Chineses usam aplicativos de mídia social para lavar dinheiro do tráfico de maconha

Por Hannah Cai

Uma brecha nas leis sobre maconha do Colorado levou um grupo de pessoas a se envolver em uma ocupação sombria envolvendo lavagem de dinheiro. Em junho, 21 pessoas foram acusadas de cultivo e distribuição ilegal de maconha no Colorado. A investigação descobriu que os aplicativos de mídia social chineses desempenharam um papel ativo na lavagem de receitas de drogas nos Estados Unidos.

Tráfico de drogas conspira com lavagem de dinheiro chinesa

Este é um “caso de lavagem de dinheiro de tráfico de maconha”, 18º Judicial District Attorney John Kellner disse em 10 de junho em uma entrevista coletiva no Centennial.

O gabinete do procurador distrital forneceu ao Epoch Times uma acusação de 24 páginas, do Grande Júri do condado de Arapahoe, mostrando que uma investigação de cinco anos pela DEA revelou que “Organizações chinesas de lavagem de dinheiro [CMLOs] se tornaram o mecanismo dominante usado por organizações de tráfico de drogas [DTOs] para lavar seu dinheiro de drogas vendidas nos Estados Unidos. ”

Em outubro de 2020, uma postagem em uma rede social chinesa chamou a atenção de um agente da DEA. O internauta chamado “Peter” afirmou ter uma necessidade urgente de trocar a moeda chinesa. Um agente da DEA que falava mandarim conversou com ele em particular e descobriu que Peter era capaz de oferecer uma taxa de câmbio mais atraente do que os bancos, bem como outras vantagens, como negociar pessoalmente e a capacidade de trocar US$ 60.000 em uma ou duas semanas. .

Ambas as partes concordaram que o agente primeiro transferiria a moeda chinesa para a conta chinesa da cunhada de Peter e, em seguida, receberia o equivalente em dólares americanos do contato.

Esse tipo de operação monetária clandestina não precisa passar pelo sistema financeiro dos Estados Unidos; nenhum movimento físico ocorre, mas pode alcançar um “equilíbrio entre os dois lugares.”

“Especialmente aqui no Colorado, a DEA e o Departamento de Receita perceberam que os CMLOs estavam cultivando maconha ilegalmente e usando o … esquema para lavar seus rendimentos ilegais de maconha no mercado negro”, afirma a acusação.

Os fundos foram trocados por meio de aplicativos de mídia social chineses e podem ser facilmente compartilhados usando um código QR com uma carteira eletrônica e, em seguida, devolvidos com “sucesso” aos Estados Unidos por meio de presentes de familiares e amigos.

A operação secreta

Em 5 de novembro de 2020, supostos lavadores de dinheiro Lin Zhang e Yan Chen apareceram conforme programado para se encontrar com o agente. Após a captura dos suspeitos, o agente abriu o telefone celular de Zhang e viu fotos de plantas de maconha e uma programação de cultivo de maconha manuscrita, eventualmente confiscando os $ 46.000 em dinheiro que os dois lavadores trouxeram, acreditando que o dinheiro vinha da manufatura ilegal e distribuição de maconha.

Posteriormente, os policiais realizaram uma investigação aprofundada. Em 2 de março deste ano, os agentes invadiram duas residências no Colorado com um mandado de busca e encontraram dezenas de milhares de dólares em dinheiro, vários quilos de maconha embalada e um celeiro usado para cultivar maconha. Embora o dono da casa tenha demolido a sala das plantas, ainda havia um forte cheiro de cannabis fresca no local.

De acordo com a conta de luz de uma das residências, o consumo mensal era de 1.230 kWh em novembro de 2019 e aumentou de 7 a 10 vezes em janeiro de 2021 com um consumo de 11.737 kWh.

As casas de cannabis internas geralmente têm as seguintes características: várias lâmpadas, exaustores, desumidificadores e outros equipamentos usados ​​para simular as condições de cultivo ao ar livre, consumindo assim enormes quantidades de eletricidade.

A investigação resultou em 21 indiciados chineses no Colorado, dos quais 16 foram presos. O promotor emitiu várias acusações, desde crime organizado e conspiração sob a Lei de Controle do Crime Organizado do Colorado até o cultivo e distribuição de drogas e lavagem de dinheiro.

A acusação alega que uma parte dos investimentos para comprar casas ilegais de maconha no Colorado veio da China continental, e a organização de lavagem de dinheiro ajudou a contornar os controles monetários da China (remessas limitadas a menos de US$ 50.000 por pessoa por ano). Em outras palavras, a maconha foi usada para arrecadar dinheiro atraindo investidores da China continental para colocar suas aplicações no mercado ilegal de maconha dos EUA e agir como um gerador de dinheiro clandestino.

