Cerca de 3.000 praticantes do Falun Gong foram perseguidos e assediados nos últimos meses

Por Frank Yue

A polícia chinesa assediou cerca de 3.000 praticantes do Falun Gong nos últimos dois meses, de acordo com o Minghui.org, um site com sede nos EUA que documenta a perseguição do regime comunista chinês ao Falun Gong.

Um relatório do Minghui disse que o Partido Comunista Chinês ( PCC ) perseguiu ou prendeu pelo menos 2.941 pessoas por causa de suas crenças. Entre elas, 884 foram presas, 101 foram internadas em centros de lavagem cerebral, instalações para fazê-los renunciar à sua fé, 34 foram obrigadas a fazer exames de sangue e 17 foram obrigadas a fugir de suas casas.

Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, é uma antiga prática espiritual chinesa que consiste em exercícios de meditação com movimentos lentos e ensinamentos morais que promovem a verdade, a compaixão e a tolerância na vida diária. De acordo com estimativas oficiais, sua popularidade atingiu o pico no final da década de 1990 na China, com entre 70 e 100 milhões de praticantes. No entanto, o PCC reprime o grupo por razões políticas desde 1999.

“Campanha de redução total”

O PCC realizou sua “Campanha de Redução Total”, uma política de tolerância zero contra o Falun Gong que apareceu pela primeira vez na província de Guizhou em março de 2020 e em várias províncias do país desde julho e agosto, de acordo com relatórios do Minghui.

No condado de Linyi, província de Shanxi, o comitê de assuntos políticos e jurídicos local levou agentes de segurança, polícia e funcionários do governo a assediar os praticantes do Falun Gong. Eles intimidaram todos os crentes com doutrinação política ateísta do partido comunista e tentaram coagi-los a renunciar às suas crenças.

Os principais perpetradores no condado foram Wang Shijun, chefe do Escritório 610 local, uma organização partidária extralegal secreta dedicada a erradicar o Falun Gong; o ex-diretor do Escritório 610 local, Li Quanzhou; e um funcionário responsável pelos assuntos de segurança, Yuan Jianqing.

Em 5 de julho, as autoridades locais sequestraram Yao Kangqiang, um praticante do Falun Gong e residente da vila de Pingyi, na cidade de Beixin. Yao foi levado a um centro de lavagem cerebral localizado no Jinguo Hotel. O praticante entāo fez greve de fome para protestar contra os maus-tratos que estava recebendo. Dois dias depois, ele foi solto, no entanto, um dia depois foi recapturado. Atualmente, ele foi forçado a fugir de sua casa para escapar do assédio policial.

Perseguição de praticantes idosos

O relatório disse que 229 das vítimas da repressão eram pessoas com 65 anos ou mais.

O praticante do Falun Gong, Jiang Xinying, é um residente de 65 anos da cidade de Jinan, na província de Shandong, no leste da China. Em 22 de julho, sete a oito policiais da Delegacia de Polícia de Qianfoshan a sequestraram depois de invadir sua casa e confiscar alguns de seus pertences.

Jiang foi encarcerado duas vezes no sistema de campos de trabalho do PCC, em um total de três anos e meio encarcerado. Lá, sua saúde piorou e ele desenvolveu tuberculose e uma grave doença nas costas.

Por sua vez, He Wencui é um professor aposentado de 86 anos da Faculdade de Silvicultura da Universidade Beihua, na cidade de Jilin, província de Jilin. Em 16 de julho, sete pessoas da Delegacia de Polícia Rodoviária de Taishan e do comitê de bairro local invadiram sua casa. Eles apreenderam seus livros do Falun Gong e materiais relacionados, e o sequestraram junto com um colega praticante do Falun Gong que estava cuidando dele.

Também na província de Jilin, o praticante Ahn Bokja, um professor aposentado de 82 anos, foi enviado ao Centro de Detenção de Yanji no final de agosto. Quatro anos atrás, ele foi condenado a uma pena de 3 anos que teve que cumprir fora da prisão. Agora, ele enfrenta um processo judicial novamente.

Na província de Hebei, no norte, Zhang Wanxin, um praticante do Falun Gong de 85 anos, que mora na cidade de Tangshan, foi sequestrado por enquanto ele discutia o Falun Gong com moradores em uma feira local no condado de Luannan. O velho foi libertado sob “fiança enquanto aguarda o julgamento”.

Logo depois, no entanto, ele foi condenado por um tribunal local a um ano e seis meses de prisão, com um período probatório de dois anos e uma multa de 1.000 yuans (US$ 155).

 
 
 

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro

Pequim prendeu pelo menos 100 praticantes do Falun Gong em setembro
O Partido Comunista Chinês (PCC) condenou pelo menos 100 praticantes do Falun Gong à prisão em setembro, de ...
Leia Mais >
 

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC

“Round 6” na vida real; comércio de órgãos do PCC
Uma sociedade na qual todos competem por dinheiro e pela chance de mudar seus destinos; Onde excluídos têm ...
Leia Mais >
 

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares

Pais que defendem seus filhos são tratados como terroristas domésticos por conselhos escolares
À medida que mais e mais pais vão aos conselhos escolares locais para reclamar sobre a teoria crítica ...
Leia Mais >
 

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan

46 mortos e 41 feridos em incêndio em Taiwan
Pelo menos 46 morreram após um incêndio “extremamente severo” em Taiwan. Ocorrido dentro de um prédio de 13 ...
Leia Mais >