Autoridades da Nova Zelândia sāo convocadas pela embaixada chinesa após condenação de ataques cibernéticos

Por Daniel Y. Teng

A embaixada chinesa convocou autoridades da Nova Zelândia após o lançamento de uma declaração internacional conjunta condenando o envolvimento de Pequim em atividades cibernéticas maliciosas.

A Ministra das Relações Exteriores da Nova Zelândia, Nanaia Mahuta, emitiu uma declaração após dizer: “As áreas de diferença não precisam definir nosso relacionamento, mas continuaremos a promover as coisas em que acreditamos e a apoiar o sistema internacional baseado em regras”.

“Nosso relacionamento com a China é um dos mais significativos, impactando uma ampla gama de setores e grupos em Aotearoa, Nova Zelândia.”

Em 19 de julho, Andrew Little, ministro da Nova Zelândia para a Agência de Segurança de Comunicações do Governo, emitiu uma declaração na primeira coalizão com ministros da Austrália, Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Japão, União Europeia e OTAN, para condenar em conjunto e expor o “comportamento desestabilizador” de Pequim no ciberespaço.

As declarações condenaram publicamente e atribuíram a culpa a Pequim por ataques de ransomware, extorsão cibernética, cripto-jacking e roubo de classificação de vítimas em todo o mundo, tudo para ganho financeiro.

Também condenou o Ministério de Segurança do Estado de Pequim por envolver hackers terceirizados para realizar essas atividades.

O Ministro Andrew Little fala à mídia em Wellington, Nova Zelândia, em 01 de dezembro de 2020 (Hagen Hopkins / Getty Images)

“Separadamente, o GCSB também confirmou que atores patrocinados pelo estado chinês foram responsáveis ​​pela exploração das vulnerabilidades do Microsoft Exchange na Nova Zelândia no início de 2021”, acrescentou.

“Pedimos o fim deste tipo de atividade maliciosa, que mina a estabilidade e a segurança global, e instamos a China a tomar as medidas adequadas em relação a essa atividade proveniente de seu território.”

A embaixada sediada na Nova Zelândia divulgou sua própria declaração um dia depois de pedir à NZ que abandonasse sua “mentalidade da Guerra Fria” e enfrentasse quaisquer desafios por meio do “diálogo e cooperação”.

A ministra da oposição da Nova Zelândia, Judith Collins, advertiu que o país precisava estar preparado para uma possível retaliação.

“Obviamente, a China provavelmente tomará alguma forma de retaliação contra a Nova Zelândia no que diz respeito ao comércio … muito provavelmente veremos algo” , disse ela à RNZ . “E acredito que veremos isso por causa do que aconteceu na Austrália.”

A Austrália sofreu uma coerção econômica que durou um ano por Pequim, após apelos da Ministra das Relações Exteriores, Marise Payne, para uma investigação independente sobre as origens do COVID-19.

Pequim instigou uma série de proibições, suspensões ou novas tarifas sobre as exportações australianas para a China, incluindo carvão, carne bovina, cevada, lagosta, madeira, carneiro e algodão.

O governo e as empresas neozelandeses estão ansiosos para evitar um destino semelhante e adotaram uma abordagem diplomática silenciosa em suas negociações com Pequim, enquanto implementavam novas iniciativas para fortalecer sua segurança nacional.

Essa abordagem, no entanto, foi criticada pela especialista chinesa na Nova Zelândia, Anne-Marie Brady, como sendo “sutil demais” para os parceiros internacionais perceberem.

Nos últimos meses, o governo da Nova Zelândia tem sido mais público em suas críticas a Pequim, incluindo uma declaração conjunta de maio entre a Austrália e a Nova Zelândia, alertando contra atores estrangeiros que buscam “dividir” as duas nações, e a recente declaração de Little sobre os ciberataques em Pequim.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também

 
 
 

ONU adverte que IA pode representar uma ameaça ‘negativa e até mesmo catastrófica’ aos direitos humanos

ONU adverte que IA pode representar uma ameaça ‘negativa e até mesmo catastrófica’ aos direitos humanos
A Organização das Nações Unidas advertiu que os sistemas de inteligência artificial (IA) podem representar uma ameaça "negativa, ...
Leia Mais >
 

Navios de guerra chineses entram em zona americana

Navios de guerra chineses entram em zona americana
Navios de guerra chineses entraram na zona econômica exclusiva americana. A mídia estatal chinesa disse ser uma medida ...
Leia Mais >
 

EUA, Austrália e Reino Unido firmam pacto histórico de defesa contra a China

EUA, Austrália e Reino Unido firmam pacto histórico de defesa contra a China
Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram nesta quarta-feira um pacto de defesa histórico, que inclui o apoio ...
Leia Mais >
 

Investidores de empresa chinesa exigem seu dinheiro de volta

Investidores de empresa chinesa exigem seu dinheiro de volta
Um novo surto do vírus do PCC atinge a China. Um homem testa positivo após 3 semanas em ...
Leia Mais >