EUA precisam fazer mais para acabar com a extração forçada de órgãos na China, afirma painel

Por Emel Akan

WASHINGTON – O regime chinês tem matado praticantes do Falun Dafa por seus órgãos por mais de 20 anos, e os Estados Unidos devem intensificar seus esforços para acabar com essa prática desprezível, de acordo com um painel de especialistas.

Durante um painel virtual organizado pelo grupo de defesa “Médicos contra a colheita forçada de órgãos” (DAFOH) em 19 de novembro, o deputado Steve Chabot (R-Ohio) condenou a extração forçada de órgãos contra prisioneiros de consciência na China, chamando-a de prática “hedionda e selvagem”.

“A última vez que a Câmara dos Representantes aprovou uma resolução condenando a perseguição ao Falun Dafa foi há cerca de quatro anos”, disse ele, referindo-se ao H.Res. 343. “Tivemos uma grande rotatividade em termos de membros do Congresso e funcionários desde então. Portanto, para muitas pessoas, este pode ser um tópico completamente novo para elas “, acrescentou.

Falun Dafa, também conhecido como Falun Gong, é uma prática espiritual que consiste em cinco exercícios de meditação e ensinamentos morais baseados nos princípios da verdade, benevolência e tolerância. A prática foi severamente perseguida pelo regime chinês nas últimas duas décadas. Centenas de milhares de praticantes foram trancados em prisões, campos de trabalho e centros de lavagem cerebral, onde muitos foram torturados na tentativa de forçá-los a renunciar à sua fé, de acordo com o Centro de Informações do Falun Dafa.

Chabot disse que estava trabalhando em uma nova legislação para responsabilizar o Partido Comunista Chinês pela extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Dafa.

“A legislação ainda não está completa. Ainda estamos em negociações, mas espero que tenhamos um projeto em breve”, disse Chabot.

As alegações de extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong para cirurgia de transplante surgiram pela primeira vez em 2006. O ex-membro canadense do Parlamento David Kilgour e o advogado de direitos humanos David Matas conduziram investigações independentes e divulgaram relatórios que as apoiam acusações. O jornalista investigativo Ethan Gutmann também conduziu investigações independentes e publicou um livro sobre o assunto, chamado “The Slaughter”.

No verão passado, um tribunal popular independente com sede em Londres, chamado Tribunal da China, concluiu após sua investigação que a extração forçada de órgãos foi realizada na China durante anos “em uma escala significativa”, com os praticantes do Falun Dafa sendo “a principal fonte” de órgãos humanos.

O tribunal disse que essa prática horrível permitiu que “muitas pessoas morressem de maneira horrível e desnecessária”.

Matt Salmon, ex-representante dos Estados Unidos e vice-presidente para assuntos governamentais da Arizona State University, pediu medidas mais concretas a serem tomadas para impedir o tráfico de órgãos. “Não tenho certeza se apenas publicar projetos de lei condenando essas práticas seja suficiente. Acho que temos que ter uma legislação que realmente apoie isso”.

Salmon sugeriu que uma forma de acabar com a prática é impor sanções aos americanos que compram ou usam órgãos extraídos da China, bem como às empresas que praticam a prática.

“Se realmente reprimirmos aqui nos Estados Unidos, isso fará uma grande diferença”, disse ele.

A China é o único país do mundo onde se sabe que é realizada a extração de órgãos pelo estado, de acordo com Weldon Gilcrease, vice-diretor da DAFOH.

“É realmente o único lugar onde isso pode acontecer”, disse ele no painel. “É um país e um governo que (…) opera as instituições de saúde, o judiciário, o sistema penitenciário, os campos de trabalho, o exército e os hospitais militares. Eles realmente têm as mãos em tudo, então podem orquestrar a extração forçada de órgãos”.

As atrocidades do PCC deveriam ter sido investigadas pelas Nações Unidas, disse Hamid Sabi, advogado que atuou como conselheiro do Tribunal da China.

“No entanto, uma situação lamentável no ambiente político atual é que, devido ao poder de grandes Estados como a China, é muito difícil forçar qualquer organização da ONU a investigar tais atrocidades”, disse ele durante o painel.

Siga Emel no Twitter: @mlakan

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
 
 

Ex-oficial da CIA alega que irregularidades eleitorais podem fazer parte de um grande plano

Ex-oficial da CIA alega que irregularidades eleitorais podem fazer parte de um grande plano
Gary Berntsen, ex-oficial de carreira da Agência Central de Inteligência (CIA) que trabalhou em várias missões de contraterrorismo, ...
Leia Mais >
 

Por que a China teme Trump?

Por que a China teme Trump?
Por NTD Notícias As observações de uma professora chinesa estão causando controvérsia, ela afirma que a pandemia trouxe ...
Leia Mais >
 

Pequim anuncia novo salário mínimo que não é suficiente para cobrir custo de vida

Pequim anuncia novo salário mínimo que não é suficiente para cobrir custo de vida
A cidade de Pequim anunciou recentemente um novo salário mínimo, mas o valor não é suficiente para cobrir ...
Leia Mais >
 

Trump: “Meu discurso mais importante”

Trump: “Meu discurso mais importante”
Por NTD Notícias O presidente Trump discursou durante quase uma no que chamou de “o discurso mais importante ...
Leia Mais >