Chinês morre infectado com hantavírus, especialistas dizem que não há motivo para preocupação

Por Jack Phillips

Um homem que morreu na China na segunda-feira teria testado positivo para uma forma de hantavírus, um vírus que se espalha por roedores, mas especialistas dizem que é altamente improvável que se transforme em outra pandemia.

“Ele foi testado positivo para #hantavirus. Outras 32 pessoas no ônibus foram testadas”, escreveu o porta-voz do Partido Comunista Chinês (PCC) no jornal The Global Times. Dizia que um homem da província de Yunnan morreu enquanto voltava para a província de Shandong. A publicação no Twitter do Global Times parece ter desencadeado o pânico e foi compartilhada milhares de vezes em apenas algumas horas.

Mas os casos de hantavírus são bastante raros e se espalham como resultado do contato próximo com a urina de roedores, fezes ou saliva, diz o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Alguns tipos de camundongos podem transportar o vírus nos Estados Unidos, e mortes foram relatadas no país.

O vírus também pode ser transmitido quando alguém respira ar contaminado por hantavírus. “Os hantavírus que causam doenças humanas nos Estados Unidos não podem ser transmitidos de uma pessoa para outra”, diz o CDC em seu site.

Ao ressaltar o quão raros são os casos de hantavírus, o CDC observa que, a partir de 2017, apenas 728 casos “foram relatados desde que a vigilância nos Estados Unidos começou em 1993”.

A morte por hantavírus despertou preocupação entre inúmeros usuários no Twitter e em outros sites de mídia social, meses após o surgimento do vírus do PCC na China, levando a uma pandemia global.

O Epoch Times refere-se ao novo coronavírus, que causa a doença COVID-19, como o vírus do PCC porque o encobrimento e a má administração do Partido Comunista Chinês permitiram que o vírus se espalhasse por toda a China antes de ser transmitido em todo o mundo.

Especialistas apontaram no Twitter que acredita-se que ele raramente é transmitido para ​seres humanos, ao contrário do coronavírus ou da gripe.

“O #hantavirus surgiu pela primeira vez na década de 1950 na guerra americano-coreana na Coreia (rio Hantan). Ele se espalha a partir de ratos / roedores se os seres humanos ingerirem seus fluidos corporais. A transmissão de humano para humano é rara”, escreveu o cientista sueco Dr. Sumaiya Shaikh no Twitter. “Por favor, não entre em pânico, a menos que você planeje comer ratos”, acrescentou.

Segundo o site do CDC, o hantavírus tem uma taxa de mortalidade de casos de cerca de 36%.

“Pacientes com infecção por hantavírus geralmente se apresentam de maneira inespecífica com um pródromo febril relativamente curto, com duração de 3-5 dias. Além de febre e mialgias, os primeiros sintomas incluem dor de cabeça, calafrios, tontura, tosse improdutiva, náusea, vômito e outros sintomas gastrointestinais”, afirma o site.

Houve casos no Chile e na Argentina que viram transmissão de humano para humano quando uma pessoa entrou em contato próximo com um indivíduo que foi infectado pelo vírus dos Andes, que é uma forma de hantavírus, de acordo com o CDC, que observou que esses casos também são raros.

 
 
 

Governo dos EUA intensifica esforços para combater desinformação sobre vírus do PCC

Governo dos EUA intensifica esforços para combater desinformação sobre vírus do PCC
As agências federais estão intensificando seus esforços para combater uma campanha agressiva de desinformação do regime comunista chinês ...
Leia Mais >
 

Trump diz que tem dúvidas sobre os dados oficiais de vírus da China

Trump diz que tem dúvidas sobre os dados oficiais de vírus da China
O presidente Donald Trump expressou na quinta-feira suas dúvidas sobre o número de casos de COVID-19 sendo relatados ...
Leia Mais >
 

Hospitais de Nova Iorque estão oferecendo enormes quantidades de vitamina C aos pacientes com coronavírus

Hospitais de Nova Iorque estão oferecendo enormes quantidades de vitamina C aos pacientes com coronavírus
Pacientes com coronavírus muito doentes estão recebendo uma grande dose de vitamina C no estado de Nova Iorque, ...
Leia Mais >
 

Vestígios de vírus são encontrados em navio de cruzeiro 17 dias após desembarque de passageiros

Vestígios de vírus são encontrados em navio de cruzeiro 17 dias após desembarque de passageiros
Traços do vírus do PCC foram encontrados em um navio de cruzeiro no Japão mais de duas semanas ...
Leia Mais >