Comitê consultivo do CDC se reúne para tratar da síndrome incomum em americanos vacinados

Por Zachary Stieber

Um comitê consultivo dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças ( CDC ) dos Estados Unidos se reunirá nesta quinta-feira para revisar os dados relacionados aos casos de uma síndrome incomum que algumas pessoas que receberam a vacina COVID-19 estão apresentando.

O Comitê Consultivo em Práticas de Imunização, um painel formado por especialistas médicos e de saúde pública que emitem recomendações de vacinas, ouvirá funcionários sobre a ocorrência da síndrome de Guillain-Barré em americanos que receberam a vacina COVID-19 da Johnson & Johnson, de acordo com um resumo do programa.

Os palestrantes incluem Dr. Narayan Nair, funcionário da Food and Drug Administration, Dr. Nicola Klein, Kaiser Permanente Northern California e Dr. Grace Lee, membro do painel que preside o Subgrupo Técnico de Segurança de Vacinas.

Nair analisará os dados do Sistema de Relatórios de Efeitos Adversos de Vacinas, para o qual qualquer pessoa pode enviar relatórios de efeitos adversos e que é usado por funcionários federais detectarem tais efeitos pós-vacinação. Klein discutirá dados do Vaccine Safety Datalink, que usa informações de nove grupos de saúde, incluindo a Kaiser Permanente. Lee apresentará os dados do subgrupo que preside.

Após uma discussão com o público, a Dra. Hannah Rosenblum, oficial do CDC, discutirá o benefício versus o risco de receber a vacina Johnson & Johnson.

A síndrome de Guillain-Barré é uma doença neurológica rara. O sistema imunológico das pessoas afetadas ataca por engano parte do sistema nervoso. Os resultados podem incluir fraqueza muscular e, em alguns casos, paralisia. A maioria das pessoas que contraem a síndrome podem se recuperar totalmente.

Mais de 900 notificações foram relatadas ao Sistema de Relatórios de Efeitos Adversos da Vacina sobre a ocorrência desse distúrbio em pessoas que receberam doses de COVID-19, de acordo com uma revisão dos dados pelo Epoch Times em 21 de julho. Sete desses casos foram fatais, enquanto outros 134 causaram incapacidade permanente, de acordo com relatórios.

A Food and Drug Administration ( FDA ) afirmou na semana passada que “a evidência disponível sugere uma associação entre a vacina Janssen e um risco aumentado de síndrome de Guillain-Barré”, embora a evidência não estabeleça uma relação causal. A Janssen é uma subsidiária da Johnson & Johnson. Nenhum relatório semelhante foi associado às vacinas Moderna ou Pfizer.

Um porta-voz do CDC disse ao Epoch Times que a agência está monitorando relatos da síndrome de Guillain-Barré.

A maioria dos casos nos Estados Unidos foi observada em homens com 50 anos ou mais, cerca de duas semanas após a vacinação.

Os reguladores acreditam que os benefícios conhecidos e potenciais da vacina Johnson & Johnson “superam claramente” os riscos conhecidos e potenciais.

Mesmo assim, a administração acrescentou um alerta sobre a síndrome de Guillain-Barré a um folheto informativo para as pessoas que recebem e administram a vacina.

A reunião de 22 de julho será mais uma em uma série de análises de dados de segurança que emergem conforme o número de eventos adversos relacionados às vacinas COVID-19 aumenta. COVID-19 é a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) .

Autoridades se reuniram no mês passado para revisar dados sobre casos de inflamação cardíaca apresentados após a vacinação e descobriram que os casos estavam bem acima da taxa esperada em homens jovens. O conselho do CDC não ajustou suas recomendações sobre a vacinação de jovens, embora o FDA tenha adicionado um alerta sobre o risco de desenvolver inflamação após receber a vacina da Moderna ou Pfizer.

A maioria dos casos de inflamação apareceu após a segunda injeção de uma vacina de duas doses.

A vacina Johnson & Johnson foi anteriormente associada a coágulos sanguíneos incomuns e baixos níveis de plaquetas no sangue, desencadeando uma suspensão quase nacional de seu uso para imunização. Mas o painel consultivo do CDC recomendou, em uma votação de 10 a 4 , que a pausa fosse suspensa após a revisão dos dados. No site da agência, relatórios recentes “indicam uma relação causal plausível” entre a condição do coágulo sanguíneo e a vacina.

Jack Phillips contribuiu para este relatório.

Siga Zachary no Twitter: @zackstieber
Siga Zachary no Parler: @zackstieber

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também

 

 

 
 
 

Da saúde a Hollywood: como o regime chinês tenta controlar a América

Da saúde a Hollywood: como o regime chinês tenta controlar a América
Hoje, as "plataformas de entretenimento" dos EUA estão tão "desesperadas pelo mercado chinês" que agora estão dispostas a ...
Leia Mais >
 

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.

Embaixadas chinesas publicaram notas criticando os Jogos Olímpicos no Japão, mas por um motivo incomum que gerou furor entre internautas.
Por NTD Notícias Evidências apontam que a catástrofe das enchentes na China vem das autoridades do Partido Comunista. ...
Leia Mais >
 

Epoch Times lança iniciativa ‘Defendendo America’ com painel sobre a constituição

Epoch Times lança iniciativa ‘Defendendo America’ com painel sobre a constituição
O Epoch Times realizou um painel de discussão em 19 de julho entre os principais especialistas na Constituição ...
Leia Mais >
 

Enchentes mortíferas na China

Enchentes mortíferas na China
Por NTD Notícias O senador Marco Rubio na terça-feira disse em tuite que o fechamento do instituto Confúcio ...
Leia Mais >