Japão se preocupa com atividades da marinha chinesa

Por Aldgra Fredly

O ministro da Defesa do Japão disse no dia 10 de maio que jatos chineses decolaram e pousaram em um porta-aviões mais de 100 vezes na semana passada, enquanto navegavam perto da prefeitura de Okinawa, no sudoeste.

As decolagens ocorreram no mar a uma distância de 160 quilômetros a sudoeste da ilha de Okidaito, em Okinawa, e 150 quilômetros ao sul da ilha de Ishigaki, de 3 a 7 de maio, disse o ministro da Defesa, Nobuo Kishi, a repórteres.

Kishi disse que as atividades podem fazer parte dos esforços da China para melhorar sua capacidade de operar porta-aviões e realizar operações em águas e espaços aéreos mais distantes, informou o Japan Times.

“Dado que essas atividades estão no mar e no espaço aéreo perto das ilhas japonesas Nansei e de Taiwan, devemos observar essas atividades com preocupação”, acrescentou.

Os militares chineses confirmaram em 9 de maio que os meios navais e da força aérea realizaram exercícios de 6 a 8 de maio no leste e sudoeste de Taiwan “para testar e melhorar a capacidade de operações conjuntas de vários serviços e armas”.

O Japão anunciou pela primeira vez em 3 de maio que oito navios chineses, incluindo o porta-aviões Liaoning, foram vistos navegando perto de ilhas no sul de Okinawa nos dias 1 e 2 de maio.

Os militares japoneses implantaram o porta-aviões leve Izumo para monitorar as atividades.

Taiwan também detectou a flotilha chinesa em 3 de maio e implantou sistemas de mísseis de defesa aérea para monitorar seus movimentos.

Em 9 de maio, o Estado-Maior Conjunto do Japão disse em um tweet que suas forças armadas enviaram caças em resposta a uma “suspeita de intrusão” da aeronave chinesa em seu espaço aéreo sobre o Mar do Leste da China, de 6 a 8 de maio.

Segundo o Ministério da Defesa, quatro embarcações da marinha chinesa, incluindo o Liaoning, foram avistadas nas águas a cerca de 150 quilômetros ao sul da ilha de Ishigaki, na província de Okinawa, em 7 de maio.

O ministério observou que os navios de guerra chineses eram os mesmos que foram vistos passando entre as ilhas Okinawa e Miyako de 1 a 2 de maio.

Enquanto isso, o Ministério da Defesa de Taiwan disse que 18 aeronaves chinesas, incluindo 12 caças J-11 e J-16, e dois bombardeiros H-6, foram vistos entrando em sua zona de identificação de defesa em 6 de maio, Taiwan relatou mais casos de aviões de guerra chineses entrando em seu espaço aéreo de 7 a 10 de maio.

Pequim fez sua maior incursão no espaço aéreo de Taiwan em 23 de janeiro com 39 aviões, incluindo caças e um bombardeiro.

A China reivindica a ilha autogovernada de Taiwan como parte de seu território e prometeu conquistar a ilha autônoma pela força, se necessário.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN
Enquanto a Suécia e a Finlândia avançam com seus planos de ingressar na OTAN, o presidente russo, Vladimir ...
Leia Mais >
 

MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA NO CAMBOJA EXPÕE ATROCIDADES – PARTE 2

MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA NO CAMBOJA EXPÕE ATROCIDADES – PARTE 2
Na terça-feira você conheceu a história de Nal Oum, um sobrevivente do genocídio comunista no Camboja. Em 1975, ...
Leia Mais >
 

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO
Vazam mais vídeos de funcionários do twitter afirmando um viés esquerdista na plataforma. Um funcionário fala da Síndrome ...
Leia Mais >
 

ENTREVISTA: MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA DO KHMER VERMELHO

ENTREVISTA: MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA DO KHMER VERMELHO
Em 1975, o Khmer Vermelho, uma das mais cruéis facções comunistas da história do planeta conquistou o Camboja, ...
Leia Mais >