Fauci sabia que autoridades chinesas ocultavam dados da COVID em janeiro de 2020

Por Isabel Van Brugen 

O Departamento de Estado dos EUA e o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (NIAID) em janeiro de 2020 já estavam cientes de que as autoridades chinesas estavam retendo dados da COVID-19, de acordo com documentos governamentais obtidos por uma organização de vigilância legal.

Os Institutos Nacionais de Saúde dos EUA (NIH) também enviaram “especialistas” do laboratório P4, apoiado pelo NIH, à Universidade do Texas para treinar técnicos do Instituto de Virologia de Wuhan em “gerenciamento e manutenção de laboratório” – quase dois anos antes do início da pandemia da COVID-19 – revelam os registros obtidos pela Judicial Watch por meio de um processo da Lei de Liberdade de Informação (FOIA).

O presidente da Judicial Watch, Tom Fitton, declarou acreditar que as 90 páginas de registros de comunicação entre o NIH e o laboratório de Wuhan mostram que a agência do Dr. Anthony Fauci, o NIAID, esteve “escondendo informações sobre o fracasso da China em fornecer dados essenciais sobre a COVID-19”.

No dia 8 de janeiro de 2020, a equipe do NIH e do NIAID, liderada por Fauci, circulou um e-mail da Embaixada dos EUA em Pequim intitulado “Resposta da RPC a casos de pneumonia mostra maior transparência sobre surtos anteriores, mas lacunas nos dados epidemiológicos permanecem”.

“Oi, aqui está o telegrama da Embaixada dos EUA em Pequim informando sobre o surto de pneumonia em Wuhan, na China. Ele descartou SARS, MERS e gripe. [revisado] confirmou que é uma infecção viral”, afirmou um e-mail do Dr. Ping Chen, que foi o principal funcionário do NIAID na China, para colegas.

Funcionários da embaixada disseram no e-mail que estão preocupados que a “falta de dados epidemiológicos” impeça uma melhor avaliação de risco e resposta por parte das autoridades de saúde pública.

As autoridades observaram que, devido a “lacunas nas informações detalhadas” fornecidas pelo regime chinês e “falta de um patógeno final confirmado”, é “difícil de avaliar neste momento” o risco para os Estados Unidos e a saúde global.

“O fluxo de informações oficiais da RPC sobre este surto é limitado ao que vem da Comissão de Saúde de Wuhan e da Comissão Nacional de Saúde”, dizia o e-mail. “O CDC da China está encaminhando perguntas para os três avisos oficiais emitidos até o momento pela Comissão de Saúde de Wuhan”.

Os primeiros casos conhecidos da COVID-19, a doença causada pelo vírus do PCCh (Partido Comunista Chinês), foram relatados em dezembro de 2019 em Wuhan, na China.

“No dia 7 de janeiro, a Comissão de Saúde de Wuhan relatou 59 casos locais de pneumonia com causa desconhecida”, disse o e-mail da embaixada.

Trabalhadores são vistos dentro do laboratório P4 em Wuhan, na China, no dia 23 de fevereiro de 2017 (Johannes Eisele/AFP via Getty Images)
Trabalhadores são vistos dentro do laboratório P4 em Wuhan, na China, no dia 23 de fevereiro de 2017 (Johannes Eisele/AFP via Getty Images)

Técnicos de laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan também foram treinados diretamente por especialistas apoiados pelo NIH em abril de 2018.

“Além da assistência francesa, especialistas do laboratório P4 apoiado pelo NIH na Filial Médica da Universidade do Texas em Galveston treinaram técnicos de laboratório de Wuhan em gerenciamento e manutenção de laboratório …”, dizia um e-mail de 19 de abril de 2018.

“O instituto de Wuhan planeja convidar cientistas do laboratório de Galveston para fazer pesquisas no laboratório de Wuhan. Um pesquisador do Instituto de Virologia de Wuhan treinou por dois anos no laboratório de Galveston, e o instituto também enviou um cientista para a sede do CDC dos EUA, em Atlanta, para seis meses de trabalho sobre a gripe.”

Outro e-mail entre a Embaixada dos EUA em Pequim e a sede do NIH, em 23 de fevereiro de 2018, mostrou que os funcionários do NIH estavam fornecendo informações à “China Health News da mídia chinesa”.

Entre essas reportagens da mídia está um artigo da agência estatal Xinhua intitulado “Cientistas chineses descobrem como os morcegos carregam vírus sem adoecer”.

Cientistas chineses identificaram “morcegos que abrigam vírus altamente patogênicos como Ebola, Marburg e coronavírus SARS, mas não apresentam sinais clínicos de doença”.

“De acordo com pesquisadores, em humanos e outros mamíferos, uma resposta imune a um desses e de outros vírus patogênicos pode desencadear doenças graves”, disse o relatório.

Autoridades de inteligência dos EUA e vários especialistas obtiveram evidências sugerindo que o vírus do PCCh se originou em um laboratório, mas outras autoridades afirmam que se originou naturalmente.

Em setembro, registros obtidos pelo The Intercept por meio de um processo da FOIA contra o NIH mostraram que a EcoHealth Alliance, sem fins lucrativos, canalizou fundos dos EUA para cientistas do Instituto Wuhan de Virologia para pesquisar coronavírus de morcegos.

“O atraso e o bloqueio da agência de Fauci na China, o ganho de função e sua resposta à COVID geralmente são pura obstrução”, disse Fitton, da Judicial Watch.

O Epoch Times entrou em contato com o NIAID e o Departamento de Estado para comentários.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha
Um ex-membro de uma gangue criminosa japonesa disse que testemunhou o comércio de órgãos na China, tendo visto ...
Leia Mais >
 

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA
O presidente Jair Bolsonaro discursou a uma multidão em Santa Catarina no sábado. Ele falou em “luta do ...
Leia Mais >
 

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL
Um impasse para o Brasil? Ocorreu a cúpula do BRICS. China e Rússia falam em uma expansão do ...
Leia Mais >
 

ABORTO DEIXA DE SER DIREITO CONSTITUCIONAL NOS EUA; VEXAME DE BIDEN

ABORTO DEIXA DE SER DIREITO CONSTITUCIONAL NOS EUA; VEXAME DE BIDEN
O aborto agora não é mais um direito protegido pela constituição nos EUA. Isso depois que a Suprema ...
Leia Mais >