Estados e cidades processam Trump por desmantelar plano energético de Obama

Por Agência EFE

Uma coalizão de 29 estados e cidades entrou nesta terça-feira (13) com uma ação contra o governo dos Estados Unidos para tentar impedir o desmantelamento de um plano aprovado pelo ex-presidente Barack Obama em 2015 para restringir o uso de termelétricas a base de carvão.

Liderados pelos estados da Califórnia e de Nova Iorque, a coalizão quer impedir a implementação do programa batizado como Energia Limpa Acessível (ACE), criado pelo presidente Donald Trump para substituir o Plano de Energia Limpa de Obama.

“A tentativa do presidente Trump de destruir o Plano de Energia Limpa é uma tolice. Também é ilegal”, disse o procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, em entrevista coletiva convocada para anunciar o processo coletivo contra o governo.

O Plano de Energia Limpa é considerado como uma das principais conquistas de Obama na luta contra a crise climática. Entre outras medidas, o projeto exigia reduzir em 32% as emissões geradas pelas termelétricas a base de carvão até 2030, com base nos níveis de 2005. A ideia era, no longo prazo, substituí-las por usinas que usam fontes renováveis.

A ação conjunta argumenta que a proposta de Trump não reduz de maneira significativa a emissão de gases estufa e ainda promove o aumento da poluição do ar ao prolongar a existência das usinas que funcionam a base de carvão.

Os estados e cidades acusam o governo de também tentar minar a autoridade da Agência de Proteção Ambiental (EPA) na regulação das emissões, o que contraria decisões do Congresso.

Em junho, o atual diretor da EPA, Andrew Wheeler, anunciou o plano de Trump para o setor, argumentando que Obama havia abusado do poder presidencial ao implementar o Plano de Energia Limpa, na época atacado por estados liderados por republicanos.

Assinam a ação apresentada hoje 22 estados, entre eles Nova York, Califórnia, Wisconsin, Colorado e Carolina do Norte, assim como oito cidades, entre elas Los Angeles, Nova York, Chicago e Washington.

“À medida que o governo Trump tenta nos levar para trás na luta pelo futuro dos nossos filhos, a Califórnia continuará avançando na casa da liderança climática americana”, disse o governador da Califórnia, Gavin Newson, que apoia o processo contra a Casa Branca.

Já a procuradora-geral de Nova York, Letitia James, ressaltou em comunicado que o mundo caminha para um “desastre climático” e é preciso adotar uma “correção significativa de rumo”.

 
 
 

Bolsonaro, COVID-19 e a invasão chinesa no Brasil

Bolsonaro, COVID-19 e a invasão chinesa no Brasil
O agravamento da epidemia de coronavírus no Brasil evidencia a relação próxima e predatória do Partido Comunista Chinês ...
Leia Mais >
 

Gás lacrimogêneo é lançado em manifestantes de Hong Kong que retornaram às ruas contra a lei de ‘Segurança Nacional’ da China

Gás lacrimogêneo é lançado em manifestantes de Hong Kong que retornaram às ruas contra a lei de ‘Segurança Nacional’ da China
Por Frank Fang O ar em Hong Kong se encheu novamente de gás lacrimogêneo em 24 de maio, ...
Leia Mais >
 

Relatório da Casa Branca denuncia ‘comportamento maligno’ de Pequim em meio a tensões elevadas

Relatório da Casa Branca denuncia ‘comportamento maligno’ de Pequim em meio a tensões elevadas
A Casa Branca criticou as práticas econômicas predatórias do Partido Comunista Chinês (PCC), movimentos militares agressivos e violações ...
Leia Mais >
 

Médica levanta preocupação com ensaios humanos canadenses da vacina contra vírus desenvolvida em parceria com militares chineses

Médica levanta preocupação com ensaios humanos canadenses da vacina contra vírus desenvolvida em parceria com militares chineses
Um médico está expressando preocupação com os canadenses que recebem uma vacina experimental COVID-19 desenvolvida com a ajuda ...
Leia Mais >