El Ávila, em Caracas, em 2 de abril de 2019. O país foi afetado por uma série de apagões devastadores que deixaram milhões de pessoas sem água (YURI CORTEZ / AFP / Getty Images)
Mulher lava roupas em um riacho que desce do morro El Ávila, em Caracas, em 2 de abril de 2019. O país foi afetado por uma série de apagões devastadores que deixaram milhões de pessoas sem água (YURI CORTEZ / AFP / Getty Images)

A representante chavista María Alejandra Díaz disse em um comunicado que os Estados Unidos foram inspirados por um vírus como o usado no filme “Duro de Matar 4” para gerar a falha de energia em todo o país.

Desde o início dos apagões, o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, negou a versão de sabotagem dada pelo regime.

“Eles roubaram tudo, eles não deram as condições para o pessoal ficar atualizado e deixaram 80% do país depender da Guri com várias turbinas que não funcionam. E agora tudo o que eles têm para mostrar é a mesma novela de que “os imperialistas nos atacaram?”, escreveu em um tweet.

Com informações da Agência EFE

 
 
 

Rússia compete com China por vendas de armas ao Paquistão

Rússia compete com China por vendas de armas ao Paquistão
Durante anos, Pequim tem sido o maior fornecedor de armas para Islamabad, possuindo as compras de defesa como ...
Leia Mais >
 

Autoridades chinesas exigem instalação de câmeras de vigilância dentro de casas alugadas

Autoridades chinesas exigem instalação de câmeras de vigilância dentro de casas alugadas
Na China, o medo orwelliano de um Estado "Grande Irmão" está se tornando realidade, já que os cidadãos ...
Leia Mais >
 

Deputado acha que educação em tempo integral é adequada para o Brasil e pede debate

Deputado acha que educação em tempo integral é adequada para o Brasil e pede debate
Nesta terça-feira (23/4), a Comissão de Educação promove seminário para debater educação em tempo integral, na Câmara dos ...
Leia Mais >
 

Misterioso círculo gravado no gelo aparece em lago no planalto tibetano (Vídeo)

Misterioso círculo gravado no gelo aparece em lago no planalto tibetano (Vídeo)
Um círculo com um estranho desenho apareceu durante a noite no gelo do lago Qinghai, no planalto tibetano ...
Leia Mais >