Irmãos tentam lucrar com coronavírus mas acabam ficando com estoque parado de 17.000 produtos antibacterianos

Por Jack Phillips

Dois irmãos disseram que compraram milhares de frascos de produtos antibacterianos para as mãos na tentativa de revendê-los para obter um lucro maior em meio ao surto de coronavírus, mas desde então foram banidos de várias plataformas on-line importantes e ficaram com milhares de frascos sem lugar para descarregá-los.

De acordo com uma entrevista ao The New York Times, Matt e Noah Colvin dirigiram por Kentucky e Tennessee para pegar géis e sabões antibacterianos em um caminhão U-Haul após a primeira morte por coronavírus nos EUA ter sido relatada em 1º de março.

Eles venderam cerca de 300 garrafas de desinfetante para as mãos por entre US$ 8 e US$ 70 cada, disseram eles ao The NY Times.

“Era dinheiro louco”, disse Matt Colvin ao jornal. Eles os obtiveram da Dollar Tree, Walmart, Staples e Home Depot.

No entanto, seu esquema foi rapidamente cancelado pela Amazon e pelo eBay, que retiraram seus itens dizendo que estavam explorando os consumidores.

“A manipulação de preços é uma clara violação de nossas políticas, antiéticas e, em algumas áreas, ilegais”, afirmou a Amazon em um comunicado sobre a prática. “Além de encerrar essas contas de terceiros, congratulamo-nos com a oportunidade de trabalhar diretamente com os procuradores gerais do estado para processar maus atores”.

Agora, os irmãos têm cerca de 17.700 garrafas de desinfetante para as mãos em sua garagem.

“Foi um grande golpe”, disse Matt Colvin ao NY Times. “Estar em uma situação em que o que poderia colocar minha família em um ótimo lugar financeiramente para ‘O que diabos eu vou fazer com tudo isso?'”

Mikeala Kozlowski, uma enfermeira em Dudley, Massachusetts, criticou os irmãos e outros oportunistas depois de não ter coseguido encontrar produtos higienizantes nas lojas.

“Você é egoísta, acumula recursos para seu próprio ganho pessoal”, disse ela sobre vendedores on-line, segundo o jornal.

O NY Times também entrevistou outro vendedor on-line chamado Eric, que não revelou seu sobrenome, dizendo que eu obtive cerca de 10.000 máscaras nas lojas e as vendi por até cinco vezes o preço de varejo na loja.

“Mesmo a US$ 125 por caixa, eles estavam vendendo quase que instantaneamente”, disse ele, acrescentando que eram vendidos por cerca de US$ 20 por pacote. “Foi alucinante até onde você poderia cobrar.” Eric disse que obteve entre US$ 35.000 e US $ 40.000 em lucro.

Nos Estados Unidos, parece que antibacteriano para as mãos, produtos de limpeza, papel higiênico e água engarrafada são os itens mais procurados nos supermercados.

Dados da Universidade Johns Hopkins afirmam que cerca de 3.000 pacientes do COVID-19, a doença causada pelo vírus, foram confirmados no país.

 
 
 

Repórteres do Epoch Times são seguidos em meio à repressão em Hong Kong

Repórteres do Epoch Times são seguidos em meio à repressão em Hong Kong
Dois jornalistas da edição de Hong Kong do The Epoch Times disseram que estavam sendo seguidos por supostos ...
Leia Mais >
 

Prisão de pró-democratas

Prisão de pró-democratas
Por NTS Notícias A Famosa Torre de TV de Shanghai, que acidentalmente recebeu o mesmo nome da cidade ...
Leia Mais >
 

Colômbia proíbe teste de produtos cosméticos em animais

Colômbia proíbe teste de produtos cosméticos em animais
A Colômbia tornou-se o primeiro país da América Latina a proibir os testes cosméticos em animais por meio ...
Leia Mais >
 

Polícia de Hong Kong prende pró-democrata

Polícia de Hong Kong prende pró-democrata
Por NTD News A polícia de Hong Kong prendeu um total de dez pessoas, incluindo o magnata da ...
Leia Mais >