O cultivo de cannabis requer três partes, sendo a parte principal o proprietário, financeiramente responsável por preparar a casa (comprar ou alugar) para cultivar maconha; bem como os custos de expansão, manutenção e operação; incluindo aluguel, instalações elétricas e outras despesas. O segundo é o especialista que gerencia diretamente o cultivo de cannabis, controlando as fases de crescimento (a cannabis é colhida cerca de quatro vezes por ano), fatores ambientais, nutrientes e controle de pragas. O terceiro são os trabalhadores.

Os chineses de Nova Iorque migram para outros estados para cultivar maconha

Durante a pandemia COVID-19 em 2020, Nova Iorque se tornou a área com o maior número de infecções e muitos negócios foram fechados, mas o negócio da maconha estava crescendo. Muitos chineses desempregados se aglomeraram em fazendas de maconha em outros estados para perseguir o “sonho de cultivar maconha para enriquecer”.

Depois do fechamento quando a economia de Nova Iorque reiniciou, muitos empregadores na comunidade chinesa acharam “difícil recrutar” funcionários, porque muitos deles foram para outros estados para cultivar cannabis.

“Um dos meus funcionários veteranos, que trabalha comigo há muito tempo, me disse que não viria na próxima segunda-feira e que iria a Oklahoma para cultivar maconha”, disse Ling Fei, dono de uma loja de informática no Brooklyn.

Outro entrevistado anônimo, responsável por uma organização de autoajuda chinesa, explicou que muitos restaurantes chineses não podem contratar pessoas porque podem ganhar de $ 4.000 a $ 5.000 ou mais por mês com o cultivo de maconha, enquanto os trabalhadores de restaurantes ganham apenas $ 3.000 por mês, então quem não quer ganhar mais dinheiro?

Brechas legais nas leis sobre a maconha estão causando problemas

Tudo isso começou quando a Califórnia se tornou o primeiro estado a legalizar a maconha medicinal, em 1996, durante a presidência de Bill Clinton. A partir de então, muitos chineses começaram a cultivar maconha e descobriram que era lucrativo.

As leis do Colorado sobre a maconha recreativa tornaram mais fácil para “grupos como este prosperar”, admitiu John Kellner. “Quero enfatizar que, embora esta seja uma microcélula em nosso estado do Colorado … acreditamos que isso esteja acontecendo em um nível macro em todos os Estados Unidos.”

Mesmo que a maconha recreativa seja legal no Colorado, as empresas devem solicitar licenças de comercialização de maconha no estado. No entanto, alguns chineses pensam erroneamente que legalizar a maconha em vários estados significa que cultivá-la em grande escala também é legal. Outros sabem que é ilegal, mas são motivados pelos enormes lucros e ainda assim assumem o risco.

Lu disse que a maioria das pessoas se reúne por meio de convites de negócios de fazendeiros com terras e fábricas prontas. Você pode alugar um quarto, comprar uma muda ou investir dinheiro “em ações”. Um projeto de plantação de maconha geralmente é financiado por muitos companheiros de província ou habitantes da China.

Alguns chineses vão para o noroeste de Oklahoma para cultivar maconha, onde os investidores chineses na Cannabis  estão oferecendo até quatro vezes o preço original de mercado para as casas. O canal local Woodward News informou no final de março que a Oklahoma State Business Federation se reuniu com senadores e congressistas para discutir como alterar a legislação para regular o comportamento dos investidores chineses.

Leis relaxadas sobre a maconha medicinal em Oklahoma transformaram o estado em um “oeste selvagem” para o cultivo da planta. “É óbvio que o mercado negro está ultrapassando rapidamente nossa presença de maconha medicinal no estado de Oklahoma”, disse um membro da Câmara dos Representantes de Oklahoma, Mike Dobrinski. “Medidas estão sendo tomadas. Todo mundo está preocupado. Garanto  que o que fizermos não será em vão .”

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 
 
 

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro
O Partido Comunista Chinês (PCC) condenou pelo menos 100 praticantes do Falun Gong à prisão em setembro, de ...
Leia Mais >
 

María Cabal fala sobre a infiltração do comunismo na América Latina

María Cabal fala sobre a infiltração do comunismo na América Latina
Hoje ouviremos a Sra. María Cabal, senadora da Colômbia, que nos fala sobre a insurgência comunista que está ...
Leia Mais >
 

O impacto da China nos danos ao meio ambiente

O impacto da China nos danos ao meio ambiente
A China comunista está impactando severamente o ambiente, a terra, o ar e a água. A nação asiática ...
Leia Mais >
 

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC
Uma sociedade na qual todos competem por dinheiro e pela chance de mudar seus destinos; Onde excluídos têm ...
Leia Mais >