Guaidó denuncia Maduro por ocultar números do COVID-19 na Venezuela e pela crise da saúde

Por Anastasia Gubin

O presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, disse que a ditadura nas mãos de Nicolás Maduro está escondendo o número de casos confirmados e suspeitos de coronavírus na Venezuela, e que a situação se torna crítica para profissionais de saúde e jornalistas que relatam os eventos irregulares.

“Hoje a ditadura reconhece 42 casos (…) mas nós, não oficialmente, do observatório que gerenciamos, acreditamos que poderíamos estar falando sobre mais de 200 casos no momento na Venezuela”, disse Guaidó em entrevista ao El Nuevo Herald, antes que os números fossem aumentados para 70 casos positivos por funcionários do regime.

Guaidó também afirmou que 81% dos hospitais públicos venezuelanos não têm sabão, 82% dos domicílios não recebem água através dos canos e que o número total de leitos com respiradores em todo o país é de apenas 84.

Dados coletados pelo El Nuevo Herald de fontes do regime de Nicolás Maduro indicam que o número de casos do vírus do PCC subiu para 298 nesta segunda-feira, com 181 confirmados positivos. A área com o maior número de casos seria registrada em Zulia, que há dois dias teve 21 casos positivos, seguida por Miranda com 18 outros casos positivos mais 46 pessoas sob observação, e Caracas, com 17 casos e 29 sob observação.

O Epoch Times refere-se ao novo coronavírus chinês como o vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) porque o encobrimento e a má administração do PCC permitiram que ele se espalhasse por toda a China e criasse uma pandemia global.

Guaidó compartilhou em sua conta do Twitter a situação que as pessoas que relatam casos de coronavírus no país estão passando, se tornando vítimas.

“Estamos registrando cada uma das prisões ilegais que a FAES e a SEBIN fizeram de profissionais de saúde e pacientes com COVID-19. Em uma crise global como essa, a ditadura decidiu terminar de configurar crimes contra a humanidade, sem desculpas ou perdão possíveis”, afirmou o presidente em 20 de março.

“A ditadura aprisiona trabalhadores da saúde e sequestra cidadãos como o jornalista @DarvinsonRojas por denunciar, enquanto suas forças de parapolícia matam com a pandemia como desculpa”, acrescentou Guaidó em 22 de março, quando compartilhou uma mensagem de alerta da União Nacional de Trabalhadores da imprensa venezuelana (SNTP).

Membros da milícia bolivariana usam máscaras faciais como medida preventiva contra a propagação do vírus do PCC, enquanto vigiam na porta do Hospital Vargas em Caracas, Venezuela, em 17 de março de 2020 (CRISTIAN HERNANDEZ / AFP via Getty Images)

Segundo uma mensagem do SNTP, “a comunicação foi perdida com o jornalista Darvinson Rojas depois que ele enviou uma reportagem informando que eles estavam procurando-o após ele ter publicado alguns tweets. Gritos são ouvidos no áudio responsabilizando a FAES (Forças Armadas Especiais) pela segurança do colega e de sua família. ”

O jornalista Darvinson Rojas afirmou em sua conta no Twitter que “os chavistas estão aborrecidos por publicar números que eles estão tentando esconder” sobre os casos de coronavírus e ele compartilhou alguns comentários chavistas que o ameaçaram.

Ele havia observado anteriormente que, embora as autoridades do governo tenham relatado os 70 casos positivos de coronavírus, houve pelo menos 28 outros diagnosticados em diferentes estados que não foram incluídos. Dois deles, segundo o regime, estavam em estado crítico.

Antes de seu desaparecimento, Rojas indicou no Twitter que a FAES havia procurado por ele.

A ONG Provea informou que o regime de Maduro tem detido funcionários da saúde que também denunciam condições inadequadas de trabalho para lidar com uma epidemia de coronavírus, incluindo a enfermeira Rubén Duarte e o trabalhador Julio Molinos.

Quase 100 ONGs aderiram à exigência de respeitar os direitos humanos das autoridades de saúde nesses tempos de crise.

Há duas semanas, Huniades Urbina, presidente da Sociedade Pediátrica da Venezuela, disse à imprensa em frente ao J.M. de Los Ríos, um importante hospital infantil de Caracas, que quando as crianças adoecem com coronavírus “precisamos ter terapia intensiva (que) está fechada, cirurgia cardiovascular que está fechada, cardiologia que esta fechada, consultas de hematologia que são fechadas e estão fechados porque não há água, senhores.

Uma investigação divulgada esta semana pela ONG Provea indica que a Venezuela recebeu dinheiro suficiente para ter hoje um luxuoso sistema de saúde pública e segurança social adequada na Venezuela.

“O COVID-19 chega ao país em um dos piores momentos de sua história, depois que um trilhão de dólares foi desperdiçado, com um sistema de saúde desmontado, serviços públicos em colapso, pobreza. A perspectiva é extremamente adversa para a Venezuela”, destaca a ONG ao publicar o relatório.

Veja também:

 

 
 
 

Governo dos EUA intensifica esforços para combater desinformação sobre vírus do PCC

Governo dos EUA intensifica esforços para combater desinformação sobre vírus do PCC
As agências federais estão intensificando seus esforços para combater uma campanha agressiva de desinformação do regime comunista chinês ...
Leia Mais >
 

Trump diz que tem dúvidas sobre os dados oficiais de vírus da China

Trump diz que tem dúvidas sobre os dados oficiais de vírus da China
O presidente Donald Trump expressou na quinta-feira suas dúvidas sobre o número de casos de COVID-19 sendo relatados ...
Leia Mais >
 

Hospitais de Nova Iorque estão oferecendo enormes quantidades de vitamina C aos pacientes com coronavírus

Hospitais de Nova Iorque estão oferecendo enormes quantidades de vitamina C aos pacientes com coronavírus
Pacientes com coronavírus muito doentes estão recebendo uma grande dose de vitamina C no estado de Nova Iorque, ...
Leia Mais >
 

Vestígios de vírus são encontrados em navio de cruzeiro 17 dias após desembarque de passageiros

Vestígios de vírus são encontrados em navio de cruzeiro 17 dias após desembarque de passageiros
Traços do vírus do PCC foram encontrados em um navio de cruzeiro no Japão mais de duas semanas ...
Leia Mais >