Casa Branca envia carta gentil a Taiwan solicitando ajuda

Por Emel Akan

WASHINGTON – A Casa Branca enviou uma carta ao governo taiwanês em 17 de fevereiro solicitando sua ajuda para resolver a escassez global de chips de computador que tem causado estragos na indústria automobilística. A carta dizia que “o futuro é brilhante” para as relações EUA- Taiwan em meio a ameaças da China.

O principal conselheiro econômico do presidente Joe Biden, Brian Deese, escreveu uma carta ao ministro da Economia de Taiwan, Wang Mei-hua, agradecendo por trabalhar com fabricantes de chips taiwaneses para diminuir o déficit global.

“As montadoras americanas continuam muito preocupadas com o impacto da escassez de chips automotivos nas linhas de produção este ano”, dizia a carta obtida pelo Epoch Times.

A pandemia aumentou a demanda por produtos eletrônicos de consumo, causando escassez de chips semicondutores. As montadoras globais foram atingidas de forma especialmente dura por esta crise de abastecimento. A General Motors e a Ford fecharam temporariamente algumas de suas fábricas em resposta. O déficit também afetou muitas marcas globais de automóveis, incluindo Volkswagen, Toyota e Nissan.

A crise dos semicondutores aumentou a importância estratégica de Taiwan para os governos ocidentais. As montadoras americanas, europeias e japonesas têm pressionado seus governos para intervir e se envolver com as autoridades taiwanesas para lidar com a escassez.

Taiwan é um centro crucial para a cadeia global de suprimentos de semicondutores. Seu setor de semicondutores é o segundo maior do mundo em receita, depois dos Estados Unidos.

A Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), maior fabricante mundial de chips contratados, e outras empresas taiwanesas já aumentaram a produção de chips vitais para resolver o problema.

“Reconhecemos o desafio das limitações de curto prazo na fabricação de chips automotivos relacionadas aos prazos de entrega de projetos específicos”, disse Deese em sua carta, acrescentando: “Agradecemos seus esforços para garantir condições equitativas para as empresas Americanas em busca de entregas de suprimentos disponíveis”.

Wang disse a repórteres que recebeu a carta da Casa Branca em 19 de fevereiro.

“De agora em diante, os fabricantes estão fazendo o que devem” para resolver o problema, disse ele, acrescentando: “Estamos ajudando o máximo que podemos”.

O ministro das Finanças alemão, Peter Altmaier, também escreveu uma carta a Wang pedindo sua ajuda, de acordo com a Reuters.

Os Estados Unidos vêem Taiwan como um parceiro estratégico na Ásia, e o governo Biden busca fortalecer a cooperação de longo prazo com a ilha autônoma, segundo a carta.

“Vemos um potencial significativo para um compromisso mais amplo de médio e longo prazo para melhorar a resiliência da cadeia de suprimentos para a indústria de semicondutores”, disse a carta.

Em maio de 2020, a TSMC anunciou que construiria a instalação de fabricação de chips de 5 nanômetros mais avançada do mundo no Arizona. O acordo, dizem os especialistas, tem o potencial de reorientar fundamentalmente a cadeia de suprimentos de alta tecnologia de Taiwan, afastando-a da China e rumo aos Estados Unidos.

“Também esperamos trabalhar de perto com vocês nas relações econômicas mais amplas entre os Estados Unidos e Taiwan, incluindo a facilitação do comércio entre nós”, disse a carta. “O futuro é brilhante para a cooperação econômica entre os Estados Unidos e Taiwan.”

Os Estados Unidos não têm uma relação diplomática formal com Taiwan, mas mantêm laços não oficiais com a ilha autônoma sob a Lei de Relações com Taiwan de 1979. Nos últimos anos, tem havido um esforço bipartidário para estabelecer um acordo bilateral de livre comércio com Taiwan.

Washington tem sido cautelosa nas negociações com Taipei por temer provocar o regime de Pequim, que considera a ilha democrática parte do território chinês.

No entanto, a natureza das relações entre os Estados Unidos e Taiwan mudou drasticamente no ano passado. Sob a presidência de Trump, Washington expandiu significativamente a ajuda militar a Taiwan.

O governo Trump em suas semanas finais também removeu as restrições ao contato com diplomatas e oficiais taiwaneses, marcando um passo importante para aprofundar os laços com a ilha.

O embaixador de fato de Taiwan nos Estados Unidos compareceu à posse de Biden no mês passado. Esta foi a primeira vez que Taiwan foi oficialmente convidado para um juramento presidencial desde 1979, quando o governo dos Estados Unidos transferiu o reconhecimento diplomático para Pequim. Isso também sinalizou a continuação do apoio crescente a Taipei na era pós-Trump, apesar das constantes ameaças de invasão de Pequim.

Nos últimos meses, Pequim realizou repetidamente operações militares perto de Taiwan para expressar frustração com a mudança na política externa dos EUA em relação a Taiwan.

Embora o governo Biden tenha adotado um tom positivo na carta, não está claro se o apoio dos EUA a Taiwan permanecerá forte nos próximos meses. O novo governo pode reverter algumas das políticas de Trump para Taiwan, dizem os especialistas, se Biden e seus funcionários buscarem reduzir as tensões com a China.

“Acho que é muito cedo para realmente entender toda a política chinesa do governo Biden neste momento”, disse Rupert Hammond-Chambers, presidente do Conselho Empresarial EUA-Taiwan, ao Epoch Times.

“Na verdade, não vimos como será a política de cada departamento com a China, como será e como eles farão tudo junto”, acrescentou.

Siga Emel no Twitter: @mlakan 

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
 
 

China parou de fornecer empréstimos à América Latina e Caribe em 2020, primeira vez em 15 anos

China parou de fornecer empréstimos à América Latina e Caribe em 2020, primeira vez em 15 anos
Um relatório recente observou que em 2020 a China não concedeu novos empréstimos aos governos da América Latina ...
Leia Mais >
 

ONU: EUA retornam

ONU: EUA retornam
Por NTD Notícias O indicado do presidente Biden para a CIA está chamando o regime chinês de “um ...
Leia Mais >
 

EUA respondem China

EUA respondem China
Por NTD Notícias Washington responde diplomata máximo de Pequim. O oficial Chinês havia definido ‘linhas vermelhas’ que disse ...
Leia Mais >
 

China alerta Biden

China alerta Biden
Por NTD Notícias Pequim diz ao presidente dos EUA Biden sobre as chamadas "linhas vermelhas" que ele não ...
Leia Mais >