Dinamarca torna-se primeiro país europeu a oferecer 4ª dose da vacina contra COVID-19

Por Mimi Nguyen Ly 

O governo dinamarquês anunciou, na quarta-feira, que disponibilizará uma quarta dose da vacina contra a COVID-19 para seus cidadãos no final desta semana, tornando a Dinamarca o primeiro país da Europa a introduzir um segundo reforço.

“Quanto mais disseminada a infecção na sociedade, maior o risco de que a infecção atinja os mais vulneráveis”, declarou o ministro da Saúde, Magnus Heunicke, em entrevista coletiva.

“Estamos agora embarcando em um novo capítulo, ou seja, a decisão de oferecer a quarta injeção aos cidadãos mais vulneráveis”, afirmou ele a repórteres. Para este grupo foi oferecido um reforço inicial no outono.

O governo ainda não decidiu se oferece outra dose para idosos e residentes de casas de repouso.

O regulador de medicamentos da União Europeia, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA na sigla em inglês), expressou preocupação com o uso de uma quarta dose das vacinas atuais contra a COVID-19, acrescentando que não há dados para apoiar a “vacinação repetida em intervalos curtos” como uma medida sustentável de longo prazo.

Mais dados sobre o efeito da atual dominante variante Ômicron nas vacinas e uma melhor compreensão da evolução da onda atual são necessários para decidir se uma vacina específica da Ômicron é necessária, afirmou o chefe de estratégia de vacinas da EMA, Marco Cavaleri, na terça-feira.

O anúncio da Dinamarca de oferecer uma quarta dose ocorre junto com a decisão dos legisladores que concordaram em aliviar as restrições no final da semana, já que as taxas de hospitalização e mortes se estabilizaram, apesar do aumento nos casos.

As autoridades impuseram as restrições no mês passado, declarando que as medidas eram necessárias para conter a disseminação da Ômicron.

A Dinamarca tem uma população de 5,8 milhões. O país informou que 3.433 pessoas morreram após contrair a COVID-19. Mais de 1 milhão de casos de COVID-19 foram registrados no país, com mais de 90% deles relatados nas últimas semanas, em meio à disseminação da Ômicron.

Embora as infecções sejam altas, as internações hospitalares e as mortes permanecem em níveis abaixo dos picos observados no ano passado.

“Estamos em uma posição melhor do que esperávamos e temíamos”, afirmou Soren Brostrom, chefe da Agência de Saúde Dinamarquesa. “Agora podemos dizer com muito mais certeza que essa nova variante do vírus, que agora é a predominante, causa doenças menos graves”.

Teatros, cinemas, museus, locais de música, parques de entretenimento e jardins botânicos devem reabrir, e espectadores limitados poderão participar de eventos esportivos internos e externos.

Outros países que introduziram a quarta dose são Israel e Chile. No Canadá, o governo de Ontário disponibilizou a quarta dose para idosos.

Enquanto isso, a Hungria, também membro da UE, afirmou que está considerando uma quarta dose.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

EXCLUSIVO: estados investigam aumento na taxa de mortalidade entre 18 a 49 anos – maioria não relacionada à COVID-19

EXCLUSIVO: estados investigam aumento na taxa de mortalidade entre 18 a 49 anos – maioria não relacionada à COVID-19
Departamentos de saúde em vários estados confirmaram ao Epoch Times que estão analisando um aumento acentuado na taxa ...
Leia Mais >
 

“MADE IN CHINA”

“MADE IN CHINA”
Por NTD Notícias “Made in China”. Essas palavras aparecem em tudo, de computadores a brinquedos e imensas peças ...
Leia Mais >
 

China impõe duras medidas de controle da pandemia

China impõe duras medidas de controle da pandemia
Os EUA dizem que não se deterão com as últimas sanções da China. Pequim penalizou 4 oficiais americanos ...
Leia Mais >
 

Senador americano pede cooperação com Brasil para conter China

Senador americano pede cooperação com Brasil para conter China
Um senador americano pede ao líder da defesa de seu país que aprofunde a cooperação com o Brasil. ...
Leia Mais >