Cofundador do Facebook quer que governo dos EUA encerre monopólio da empresa

Por Agência EFE

Chris Hughes, um dos cofundadores do Facebook, quer que o governo dos Estados Unidos quebre o “monopólio” da rede social comandada por Mark Zuckerberg, de modo a acabar com a enorme influência da empresa, e proteja os direitos dos cidadãos.

Em longo artigo de opinião, Hughes alerta para o imenso poder de Zuckerberg e a falta de controle sobre ele e as ações do empresário à frente da rede social.

“A influência de Mark é assombrosa, muito além da de qualquer outra pessoa no setor privado ou no governo. Ele controla três plataformas de comunicação — Facebook, Instagram e WhatsApp — que bilhões de pessoas usam diariamente”, ressaltou Hughes em texto publicado nesta quinta-feira (9) pelo jornal “The New York Times”.

Segundo Hughes, Zuckerberg tem poder total dentro da empresa e um domínio praticamente absoluto sobre o setor das redes sociais, o que lhe permite estabelecer as regras sobre privacidade, decidir que conteúdos são aceitáveis e acabar com qualquer competidor adquirindo-o, bloqueando-o ou copiando seu modelo.

“O governo dos Estados Unidos tem que fazer duas coisas: quebrar o monopólio do Facebook e criar regras para que a empresa seja mais responsável em relação aos americanos”, ressaltou o empresário.

Hughes propõe aplicar as leis antimonopólio para dividir o Facebook em várias empresas independentes, começando por separar Instagram e WhatsApp, cujas aquisições nunca deveriam ter sido permitidas, segundo defende.

“Se não agirmos, o monopólio do Facebook aumentará ainda mais. Com grande parte das comunicações pessoais do mundo na sua mão, ele pode extrair informações para padrões e tendências, ganhando vantagem sobre competidores durante décadas”, enfatizou Hughes.

Entre outras questões, Hughes mostra preocupação com o “controle unilateral” que atualmente Zuckerberg tem sobre o discurso público e os conteúdos.

“Não há precedentes sobre essa capacidade de controlar, organizar e inclusive censurar as conversas de dois bilhões de pessoas”, lembrou.

Hughes defende Zuckerberg como pessoa, mas diz acreditar que a sua obsessão por dominar o mercado com o Facebook o levou a cometer erros e lhe deu um poder quase ilimitado e perigoso.

“Mark é uma pessoa boa e amável. Mas me preocupa que a sua insistência no crescimento o levasse a sacrificar segurança e respeito em troca de cliques”, comentou.

Chris Hughes — que fundou o Facebook junto com o brasileiro Eduardo Saverin, Andrew McCollum e Dustin Moskovitz — admite a própria responsabilidade por “não fazer soar antes o alarme” e só percebeu os perigos do monopólio da rede social após as eleições americanas de 2016 e do escândalo da Cambridge Analytica.

Nos últimos anos, o Facebook esteve na mira de muitos congressistas devido a problemas de privacidade e ao suposto papel na manipulação das eleições e na divulgação de fakenews.

Após deixar a empresa em 2007, Hughes foi voluntário na campanha que levou Barack Obama à Casa Branca e passou por vários empreendimentos, incluindo a compra da revista “The New Republic”, da qual se desvinculou em 2016.

Atualmente, Hughes é codiretor do Economic Security Project, uma iniciativa para combater a pobreza nos Estados Unidos, e assessor no Instituto Roosevelt.

 
 
 

Vítimas silenciosas: um mundo oculto onde meninos são traficados

Vítimas silenciosas: um mundo oculto onde meninos são traficados
Meninos e homens constituem uma “porção significativa” de vítimas de tráfico humano, tanto nos Estados Unidos quanto internacionalmente.
Leia Mais >
 

Especialistas ensinam como aumentar chances de sobrevivência contra atirador ativo (Vídeo)

Especialistas ensinam como aumentar chances de sobrevivência contra atirador ativo (Vídeo)
Depois de três tiroteios em massa no intervalo de uma semana, especialistas deram um passo à frente e ...
Leia Mais >
 

Malta, novo aliado de Maduro, que o ajuda a evitar sanções

Malta, novo aliado de Maduro, que o ajuda a evitar sanções
Malta, um arquipélago localizado no Mediterrâneo que fica entre a Sicília e a costa do norte da África, ...
Leia Mais >
 

Clientes acusam corretora de bitcoin de sumir com dinheiro

Clientes acusam corretora de bitcoin de sumir com dinheiro
Um grupo especialista no comércio de Bitcoins, considerado por usuários como o maior do Brasil no ramo, tem ...
Leia Mais >