Barr critica Hollywood e grandes empresas de tecnologia por ‘se curvarem’ à China comunista em busca de lucro

Por Cathy He

O procurador-geral dos Estados Unidos William Barr criticou as empresas do país, incluindo Hollywood e as grandes empresas de tecnologia, por “se curvarem” a Pequim para obter lucro, em um discurso destacando as ameaças do regime comunista a a liberdade e prosperidade dos Estados Unidos.

Hollywood e empresas de tecnologia americanas se permitiram “tornar-se peões de influência chinesa”, disse Barr em discurso no Museu Presidencial Gerald R. Ford em 16 de julho.

“Pelo lucro de curto prazo, as empresas americanas sucumbiram à influência [chinesa], mesmo à custa da liberdade e da transparência nos Estados Unidos”.

Suas observações são feitas quando o governo Donald Trump intensifica dramaticamente sua retórica e ações contra o regime chinês em uma ampla gama de questões, incluindo direitos humanos, espionagem, Hong Kong e seu encobrimento do surto do vírus do PCC.

Somente na semana passada, Washington sancionou funcionários do Partido Comunista Chinês (PCC) responsáveis ​​por violações de direitos contra minorias étnicas na região de Xinjiang; formalmente contra as reivindicações territoriais de Pequim e ações agressivas no mar da China Meridional; encerrou os privilégios especiais de Hong Kong com os Estados Unidos depois que Pequim impôs uma severa Lei de Segurança Nacional; assinou também um projeto de lei que sanciona os funcionários envolvidos na supressão das liberdades em Hong Kong bem como os bancos que fazem negócios com eles.

Hollywood e os grandes nomes da tecnologia

O procurador-geral apontou a hipocrisia por trás da prática de autocensura de Hollywood para garantir o acesso ao maior mercado de filmes do mundo.

“Todos os anos, durante o Oscar, os americanos recebem palestras sobre como esse país fica aquém dos ideais de justiça social de Hollywood”, disse ele. “Mas Hollywood agora censura regularmente seus próprios filmes para apaziguar o Partido Comunista Chinês, o mais poderoso violador de direitos humanos do mundo”.

Por exemplo, uma cena do filme de zumbis Guerra Mundial Z ‘foi alterada para remover a sugestão de que o vírus que iniciou o apocalipse se originou na China, disse Barr.

A indústria cinematográfica está agora cada vez mais dependente de financiamento chinês, e algumas empresas americanas entraram em joint ventures com estúdios de cinema chineses, abrindo caminho para a transferência de tecnologia e conhecimento para o país, alertou o procurador-geral.

“A República Popular da China pode estar menos interessada em cooperar com Hollywood do que em cooptar Hollywood e, por fim, substituí-la por suas próprias produções cinematográficas”, disse Barr.

As grandes empresas de tecnologia dos EUA também ajudaram o regime a construir tecnologia de vigilância e censuraram seus produtos em troca do acesso ao mercado chinês, disse Barr.

A empresa de tecnologia americana Cisco, por exemplo, ajudou Pequim a construir seu vasto aparelho de censura e vigilância na Internet, conhecido como “Grande Firewall”, disse ele. Outros “, como Google, Microsoft, Yahoo e Apple, estão bastante dispostos a colaborar com o PCC”, acrescentou Barr.

Barr disse que a Apple removeu vários aplicativos de sua loja de aplicativos na China após pressão do regime chinês e transferiu alguns de seus dados do iCloud para servidores na China, apesar das preocupações de expor os dados ao acesso do PCC.

Cooperação de empresas de elite

O procurador-geral alertou que os líderes empresariais dos EUA se tornaram os “principais alvos” das operações influenciadas pela China nos Estados Unidos e que o Departamento de Justiça tem visto um número crescente de casos envolvendo autoridades chinesas e seus advogados. Eles abordam os executivos e os procuram para tomar ações pró-PCC.

“Pressionar ou cortejar privadamente os líderes corporativos dos EUA para promover políticas ou políticos dos EUA representa uma ameaça significativa”, disse Barr. “Porque se esconder atrás das vozes americanas permite ao governo chinês aumentar sua influência e colocar um ‘rosto amigável’ em políticas em favor do regime”.

O diretor do FBI, Christopher Wray, também disse recentemente que o regime chinês trabalhou duro para cooptar “pessoas mais próximas” às autoridades americanas, que visam exercer influência, como empresários e doadores políticos. “Alguns desses intermediários podem nem perceber que estão sendo usados ​​como peões, porque também foram enganados”, acrescentou ele na época.

Barr, por sua vez, declarou que as ações da elite empresarial americana que falam em nome de empresas chinesas ou de Pequim podem envolver a Lei de Registro de Agentes Estrangeiros. Aqueles que trabalham em nome de um governo ou entidade estrangeiro são obrigados por lei a se registrar no Departamento de Justiça.

“Apelar para a República Popular da China pode trazer recompensas de curto prazo. Mas, no final, o objetivo da República Popular da China é substituí-lo”, disse o procurador-geral na mensagem às principais empresas americanas.

“O caráter fundamental do regime nunca mudou, como demonstra sua implacável repressão a Hong Kong. Hoje, a China não está mais próxima da democracia do que em 1989, quando tanques se chocaram com manifestantes pró-democracia na Praça da Paz Celestial”, disse Barr, referindo-se à repressão brutal de Pequim contra ativistas estudantis pró-democracia.

Siga Cathy no Twitter: @CathyHe_E

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

EUA exigem transparência de regime chinês diante da COVID-19

 
 
 

Extração forçada de órgãos do regime chinês pode se espalhar para outros países, alerta diretor de ONG

Extração forçada de órgãos do regime chinês pode se espalhar para outros países, alerta diretor de ONG
O regime comunista chinês exportaria sua prática horrível de extração forçada de órgãos assim que fosse capaz de ...
Leia Mais >
 

Reforço Pfizer COVID-19 não deve ser aplicado aos que se vacinaram com J&J e Moderna, afirma oficial da FDA

Reforço Pfizer COVID-19 não deve ser aplicado aos que se vacinaram com J&J e Moderna, afirma oficial da FDA
A vacina de reforço COVID-19 da Pfizer não deve ser administrada àqueles que já receberam vacinas feitas pela ...
Leia Mais >
 

Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU

Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU
Xi Jinping, o líder do Partido Comunista Chinês, discursou na ONU. Altos-oficiais de governos e instituições diversas têm ...
Leia Mais >
 

General americano faz telefonemas secretos para a China

General americano faz telefonemas secretos para a China
Um dos maiores generais americanos está com problemas. Uma reportagem diz que ele ligou secretamente para seu correspondente ...
Leia Mais >