China adicionará trenós-foguete na Mongólia Interior para testar armas hipersônicas, revelam documentos vazados

Por Nicole Hao

O regime chinês está planejando construir mais foguetes – usados ​​para testar mísseis, artilharia e equipamento aeroespacial – em uma base militar na Mongólia Interior, de acordo com documentos internos do governo chinês obtidos recentemente pelo Epoch Times.

Chamado de Base 051, o local é operado pela maior empresa estatal de defesa da China, a China Ordnance Industries Group Corp. (Norinco), que tem testado armas desde 1965.

Poucos detalhes são conhecidos sobre a base secreta.

Os documentos revelam os tipos de armas que está sendo testada na Base 051, bem como os planos de desenvolvimento do regime chinês para a base até o ano 2025 – que inclui um “centro de trenó de foguete” que terá a capacidade de testar armas hipersônicas.

Os projetos terão um orçamento total de 23 trilhões de yuans (cerca de US $ 3,39 trilhões).

“O fato de a Norinco estar investindo em foguetes de velocidade hipersônica pode indicar que ela agora está desenvolvendo armas hipersônicas para novos foguetes de artilharia muito mais rápidos ou mesmo mísseis balísticos de curto alcance (SRBMs) maiores do que os que desenvolveu recentemente”, disse Rick Fisher, bolsista sênior do Centro Internacional de Avaliação e Estratégia, com sede na Virgínia, e colaborador do Epoch Times.

“Essas armas hipersônicas seriam muito mais difíceis de combater do que a artilharia e os SRBMs atuais e, portanto, seriam desejadas pelo Exército de Libertação do Povo”.

Tropas chinesas, russas, iranianas, paquistanesas e birmanesas lançam foguetes de sistemas de mísseis durante os exercícios militares do Cáucaso-2020, na cordilheira Turali, na costa do Mar Cáspio, na Rússia, em 23 de setembro de 2020 (DIMITAR DILKOFF / AFP via Getty Images )
Tropas chinesas, russas, iranianas, paquistanesas e birmanesas lançam foguetes de sistemas de mísseis durante os exercícios militares do Cáucaso-2020, na cordilheira Turali, na costa do Mar Cáspio, na Rússia, em 23 de setembro de 2020 (DIMITAR DILKOFF / AFP via Getty Images )

Na mídia chinesa, a maioria dos relatórios menciona apenas um trenó-foguete na cidade de Xiangyang, na província de Hubei, no centro da China, enquanto pouco se sabe sobre a Base 051.

No entanto, em maio de 2018, o prefeito da Liga Alxa na Mongólia Interior na época mencionou em um relatório administrativo que a Base 051 tinha um trenó-foguete. Liga Alxa, localizada no extremo oeste da região, também abriga um centro de lançamento de satélites e uma instalação que testa e fabrica dirigíveis.

Teste de Armas

Em um documento interno que o governo da Liga Alxa enviou à Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional do governo central em maio, a liga relatou “realizações” da instalação de 2016 a 2020.

“[Base 051] construiu locais de lançamento de médio e longo alcance, defesa aérea, locais de lançamento de antimísseis e locais de teste de danos de alta energia na Alxa”, afirma o documento.

A base também tem zonas para testes de helicópteros e drones, testes de explosão estática e exercícios militares, enquanto cerca de 600.000 especialistas usaram o local para testar armas de 2016 a 2019, afirmou.

O governo da Liga Alxa relatou à Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional da China sobre seus planos para construir pistas de trenó movidas a foguete na Mongólia Interior, datado de maio de 2020 (Cedido ao Epoch Times)
O governo da Liga Alxa relatou à Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional da China sobre seus planos para construir pistas de trenó movidas a foguete na Mongólia Interior, datado de maio de 2020 (Cedido ao Epoch Times)

Plano

O documento também detalhou o 14º Plano Quinquenal da base, de 2021 a 2025.

A base deve desenvolver a capacidade de testar armas baseadas em terra e no ar, como mísseis e lançadores de foguetes que podem alcançar alcance ultralongo, afirma o governo Alxa.

