Antigos contos de sabedoria: não persiga ou seja influenciado pela vaidade

Por Epoch Times

Antigos contos de sabedoria nos lembram das tradições e valores morais que foram valorizados em todo o mundo. Esperamos que as histórias e mensagens de nossa série Contos de Sabedoria ajudem a inspirar o coração e a mente de nossos leitores.

A história “Não persiga nem se deixe levar pela vaidade” é uma das muitas histórias em áudio do programa “Antigos Contos de Sabedoria” da Rede de Rádio Som da Esperança, agora transcrita e publicada aqui para que nossos leitores possam desfrutar.

Leia a história abaixo e deixe-se transportar para outro mundo:

Qi Jiguang nasceu quando seu pai, Qi Jingtong, tinha 56 anos, uma idade relativamente avançada. Jiguang era o único filho da família e era muito considerado por seu pai. Ele pessoalmente ensinou Qi Jiguang a ler livros e praticar artes marciais. No entanto, ele era muito rígido com o caráter moral e a conduta de Qi Jiguang.

Um dia, quando Qi Jiguang tinha 13 anos, ele calçou um par de sapatos de seda muito bem feito. Ele estava muito feliz com eles e caminhava de um lado a outro do pátio.

Seu pai o viu e o chamou para a sala de leitura e o repreendeu: “Quando você tem bons sapatos, naturalmente sonha em usar roupas boas. Quando você tem boas roupas, naturalmente sonha em comer bem. Com uma idade tão jovem, você já criou a mentalidade de desfrutar de boa comida e boas roupas. No futuro, você terá uma ganância insaciável.

“Quando crescer, buscará comida deliciosa e roupas bonitas. Se for um oficial militar, desperdiçaria até mesmo o salário dos soldados. Se continuar assim, será impossível ter sucesso nas empresas dos mais velhos.”

Qi Jingtong aprendeu que os sapatos de seda foram um presente de seu avô materno para seu filho. No entanto, ele ordenou que Jiguang tirasse os sapatos, quebrando-os instantaneamente para evitar que Jiguang desenvolvesse o mau hábito de se entregar ao luxo.

Em uma ocasião, a família Qi teve que reformar mais de uma dúzia de seus quartos que estavam em péssimo estado. Qi Jingtong contratou vários artesãos para fazer o trabalho. Como a família precisava de um local apresentável para receber os oficiais da corte real, ele pediu aos artesãos que instalassem quatro portas com tema floral esculpido no salão principal, e Qi Jiguang supervisionou a instalação.

Imagem ilustrativa (Pixabay)

Os artesãos consideravam a família Qi nobre e pensaram que ela pareceria muito austera se houvesse apenas quatro portas esculpidas. Eles falaram com Qi Jiguang em particular: “Seus parentes mais velhos são generais. Para uma família tão nobre e rica, todas as portas da casa inteira deveriam ser portas floridas esculpidas, o que equivaleria a doze portas no total. Só este grau de atmosfera estará no auge do status social de sua família .” Qi Jiguang achou que sua sugestão era razoável e a levantou com seu pai.

Qi Jingtong repreendeu Qi Jiguang severamente por sua ideia extravagante e ostentosa. Ele alertou Qi Jiguang: “Se você perseguir e se deixar levar pela vaidade, não será capaz de realizar grandes coisas quando crescer.” Qi Jiguang aceitou as críticas do pai e disse ao artesão para instalar apenas quatro portas esculpidas, conforme solicitado inicialmente.

Imagem ilustrativa (Pixabay)

Qi Jingtong também ensinou a Qi Jiguang que o objetivo de estudar artes literárias e praticar artes marciais não era buscar fama pessoal, realização pessoal ou riqueza pessoal. Em vez disso, era para o bem-estar da nação, da sociedade e do povo. Portanto, devemos estar atentos ao caráter moral da lealdade, respeito aos pais, não ser corruptos e a integridade para nos forjarmos.

Com este ensino e disciplina de seu pai, e aprendendo seu comportamento exemplar, Qi Jiguang não buscava extravagâncias e estava satisfeito com uma dieta moderada. Ele era diligente e sério em seus estudos e na prática das artes marciais.

Mais tarde, ele se tornou um general famoso, bem como um estrategista proeminente na dinastia Ming, e lutou contra a invasão de minorias. Por isso seu nome ficou gravado na história da China.

Retrato de Qi Jiguang, um famoso general e estrategista proeminente da Dinastia Ming (Thomas Chen / Domínio Público)

Ele aprendeu que ostentação, indulgência, apego à aparência, aquisição de riqueza, realização e status são todos apegos de quem tem como objetivo ser lisonjeado e elogiado por outras pessoas e são todas manifestações de vaidade.

A raiz da vaidade é o apego ao próprio ego. Isso definitivamente arruinará as aspirações elevadas da pessoa, e essa pessoa estará condenada ao fracasso nos empreendimentos mais importantes. Se alguém é cativado por essa honra ilusória e, movido por essa mentalidade, vai lutar com os outros ou mesmo prejudicá-los, é muito lamentável.

Esta história é transcrita e publicada com a permissão da Sound of Hope Radio Network. Foi publicado originalmente pela Clearwisdom.net. Áudio pela Rede de Rádio Sound of Hope. Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
 
 

COVID-19, uma pandemia do medo ‘fabricada’ pelas autoridades, afirma epidemiologista de Yale

COVID-19, uma pandemia do medo ‘fabricada’ pelas autoridades, afirma epidemiologista de Yale
A pandemia da COVID-19 tem sido uma pandemia do medo, fabricada por indivíduos em cargos nominais de autoridade ...
Leia Mais >
 

RISCO: 52% dos americanos vê China como principal ameaça

RISCO: 52% dos americanos vê China como principal ameaça
Os americanos parecem estar, drasticamente, mudando de ideia sobre o Regime comunista chinês. Pela primeira vez, metade dos americanos ...
Leia Mais >
 

EUA: Comunismo na educação

EUA: Comunismo na educação
Maduro vira desenho animado. A União Soviética e a China promoveram o culto à personalidade de tiranos como ...
Leia Mais >
 

EUA: Compromisso “inabalável” com defesa de Taiwan

EUA: Compromisso “inabalável” com defesa de Taiwan
Os EUA reiteraram seu compromisso “inabalável” com a defesa de Taiwan, e o ex-primeiro-ministro japonês disse que o ...
Leia Mais >