EUA concede prazo de 60 dias para que Rússia cumpra tratado nuclear

Por Ivan Pentchoukov

O secretário de Estado Mike Pompeo concedeu à Rússia um prazo de 60 dias em 4 de dezembro para entrar em conformidade com o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF).

Se a Rússia não tomar medidas e destruir os mísseis e lançadores SSC-8, considerados como violação do pacto de armas de 1987 pelos Estados Unidos, Washington iniciará o processo formal de retirada do tratado, segundo Pompeo.

“Nossas nações têm uma escolha. Ou enterramos a cabeça na areia ou tomamos medidas sensatas em resposta ao desrespeito flagrante da Rússia pelos termos expressos do Tratado INF ”, Pompeo disse em 4 de dezembro, em uma coletiva de imprensa durante a reunião dos ministros das Relações Exteriores da Otan na Bélgica.

Ao assinar o tratado, os Estados Unidos e a Rússia concordaram em proibir o uso, o teste e a posse de mísseis balísticos de curto e médio alcance. Os Estados Unidos afirmam que a Rússia violou o tratado desde meados dos anos 2000, testando o sistema de mísseis SSC-8.

O presidente Donald Trump anunciou em 20 de outubro que os Estados Unidos vão se retirar do tratado, mas nenhum aviso formal foi feito. A retirada será válida seis meses após o recebimento de um aviso oficial.

Os Estados Unidos continuam em conformidade com o tratado, de acordo com o Departamento de Estado. Os Estados Unidos informaram a Rússia de sua violação em pelo menos 30 ocasiões desde 2013.

“A resposta da Rússia tem sido consistente: negar qualquer irregularidade, exigir mais informações e emitir contra-acusações infundadas”, disse Pompeo.

Moscou se recusou a reconhecer a existência do sistema de mísseis por quatro anos. Em 2017, depois que os Estados Unidos divulgaram o nome do sistema de mísseis, a Rússia admitiu sua existência, mas disse que estava em conformidade com o tratado.

Autoridades dos Estados Unidos veem o não-cumprimento da Rússia com o Tratado INF como parte da ampla campanha de Moscou de atividade maligna em todo o mundo, incluindo na Geórgia, Ucrânia e Síria.

O Tratado INF é vinculativo apenas para a Rússia e os Estados Unidos, deixando de fora países como a China, o Irã e a Coréia do Norte.

A China, em particular, desenvolveu um formidável arsenal de mísseis de curto e médio alcance que os Estados Unidos não podem implantar sob o tratado. Cerca de um terço a metade do arsenal de mísseis balísticos da China violaria o INF se Pequim estivesse vinculada ao tratado, de acordo com uma avaliação dos Estados Unidos. Autoridades americanas tentaram trazer a China para o tratado em três ocasiões, fracassando em todas as tentativas.

Pompeo observou que a decisão foi motivada em parte pela agenda de Trump para não apoiar acordos internacionais que “minam nossa segurança, nossos interesses ou nossos valores”. O principal diplomata dos Estados Unidos acrescentou que a ação mostrará ao mundo que os Estados Unidos estão cumprindo a lei e responsabilizará seus parceiros pelas violações do tratado.

“Se não agirmos seremos enganados por outras nações, exporemos os americanos a maiores riscos e desperdiçaremos nossa credibilidade”, disse Pompeo.

Os ministros das Relações Exteriores da Otan concordaram em declarar formalmente que  Rússia cometeu “violação material” do Tratado INF em uma declaração de apoio aos Estados Unidos, depois que Pompeo os informou na sede da aliança em Bruxelas sobre as violações russas.

Aliados dos Estados Unidos fizeram lobby com Pompeo para fornecer a janela de 60 dias, esperando que uma solução diplomática possa ser garantida durante esse período. O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse a repórteres que as nações européias vão se engajar em um intenso esforço diplomático para levar a Rússia a um acordo.

“A Rússia tem uma última chance de mostrar de forma verificável que está cumprindo com o tratado … mas também temos que começar a nos preparar para o fato de que este tratado poderá ser quebrado”, disse Stoltenberg.

Pompeo disse que a Rússia implantou os batalhões de mísseis SSC-8 especificamente para ameaçar a Otan e seus ativos na Europa.

“A sua gama faz com que seja uma ameaça direta para a Europa”, disse Pompeo sobre o SSC-8, acrescentando que somente a Rússia poderá manter o tratado em vigor.

 
 
 

Destruição da Amazônia força fazendeiros brasileiros a mudar estratégia de produção e expansão

Destruição da Amazônia força fazendeiros brasileiros a mudar estratégia de produção e expansão
Durante décadas, fazendeiros do estado do Pará expandiram suas propriedades com fogo e machado, desmatando vastas áreas da ...
Leia Mais >
 

Bolsonaro desmente reportagem sobre suposta retirada de imagens do Alvorada

Bolsonaro desmente reportagem sobre suposta retirada de imagens do Alvorada
O presidente eleito Jair Bolsonaro desmentiu informação divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, nesta terça-feira (18), de ...
Leia Mais >
 

Aquecimento global ou engenharia social?

Aquecimento global ou engenharia social?
No início deste mês, delegados de quase 200 países reuniram-se em Katowice, na Polônia, para a 24ª reunião ...
Leia Mais >
 

Legalização do aborto é aprovada na Irlanda

Legalização do aborto é aprovada na Irlanda
O Parlamento irlandês aprovou na quinta-feira (13) projeto de lei que legaliza o aborto. Desde maio deste ano, ...
Leia Mais >