Igreja Russa pede que corpo de Vladimir Lenin seja removido da Praça Vermelha de Moscou

Por Jack Phillips

Já se passaram quase 100 anos desde que a Revolução Bolchevique de 1917 foi realizada, colocando um regime comunista no poder de um Estado-nação pela primeira vez na história humana.

Enquanto o primeiro líder soviético, Vladimir Lenin, governou apenas por cerca de sete anos até sua morte em janeiro de 1924, seu legado durou muito mais tempo. Após sua morte, o corpo de Lenin foi embalsamado antes de ser colocado em um prédio na Praça Vermelha de Moscou, agora conhecido como Mausoléu de Lenin, ou Tumba de Lenin. O corpo tem sido um acessório público desde então.

Agora, a Igreja Ortodoxa Russa fora da Rússia pede que o corpo de Lenin seja removido da praça.

Cerca de 10 milhões de pessoas podem ter morrido sob o regime de Lenin por fome ou perseguição. O autor vencedor do Prêmio Nobel ,Aleksandr Solzhenitsyn, em sua obra-prima de 1974 “O Arquipélago Gulag”, observou que a repressão em massa soviética começou sob Lenin e os bolcheviques—e não com Joseph Stalin. Além disso, entre 1921 e 1922, milhões morreram de fome na escassez em Povolzhye, forçando os camponeses a recorrer ao canibalismo para sobreviver. O Livro Negro do Comunismo alega que Lenin ordenou a apreensão dos alimentos cultivados pelos camponeses como forma de repressão política.

A igreja ortodoxa disse que Lenin e todas as suas imagens por toda a Rússia deveriam ser removidas.

“A libertação da Praça Vermelha dos restos mortais do principal atormentador e repressor do século 20, bem como a destruição de todos os monumentos a ele dedicados, pode se tornar um dos símbolos da reconciliação do povo russo”, diz o comunicado. de acordo com a agência de notícias estatal Interfax.

A Igreja Ortodoxa Russa fora da Rússia foi formada por padres e líderes religiosos após 1917, que fugiram do regime comunista e de sua perseguição contra todas as formas de religião.

Em um certo momento, o corpo embalsamado de Stalin foi colocado ao lado de Lenin na Praça Vermelha, mas foi removido em 1961 depois que as políticas de desestalinização do então líder Nikita Khrushchev foram implementadas.

Estima-se que o comunismo tenha matado cerca de 100 milhões de pessoas, mas seus crimes não foram totalmente compilados e sua ideologia ainda persiste. O Epoch Times procura expor a história e as crenças deste movimento, que tem sido uma fonte de tirania e destruição desde o seu surgimento.

Veja a série completa de artigos aqui.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
 
 

Grupo bipartidário pede ‘revisão abrangente’ do financiamento dos EUA para pesquisa de vírus na China

Grupo bipartidário pede ‘revisão abrangente’ do financiamento dos EUA para pesquisa de vírus na China
Um grupo bipartidário de senadores está convocando o presidente Joe Biden para garantir que os Estados Unidos concluam ...
Leia Mais >
 

Autoridades chinesas destroem barragem

Autoridades chinesas destroem barragem
Por NTD Notícias Chineses, passaram dias e noites fortificando as margens de rios para evitar inundações, apenas para ...
Leia Mais >
 

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba
O Movimento Cristão de Libertação (MCL) fundado pelo falecido Oswaldo Payá na terça-feira propôs medidas para isolar o ...
Leia Mais >
 

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.
Por NTD Notícias Evidências apontam que a catástrofe das enchentes na China vem das autoridades do Partido Comunista. ...
Leia Mais >