EUA inicia estudo sobre a mistura de vacinas COVID-19 e de reforço

Por Isabel Van Brugen

O National Institutes of Health ( NIH ) anunciou na terça-feira que começou um ensaio clínico no qual alguns adultos totalmente vacinados contra COVID-19 receberão uma injeção de reforço diferente, cerca de três a quatro meses depois.

O estudo determinará a segurança e imunogenicidade dos esquemas de reforço de vacinas mistas contra COVID-19, a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) e variantes emergentes.

Cerca de 150 adultos que receberam uma das três vacinas COVID-19 atualmente disponíveis sob a autorização de uso de emergência da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos participarão do estudo, disse o NIH.

As três vacinas COVID-19 atualmente disponíveis nos Estados Unidos são Johnson & Johnson, Moderna e Pfizer-BioNTech.

“Embora as vacinas atualmente licenciadas pela Food and Drug Administration dos EUA ofereçam forte proteção contra COVID-19, precisamos nos preparar para a possibilidade de precisarmos de vacinas de reforço para neutralizar o declínio da imunidade e acompanhar um vírus em evolução”, disse o diretor da o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (NIAID), Dr. Anthony Fauci, por meio de um comunicado.

“Os resultados deste ensaio têm como objetivo orientar as decisões de políticas de saúde pública sobre o uso potencial de esquemas vacinais mistos, se doses de reforço forem indicadas”, acrescentou.

Cada grupo de vacinação será composto por cerca de 25 pessoas com idades entre 18 e 55 anos e outras 25 pessoas com 56 anos ou mais.

“Entre 12 e 20 semanas após o esquema inicial de vacinação, os participantes receberão uma única dose de reforço da vacina Moderna COVID-19 como parte do ensaio”, disse o NIH.

Aqueles que ainda não receberam a vacina aprovada pelo FDA para uso de emergência também poderão se inscrever no estudo em um grupo separado e receberão duas injeções de Moderna. Esses participantes receberão uma injeção de reforço de uma das três vacinas cerca de três a quatro meses depois.

O NIH disse que os resultados iniciais do teste são esperados até o final do verão deste ano.

Na semana passada, Fauci disse que os americanos vacinados contra COVID-19 provavelmente precisarão de uma injeção de reforço em algum momento no futuro para garantir a proteção contínua, mas que o momento ainda não está claro.

“Não prevejo que a durabilidade da proteção da vacina seja infinita, simplesmente não é. Então, imagino que em algum momento precisaremos de um reforço. O que estamos descobrindo agora é quanto tempo esse intervalo vai durar ”, disse Fauci durante uma audiência do subcomitê de verbas do Senado, enquanto testemunhava sobre o estado da pesquisa médica e o orçamento do National Institutes of Health para o ano fiscal.

Ele também indicou que especialistas em saúde pública estão estudando um possível cronograma para um reforço.

“Nós sabemos, a partir de estudos de acompanhamento de pessoas dos testes clínicos originais, que a proteção desaparece em pelo menos seis meses e provavelmente um ano”, acrescentou ele. “Acho que vamos precisar de um reforço. Não sei exatamente quando ”.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
 
 

Grupo bipartidário pede ‘revisão abrangente’ do financiamento dos EUA para pesquisa de vírus na China

Grupo bipartidário pede ‘revisão abrangente’ do financiamento dos EUA para pesquisa de vírus na China
Um grupo bipartidário de senadores está convocando o presidente Joe Biden para garantir que os Estados Unidos concluam ...
Leia Mais >
 

Autoridades chinesas destroem barragem

Autoridades chinesas destroem barragem
Por NTD Notícias Chineses, passaram dias e noites fortificando as margens de rios para evitar inundações, apenas para ...
Leia Mais >
 

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba

Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba
O Movimento Cristão de Libertação (MCL) fundado pelo falecido Oswaldo Payá na terça-feira propôs medidas para isolar o ...
Leia Mais >
 

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.
Por NTD Notícias Evidências apontam que a catástrofe das enchentes na China vem das autoridades do Partido Comunista. ...
Leia Mais >