EUA impõem sanções a entidades acusadas de fornecer ao programa de mísseis do Irã

Por Katabella Roberts 

Os Estados Unidos anunciaram novas sanções em 30 de março a várias entidades que dizem estar envolvidas nos esforços para obter materiais para o programa de mísseis balísticos do Irã.

Em um comunicado, o Departamento do Tesouro dos EUA disse que as sanções visam um agente de compras do Irã, Mohammad Ali Hosseini, e sua rede de empresas: Jestar Sanat Delijan, Sina Composite Delijan Company, Sayehban Sepehr Delijan e PB Sadr Company, com sede no Irã.

Hosseini e suas empresas estão envolvidos em “esforços para adquirir equipamentos usados ​​para produzir propulsores de mísseis balísticos e materiais relacionados em apoio ao programa de mísseis do Irã”, disse o secretário de Estado, Antony Blinken, em um comunicado na quarta-feira.

O departamento disse que os materiais foram adquiridos para uma unidade da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) responsável pela pesquisa e desenvolvimento de mísseis balísticos, bem como para a Parchin Chemical Industries (PCI), que faz parte da Organização das Indústrias de Defesa do Irã e está sujeita a sanções dos EUA.

“As atividades do Irã relacionadas a mísseis balísticos continuam a desestabilizar a região do Oriente Médio, e os Estados Unidos continuarão a usar todas as ferramentas à nossa disposição para interrompê-las”, disse Blinken na quarta-feira.

“Os Estados Unidos não ficarão parados enquanto as redes iranianas apoiarem entidades designadas pela ONU, como o PCI”, disse ele.

Hosseini e sua rede de empresas estão sendo sancionados de acordo com a Ordem Executiva 13382, que “tem como alvo proliferadores de armas de destruição em massa e seus meios de entrega por seu envolvimento nas atividades relacionadas a mísseis balísticos do Irã”.

As sanções congelam quaisquer ativos dos EUA pertencentes aos alvos, incluindo entidades com 50% ou mais de propriedade direta ou indireta deles, e geralmente proíbem os americanos de negociar ou fazer transações com eles.

Aqueles que se envolvem em certas transações com os indivíduos e entidades sancionados podem estar sujeitos a ações de aplicação da lei ou sanções.

O Departamento do Tesouro disse que as sanções foram uma resposta ao recente ataque de mísseis do Irã a Erbil, no Iraque, bem como ataques de mísseis de representantes iranianos contra a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

O conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, disse em 13 de março que o ataque com mísseis do Irã a Erbil, capital do Curdistão iraquiano, tinha como alvo uma residência civil “sem qualquer justificativa”.

Nenhum ferimento ou morte foi relatado do ataque.

“Esta ação reforça o compromisso dos Estados Unidos em impedir o desenvolvimento e uso de mísseis balísticos avançados pelo regime iraniano”, disse o subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira, Brian E. Nelson. “Enquanto os Estados Unidos continuam buscando o retorno do Irã à plena conformidade com o Plano de Ação Abrangente Conjunto, não hesitaremos em atacar aqueles que apoiam o programa de mísseis balísticos do Irã. Também trabalharemos com outros parceiros na região para responsabilizar o Irã por suas ações, incluindo violações grosseiras da soberania de seus vizinhos”.

As últimas sanções ocorrem no momento em que as negociações para reviver o esfarrapado acordo nuclear de 2015 do Irã, também conhecido como Plano de Ação Abrangente Conjunto, parecem ter parado.

Os Estados Unidos se retiraram do acordo de 2015 sob o comando do ex-presidente Donald Trump, que então impôs sanções severas ao Irã.

Respondendo às sanções de Washington na quinta-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh, disse que elas “provam a malícia do governo dos EUA” em relação ao povo iraniano.

Khatibzadeh acusou o governo dos EUA de continuar a “violar o acordo e a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU”, apesar de também afirmar que está pronto e disposto a retornar ao acordo nuclear com o Irã.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha
Um ex-membro de uma gangue criminosa japonesa disse que testemunhou o comércio de órgãos na China, tendo visto ...
Leia Mais >
 

Trump: FBI invadiu sua casa na Flórida, propriedade está ‘sob cerco’

Trump: FBI invadiu sua casa na Flórida, propriedade está ‘sob cerco’
O ex-presidente Donald Trump disse que sua casa em Mar-a-Lago na Flórida está "sob cerco" e "ocupada por ...
Leia Mais >
 

DONALD TRUMP SOBRE TENSÕES ENTRE CHINA E RÚSSIA; SEN. DOS EUA SE OPÕE A NOVOS MEMBROS DA OTAN

DONALD TRUMP SOBRE TENSÕES ENTRE CHINA E RÚSSIA; SEN. DOS EUA SE OPÕE A NOVOS MEMBROS DA OTAN
O ex-presidente dos EUA Donald Trump discursou esse final de semana na CPAC do Texas. A sede americana ...
Leia Mais >
 

Biden se diz “preocupado” com manobras da China, mas não crê em passo além

Biden se diz “preocupado” com manobras da China, mas não crê em passo além
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta segunda-feira estar "preocupado" com o uso de armas pela ...
Leia Mais >