Canadá: estudante chinesa perseguida por sua fé envia carta a Justin Trudeau em meio aos Jogos Olímpicos

Por Michael Wing 

Há uma razão pela qual os americanos se afastaram dos Jogos Olímpicos de Pequim em números recordes – uma pesquisa no mês passado mostrou que 40% dos adultos se opõem a sediar os jogos na China. Assim como existem razões pelas quais alguns republicanos pedem um boicote completo – atletas e tudo – dos icônicos jogos. Há razões pelas quais alguns atletas são silenciados ao se manifestarem em Pequim.

As terríveis violações aos direitos humanos que ocorrem em um país sem liberdade são frequentemente citadas. Os uigures são citados como sujeitos a trabalho escravo, tortura e até mesmo assassinato. Fala-se sobre a pobreza que permeia a maioria dos chineses e o desaparecimento de uma tenista que se atreveu a falar sobre um funcionário do PCC (Partido Comunista Chinês) que a agrediu sexualmente.

E sobre o vírus do PCC que infectou o mundo.

Mas uma estudante chinesa com visto que vive no Canadá e fugiu do regime tirânico do PCC temendo perseguição por sua crença espiritual no Falun Gong fez mais do que ignorar as Olimpíadas.

Lucy Liu, uma prodígio em animação digital de 25 anos no mundialmente renomado Sheridan College, compartilhou sua situação em uma carta aberta ao primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, em colaboração com seu sindicato estudantil.

(Esquerda) Lucy Liu e sua mãe, Yan Liu, agora detidas (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu); (Direita) O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau (Alex Wong/Getty Images)
(Esquerda) Lucy Liu e sua mãe, Yan Liu, agora detidas (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu); (Direita) O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau (Alex Wong/Getty Images)

A mãe da Sra. Liu, Yan Liu, também praticante do Falun Gong, ficou “desaparecida” e também foi presa pelo PCC devido à sua prática pacífica de meditação, que ensina os princípios “verdade, compaixão e tolerância”. Sob seus opressores, que estão acima da lei, Yan pode enfrentar tortura, trabalho forçado, abuso, morte e até mesmo a extração de seus órgãos vitais.

Nem a família de Yan nem o advogado podem contatá-la.

“Nós defendemos em nome de todos os nossos alunos e aspiramos a um tratamento justo e igual para todos esses alunos e suas famílias”, escreveu o presidente da União Estudantil de Sheridan, Kyle Budge, a Trudeau. “Entendemos que esta é uma questão internacional complexa, mas como representantes de nosso complexo e corpo estudantil internacional, seria negligente não pressionar pela libertação da mãe de Lucy e fornecer a Lucy o apoio que ela precisa”.

A carta acrescentou: “Pedimos a sua condenação imediata dessas detenções ilegais e pedimos a libertação da Sra. Yan Liu”.

Trudeau não respondeu até agora.

Carta ao primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, enviada em nome de Lucy, escrita pelo presidente da União Estudantil de Sheridan, Kyle Budge (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu)
Carta ao primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, enviada em nome de Lucy, escrita pelo presidente da União Estudantil de Sheridan, Kyle Budge (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu)

Além disso, a Sra. Liu escreveu uma carta aos nossos editores expressando sua consternação com a participação global nas Olimpíadas de Pequim: “Enquanto a China está estendendo o tapete vermelho para a cerimônia, minha mãe está detida em um campo de concentração na China por causa de sua crença espiritual e sua busca pacífica pela liberdade de consciência”.

Liu lamentou que em “uma época em que as famílias se sentam ao redor da mesa e desfrutam do tradicional jantar de bolinho de massa” durante o Ano Novo Chinês, sua família foi “separada” junto com “milhares de famílias de outros praticantes do Falun Gong”.

“Ironicamente”, acrescentou, “quando Pequim prometia construir um ‘mundo pacífico e melhor’ ao sediar os Jogos Olímpicos, o regime comunista, por outro lado, perseguia seus próprios cidadãos que praticavam a pacífica disciplina”.

Longe de alcançar o espírito das Olimpíadas, os jogos “lançaram uma sombra escura em meu coração”, relatou ela.

“Olhando pela pequena sala onde moro, grandes flocos de neve voam no céu. É a maior tempestade de neve em 10 anos. Rezo para que, após o frio inverno, a primavera não fique muito atrás. A vida tem altos e baixos, as dificuldades só podem me tornar mais forte e resiliente. Devo ter fé e florescer. Esse é o verdadeiro espírito olímpico.”

A carta de Lucy aos editores do Epoch Times, bem como uma foto de Yan (esquerda), ela mesma (centro) e seu pai (direita) (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu)A carta de Lucy aos editores do Epoch Times, bem como uma foto de Yan (esquerda), ela mesma (centro) e seu pai (direita) (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu)
A carta de Lucy aos editores do Epoch Times, bem como uma foto de Yan (esquerda), ela mesma (centro) e seu pai (direita) (Cortesia de Lucy Mingyuan Liu)

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha

Regime chinês matou adepto do Falun Gong para extrair seu fígado, afirma testemunha
Um ex-membro de uma gangue criminosa japonesa disse que testemunhou o comércio de órgãos na China, tendo visto ...
Leia Mais >
 

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva

Ex-general dos EUA fala sobre atuação do Partido Comunista Chinês: Entrevista exclusiva
David Stillwell, é um general de brigada americano reformado. De 2011 a 2013 ele foi diplomata na embaixada ...
Leia Mais >
 

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA

BOLSONARO: “TOMAREMOS AS AÇÕES QUE DEVEM SER TOMADAS”; COREIA DO SUL AMPLIA DEFESA
O presidente Jair Bolsonaro discursou a uma multidão em Santa Catarina no sábado. Ele falou em “luta do ...
Leia Mais >
 

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL

GUERRA “NÃO-CONVENCIONAL” DA CHINA; COLÔMBIA: GIRO À ESQUERDA; BRICS: IMPASSE DO BRASIL
Um impasse para o Brasil? Ocorreu a cúpula do BRICS. China e Rússia falam em uma expansão do ...
Leia Mais >