Colômbia: vestidos de branco, moradores de Arauca pedem fim da violência da guerrilha

Por Agência EFE 

Moradores da cidade colombiana de Saravena, no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, manifestaram-se nas ruas, na sexta-feira, vestidos de branco, para rejeitar a violência da guerrilha após o ataque terrorista que deixou um morto e cinco feridos.

Um carro-bomba explodiu na noite de quarta-feira em uma área central de Saravena, onde funcionam lojas e escritórios, e embora aparentemente tenha como alvo a sede da Fundação Joel Sierra de Direitos Humanos, o maior dano foi sofrido pela agência estatal local, o Instituto Colombiano Agropecuario (ICA).

Os moradores, que também carregavam bandeiras brancas e balões, chegaram ao parque principal da cidade onde pediram aos grupos armados que parassem com a violência e não envolvessem a população civil no conflito armado, agravado pela guerra travada em Arauca por dissidentes das FARC e o Exército de Libertação Nacional (ELN), pelo controle territorial.

Essa luta se intensificou nos últimos meses e até agora cerca de 40 pessoas foram assassinadas em Saravena e nos municípios vizinhos de Tame, Fortul e Arauquita, segundo a representante legal da Fundação Joel Sierra de Direitos Humanos, Sonia Lopez.

O prefeito de Saravena, Wilfredo Gómez, declarou aos jornalistas que a mobilização é um pedido dos araucanos para serem excluídos de um conflito armado do qual foram vítimas.

“Esperamos que seja de alguma utilidade, realmente, após sair da COVID-19, após sair das restrições em consequência de calamidades públicas, agora com essa questão de conflito social, os comerciantes estão muito afetados”, assegurou.

A ONU afirmou que mais de 1.500 pessoas tiveram que fugir de suas casas em vários municípios de Arauca desde o início dos ataques e confrontos entre os dissidentes do ELN e das FARC.

Como resultado da difícil situação de violência, o Governo de Arauca impôs um toque de recolher noturno, na quinta-feira, em Fortul, Saravena, Arauquita e Arauca, capital departamental.

O governo colombiano enviou 600 soldados a Arauca no início de janeiro para melhorar a segurança, mas a situação continua a mesma.

Arauca é um departamento com grande riqueza petrolífera e pecuária em que há mais de 30 anos o ELN controla praticamente todas as atividades econômicas por meio de extorsão e sequestro, um “negócio” que os dissidentes das FARC, também dedicados ao narcotráfico, querem tirar proveito, principalmente pela proximidade com a fronteira da Venezuela.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN

Putin está aberto à adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN
Enquanto a Suécia e a Finlândia avançam com seus planos de ingressar na OTAN, o presidente russo, Vladimir ...
Leia Mais >
 

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO

“NÓS SOMOS TODOS COMUNISTAS”: EMPREGADO DO TWITTER; ELON MUSK RESPONDE A VÍDEO VAZADO
Vazam mais vídeos de funcionários do twitter afirmando um viés esquerdista na plataforma. Um funcionário fala da Síndrome ...
Leia Mais >
 

ENTREVISTA: MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA DO KHMER VERMELHO

ENTREVISTA: MÉDICO SOBREVIVENTE DE GENOCÍDIO COMUNISTA DO KHMER VERMELHO
Em 1975, o Khmer Vermelho, uma das mais cruéis facções comunistas da história do planeta conquistou o Camboja, ...
Leia Mais >
 

FINLÂNDIA E SUÉCIA RUMO A OTAN; LUKASHENKO FALA EM “UNIÃO CONTRA OCIDENTE”

FINLÂNDIA E SUÉCIA RUMO A OTAN; LUKASHENKO FALA EM “UNIÃO CONTRA OCIDENTE”
Finlândia e Suécia afirmam que prosseguirão com um pedido de entrada na OTAN. Uma outra aliança militar liderada ...
Leia Mais >