Eleições nos EUA: Republicanos assumem controle do Senado e Democratas da Câmara

Por Epoch Times

Em 6 de novembro, os norte-americanos votaram pelos 435 assentos na Câmara dos Deputados, por 35 dos 100 assentos no Senado e por 36 governadores dos 50 estados, o que significou um novo desafio para o governo de Donald Trump.

De acordo com resultados preliminares, o governo Trump manteve a maioria no Senado com o triunfo dos Republicanos sobre 51 dos 100 assentos e os Democratas assumiram o controle da Câmara.

Entre os cargos dos governadores, os Democratas também avançaram assumindo o controle do Colorado, Nova Iorque, Illinois, Maine e Novo México, mas perderam as posições na Flórida e Ohio.

O presidente Donald Trump comemorou os resultados.

“Foi uma tremenda vitória esta noite. Obrigado a todos “, escreveu Trump no Twitter, sabendo que os resultados das eleições presidenciais de meio período são as mais difíceis para um presidente manter a popularidade.

Os resultados das eleições intercalares tendem a ir contra a administração em exercício. Nas eleições de meio período de 2014, o governo Obama sofreu uma perda de 13 assentos em uma Câmara de 188 Democratas e uma perda de nove assentos no Senado.

“Nos últimos 105 anos, houve apenas cinco vezes em que um presidente em exercício conseguiu assentos no Senado nas eleições do ano anterior”, escreveu Trump.

Resultados no Senado

Com maioria no Senado, os Republicanos defenderam 9 cadeiras e os Democratas 26. Como resultado preliminar, o governo Trump mantém o controle sobre 51%.

Republicanos: 51 cadeiras

Democratas: 43 cadeiras

Outros: 2 cadeiras

“Recebi tantos parabéns pela nossa grande vitória na noite passada, inclusive de países estrangeiros (amigos) que estavam esperando por mim e com a esperança de parcerias comerciais. Agora todos nós podemos voltar ao trabalho e fazer as coisas!”, Trump escreveu mais tarde.

Em um comício de campanha em Fort Wayne, Indiana, em 5 de novembro, Trump antecipou o clima político nos Estados Unidos ao ver a multidão. “Todos os dias desde [sua vitória em 2016], a classe dominante falida tem tentado retomar seu caminho para o poder”.

“Eles não estão tendo um momento fácil”, acrescentou o presidente.

Câmara dos Deputados

Os resultados parciais dão aos Democratas a chance de avançar no controle da Câmara, apesar da vitória de Trump no Senado.

Republicanos: 193 cadeiras

Democratas: 219 cadeiras

Trump manteve sua força entre seus seguidores, mas os Democratas ganharam 26 posições consideradas vulneráveis aos Republicanos, incluindo algumas na Flórida, que em 2016 apoiou a Democrata Hillary Clinton e duas em Minnesota e na Pensilvânia.

O grupo de oposição precisava conquistar 23 assentos na Câmara dos Deputados para assumir a maioria da Câmara e desafiar a agenda presidencial de Trump.

Governadores

Antes das eleições de meio período, os Republicanos detinham 33 dos 50 assentos dos governadores, enquanto os Democratas tinham 16. Os resultados mostram um avanço dos Democratas, mas com a perda dos titulares da Flórida e de Ohio.

Republicanos: 22 governadores, incluindo Ron DeSantis, da Flórida, e Mike DeWine, de Ohio.

Democratas: 25

Se os resultados forem confirmados, os Democratas dizem que o poder da Câmara dos Deputados os ajudará a “controlar” as políticas do governo Trump, onde poderão bloquear novos cortes de impostos, desregulamentação e mudanças nas leis de imigração, bem como a construção do muro na fronteira com o México.

A assessora de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, disse aos repórteres no início da tarde que, independentemente do resultado na Câmara, a agenda do governo Trump não irá mudar e permanecerá focada em reduzir impostos, fazer a economia crescer, criar empregos, derrotar o ISIS, recompor o poder judicial e lutar contra a crise dos opiáceos. Ela disse que também continuarão trabalhando para melhorar a infraestrutura e colocar os Democratas contra a parede na questão da imigração ilegal.

Em menos de dois anos, o governo de Donald Trump enfrentou décadas da guerra econômica ofensiva da China contra os Estados Unidos, conseguiu um acordo para a desnuclearização da Coreia do Norte e castigou repetidamente a Rússia por suas atividades malignas no território norte-americano e em todo o mundo, além de ter saído de um acordo nuclear com o Irã, que ele e seus aliados consideravam desastroso.

O presidente também determinou a saída dos Estados Unidos dos acordos transnacionais que ele e seus aliados consideravam unilaterais. O presidente também afirmou a independência dos Estados Unidos dos tribunais e organizações globais, incluindo o Tribunal Penal Internacional e a União Postal Universal.

Trump não se afastou de sua proposta presidencial e manteve sua força entre os Republicanos, mas deve enfrentar oposição na Câmara.

 
 
 

Relatório da Reuters: Johnson & Johnson sabia sobre amianto em talco de bebê por várias décadas

Relatório da Reuters: Johnson & Johnson sabia sobre amianto em talco de bebê por várias décadas
Um relatório da Reuters de 14 de dezembro informa que a Johnson & Johnson poderia estar sabendo sobre ...
Leia Mais >
 

Jordânia critica Austrália por reconhecer Jerusalém como capital de Israel

Jordânia critica Austrália por reconhecer Jerusalém como capital de Israel
A Jordânia criticou neste sábado (15) a decisão da Austrália de reconhecer Jerusalém Ocidental como capital de Israel, ...
Leia Mais >
 

Investigadores afirmam que Fundação Clinton funciona como empresa, não como instituição de caridade

Investigadores afirmam que Fundação Clinton funciona como empresa, não como instituição de caridade
Dois investigadores financeiros dizem ter apresentado milhares de documentos à Receita Federal, que eles acreditam mostrar que a ...
Leia Mais >
 

Ditador da Venezuela acusa Brasil de envolvimento em “plano de assassinato”

Ditador da Venezuela acusa Brasil de envolvimento em “plano de assassinato”
À procura de um “inimigo externo” para tentar se manter no cargo, o ditador venezuelano Nicolás Maduro agora ...
Leia Mais >