Perfil de artista: dançarina principal do Shen Yun, Michelle Lian e sua mágica nos movimentos

Perfil de artista: dançarina principal do Shen Yun, Michelle Lian e sua mágica nos movimentos

Michelle Lian ganhou o Prêmio de Ouro na competição NTD International Classical Chinese Dance 2018 (Larry Dye)

2021/05/06

Por Catherine yang

Michelle Lian é uma dançarina nata. Quando ela era mais jovem, ela achava que dançar era divertido e começou, experimentando alguns estilos diferentes. Quando ela pensa no passado, ela diz que a dança clássica chinesa está com ela há muito tempo. Quando ela perdeu o interesse por outras formas,  ela voltou para a dança clássica chinesa.

Eventualmente, Lian concentrou todo seu tempo e energia no desenvolvimento completo da dança clássica chinesa, aperfeiçoando os movimentos e buscando o refinamento da arte em sua carreira, ao mesmo tempo em que retinha a alegria disso.

Michelle Lian ganhou o Prêmio Ouro no Concurso Internacional de Dança Clássica Chinesa da NTD 2018 (Larry Dye)

Mas aos poucos, dia a dia, ela começou a vislumbrar algo por trás de cada movimento que realizava. “Quanto mais eu danço, mais eu descubro que há um significado mais profundo dentro de mim”, disse Lian em uma entrevista. Ela é dançarina em estágio com no Shen Yun Performing Arts desde 2014.

Esta companhia de dança clássica chinesa, com sede em Nova Iorque, foi nos últimos doze anos responsável pela revitalização desta forma de arte e, portanto, da cultura tradicional que ela representa. Formada na própria base deste antigo sistema de dança, em cada movimento e gesto, está algo que Lian gradualmente percebeu que vale a pena valorizar:

“É uma coisa muito vasta, muito grandiosa. É muito profundo. Depois que você conhece um movimento, não se trata apenas de como você o faz, não apenas de como sua mão vai para um lado e seu pé vai para outro, e como você posiciona sua cabeça nesse ponto. Não é só assim. É uma coisa muito mais holística. ”

Michelle Lian ganhou o Prêmio Ouro no Concurso Internacional de Dança Clássica Chinesa da NTD 2018 (Larry Dye)

Mágico

No palco, junto com os dançarinos que ela tanto admirava, “é muito mágico”, disse Lian. Não apenas os movimentos, mas também a energia do grupo deve estar em sincronia para alcançar esse efeito.

“Você pode realmente sentir a energia de todos. Você sente que todos estão em sincronia com todos os outros. Você pode realmente sentir a respiração e os batimentos cardíacos deles, e então seus passos se conectam. Talvez seja por isso que temos uma energia tão impressionante quando dançamos, como o público diz”, disse ela.

Na época em que Lian era apenas um membro da plateia, sua única reação foi se maravilhar com a beleza das danças. Agora que ela conhece esses artistas pessoalmente – como indivíduos, profissionais e amigos – ela vê suas apresentações sob uma luz diferente.

Michelle Lian ganhou o Prêmio Ouro da Divisão Júnior no Concurso Internacional de Dança Clássica Chinesa da NTD 2016 (Larry Dye)

Seus colegas dançarinos na companhia têm sido grandes artistas e mentores não apenas na dança, mas também na vida, acrescentou Lian, por causa da visão holística que têm de seu ofício.

Por exemplo, explicou Lian, o que ela tenta trazer ao público é algo “limpo, brilhante e positivo”.

“E ajuda quando você não pensa muito sobre si mesmo. Enquanto dança, você precisa expandir seu coração”, disse ela. Também ajuda a praticar essa magnanimidade de espírito na vida cotidiana.

“Esperamos que cada um tenha vontade de melhorar. Não apenas na dança, mas também moralmente. Acho que esperamos que façamos isso todos os dias”, disse ela. “Não esperamos que outras pessoas mudem repentinamente, mas sempre procuramos o brilho a cada dia”.

A dança clássica chinesa é notoriamente expressiva, e as danças do Shen Yun sempre incluem várias peças de narração de histórias. Então, como dançarina, Lian teve que aprender a atuar.

“Eu fiz ‘The Butterfly Lovers’ e foi bem interessante porque nessa peça, eu tenho que ser uma garota e fingir ser um garoto ao mesmo tempo – inteira”, disse ela. Foi um grande desafio para seu primeiro papel dramático. “Se eu tivesse que fazer de novo, provavelmente faria um pouco diferente desta vez”, disse ela com uma risada.

“[Com a atuação], você precisa ajustar suas emoções … para ser realista, você precisa colocar as emoções em camadas e ajustar as proporções para fazer algo melhor”, disse Lian. Dançarinos desse calibre trabalham para aperfeiçoar o que o dançarino médio nem perceberia que está sob seu controle – como o tom de uma interação com outro dançarino ou toda a atmosfera do palco.

Para fazer isso, Lian busca um estado de espírito puro.

“É sempre mais fácil absorver e apresentar quando a tela está mais limpa”, disse ela. A dança clássica chinesa é sobre os sentimentos por trás de cada movimento, Lian enfatizou, e para transmitir essa energia brilhante, limpa e pura para o público, ela precisa possuí-la. Parece que o ego só iria atrapalhar. É importante notar que o Shen Yun se traduz em algo como “a beleza dos seres divinos dançando”, e o público tende a achar que é apropriado. “Quer você esteja retratando um personagem positivo ou negativo, é sempre mais fácil quando você não tem muito de si mesmo”, disse ela.

Michelle Lian ganhou o Prêmio Ouro da Divisão Júnior no Concurso Internacional de Dança Clássica Chinesa da NTD 2016 (Larry Dye)