O alcance ultralongo tem padrões diferentes dependendo da arma. Para um lançador de foguetes, a mídia estatal chinesa chamou um lançador de foguete de alcance ultralongo que pode atingir alvos a mais de 400 quilômetros (249 milhas) de distância. Enquanto isso, um míssil de alcance ultralongo pode atingir um alvo que está a 3.400 milhas de distância.

O documento também mencionou planos detalhados para seus trenós-foguete.

A plataforma de trenó do foguete da base tem 16 quilômetros (9,94 milhas) de comprimento. Mas para “fortalecer o desenvolvimento tecnológico e a aplicação de trenós-foguete”, afirma o documento, o governo construirá mais trenós, incluindo um trenó-foguete hipersônico e um trenó-foguete de levitação magnética com propulsores eletromagnéticos.

A levitação magnética, ou maglev para abreviar, permite que um veículo viaje em altas velocidades enquanto encontra pouco ou nenhum atrito.

Construir um trenó maglev é “curioso”, diz Fisher, pois pode significar que a China está desenvolvendo “um avião espacial Near-Earth-Orbit de velocidade hipersônica que pode bombardear o Japão ou Taiwan e pousar no grande, mas ainda muito subutilizado, Zhuhai International Aeroporto”. O aeroporto de Zhuhai está localizado no sul da China.

Um avião espacial é um veículo que pode voar como uma aeronave na atmosfera da Terra e também navegar pelo espaço sideral como uma nave espacial.

O regime chinês vê o Estado autônomo de Taiwan como parte de seu território e ameaçou usar a força militar para colocar a ilha sob seu controle, enquanto Japão e China também têm reivindicações territoriais concorrentes para as ilhas Senkaku localizadas no Mar da China Oriental.

“Em velocidades e altitudes muito altas, esse bombardeiro seria muito difícil de abater e, ao contrário de um míssil, poderia ser reutilizado para muitas missões”, observou Fisher.

Orçamento informado pela Alxa League Statistics Bureau de 2020 para a Base 051 na Mongólia Interior, datado de 9 de junho de 2020 (Cedido ao Epoch Times)
Orçamento informado pela Alxa League Statistics Bureau de 2020 para a Base 051 na Mongólia Interior, datado de 9 de junho de 2020 (Cedido ao Epoch Times)

Despesas

O orçamento para os novos projetos é de 23 trilhões de yuans, com o financiamento vindo do governo central.

O documento também resumiu o orçamento para 2020, que foi de 1,25 trilhão de yuans (cerca de US$ 184 milhões). Como os projetos são secretos e todos os contratos são classificados, apenas os custos de construção de estradas seriam registrados no papel como “ativos fixos”, que, para o ano de 2020, seriam de 19 milhões ($ 2,8 milhões). Isso significa que apenas cerca de 1,52 por cento do orçamento real seria contabilizado como parte do orçamento de defesa da China.

Oficialmente, a China diz que seu gasto total com defesa é de aproximadamente US$ 266 bilhões. Mas seus verdadeiros gastos com defesa há muito são questionados, já que o regime é conhecido por sua falta de transparência. Os detalhes sobre os projetos demonstram como o orçamento de defesa é severamente subnotificado.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
 
 

Ex-oficial da CIA alega que irregularidades eleitorais podem fazer parte de um grande plano

Ex-oficial da CIA alega que irregularidades eleitorais podem fazer parte de um grande plano
Gary Berntsen, ex-oficial de carreira da Agência Central de Inteligência (CIA) que trabalhou em várias missões de contraterrorismo, ...
Leia Mais >
 

Por que a China teme Trump?

Por que a China teme Trump?
Por NTD Notícias As observações de uma professora chinesa estão causando controvérsia, ela afirma que a pandemia trouxe ...
Leia Mais >
 

Pequim anuncia novo salário mínimo que não é suficiente para cobrir custo de vida

Pequim anuncia novo salário mínimo que não é suficiente para cobrir custo de vida
A cidade de Pequim anunciou recentemente um novo salário mínimo, mas o valor não é suficiente para cobrir ...
Leia Mais >
 

Trump: “Meu discurso mais importante”

Trump: “Meu discurso mais importante”
Por NTD Notícias O presidente Trump discursou durante quase uma no que chamou de “o discurso mais importante ...
Leia Mais >