China exige que canais de televisão transmitam obras dramáticas com propaganda do Partido

Por Nicole Hao, Epoch Times

O Partido Comunista Chinês (PCC) está se preparando para comemorar, no dia 1º de outubro, o 70º aniversário da tomada do poder na China.

Em antecipação, a Agência Nacional de Rádio e Televisão (NRTA), agência estatal que supervisiona as indústrias de rádio e televisão da China, publicou nova norma em 31 de julho, ordenando que todos os canais de televisão na China transmitam os chamados programas de “drama vermelho” que louvam o Partido.

A agência publicou uma lista com 86 programas de televisão que os canais devem transmitir nos próximos 100 dias, explicando que é uma prioridade que as emissoras sejam “politicamente corretas”.

Diretiva

A NRTA solicitou que todas as emissoras de televisão “não transmitam nenhum drama histórico ou drama de ídolos” – referindo-se às novelas ambientadas na China antiga ou nas quais aparecem jovens celebridades populares – nos próximos 100 dias.

Figurantes vestidos com trajes de dinastia Qing descansam no local de filmagem em um complexo de estúdios de cinema e televisão de Hengdian na cidade de Dongyang, província de Zhejiang, China, em 12 de maio de 2006. (Fotos da China / Getty Images)
Figurantes vestidos com trajes de dinastia Qing descansam no local de filmagem em um complexo de estúdios de cinema e televisão de Hengdian na cidade de Dongyang, província de Zhejiang, China, em 12 de maio de 2006. (Fotos da China / Getty Images)

 

Em vez disso, a diretiva explica, as emissoras deverão escolher dramas similares ao estilo da lista aprovada, “com um tema claro… que enfoca as diferentes fases gloriosas e combativas nas quais o povo chinês cresceu, tornou-se rico e se fortaleceu”.

Os programas da lista, produzidos em 2018 e 2019, incluem “Amada China”, um relato biográfico da vida do ex-oficial sênior do PCC, Fang Zhimin, que liderou os aldeões para lutar contra o governo do Kuomintang durante a guerra civil chinesa dos anos 20 e 30; e “Grande Virada”, uma recontagem de como o ex-líder do PCC, Mao Tsé-tung, liderou soldados armados para derrotar o Kuomintang e vencer a guerra civil.

Outros dramas, como “Eventos Diplomáticos”, pretendem demonstrar que o regime chinês é respeitado internacionalmente. Essa série de televisão apresenta ex-líderes do Partido, como Mao, Zhou Enlai, Deng Xiaoping e Chen Yi, como diplomatas habilidosos que conquistaram grande honra para o Partido.

Em 1º de agosto, vários meios de comunicação chineses e taiwaneses também relataram que o regime chinês lançou seis filmes que serão exibidos neste verão. Estes incluem “Oitocentos”, um retrato dramático de como 800 soldados do Kuomintang defenderam o país contra a invasão do exército japonês em 1937; e “A lenda de Guan Gong”, sobre o general homônimo (160-220 dC) do período dos Três Reinos da China. Nos tempos modernos, ele é frequentemente adorado como uma divindade. O filme pode ter alterado as tendências ateístas do Partido.

Comentários

Analistas chineses dizem que a censura aumentou, já que este ano coincide com momentos delicados, como o 30º aniversário do massacre da Praça Tiananmen.

“O declínio da economia chinesa é outra razão importante”, disse o comentarista Li Jiabao à Radio Free Asia no dia 1º de agosto, observando que o regime chinês está preocupado que os problemas econômicos possam fazer com que os cidadãos expressem seu desacordo com a autoridade do Partido.

 
 
 

Regeneração cerebral: por que ela é real e como torná-la possível

Regeneração cerebral: por que ela é real e como torná-la possível
Por Sayer Ji Você já desejou poder regenerar aquelas células cerebrais que você sacrificou na faculdade? Você teme ...
Leia Mais >
 

Projeto de lei uigur sobre direitos humanos desencadeia outra reação de Pequim

Projeto de lei uigur sobre direitos humanos desencadeia outra reação de Pequim
A adoção de um projeto de lei que se opõe à supressão dos direitos humanos dos uigures e ...
Leia Mais >
 

Efeitos da exposição ao gás lacrimogêneo aumentam tensão em Hong Kong

Efeitos da exposição ao gás lacrimogêneo aumentam tensão em Hong Kong
Por Annie Wu, Epoch Times HONG KONG - Em um domingo de novembro, Chau saiu com sua família ...
Leia Mais >
 

Bolsonaro diz que ‘Argentina perde muito mais’ se romper acordos com Brasil

Bolsonaro diz que ‘Argentina perde muito mais’ se romper acordos com Brasil
Por Eduardo Tzompa Durante a reunião desta quarta-feira que antecede a cúpula do MercoSur (Mercado Comum do Sul), ...
Leia Mais >